O problema do feminicídio

Publicação: 06/02/19
Carlos de Souza
fcarlos@tribunadonorte.com.br

Segundo a Comissão Interamericana dos Direitos Humanos, quatro mulheres são mortas no Brasil por dia. É um índice alarmante, epidêmico e mostra que nossa sociedade não avançou um milímetro no quesito respeito às mulheres e ao ser humano de modo geral. Mulheres no Brasil são tratadas como objeto e os homens se sentem no direito de tirar a vida delas quando são contrariados.

Isso é cultural e a solução não é fácil, porque a educação começa no núcleo familiar. Femicídio é considerado como o assassinato de uma mulher por um homem por causa de seu gênero. "A Comissão clama o Estado brasileiro a implementar estratégias abrangentes para impedir esses atos e que cumpram sua obrigação de investigar, processar e punir os responsáveis, bem como oferecer proteção e reparação integral a todas as vítimas", disse em nota a CIDH .

No Rio Grande do Norte os números são preocupantes, em apenas três anos, houve um aumento de 80% em casos de feminicídios. Mas este número vem caindo, em grande parte pela existência da Lei Maria da Pena e o funcionamento de delegacias de atendimento à mulher.

Porém, o Brasil precisa de mais abrigos de proteção às mulheres. Só existem 74 abrigos em todo o país. Em Natal, o atendimento à mulher em situação de violência doméstica foi ampliado Já existe uma nova sede do Centro de Referência da Mulher Elizabeth Nasser. As instalações oferecem atendimento desde acolhimento, à assessoria jurídica e psicossocial. O endereço fica na Avenida Bernardo Vieira, bairro de Dix-Sept Rosado, 2280, próximo à Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social.

Mas a cultura da violência contra a mulher é algo que resiste aos esforços de se evitar essa tragédia. E são muitos os fatores que acarretam este problema. Temos que investir muito na ideia que o respeito pelo outro ser humano é fundamental na convivência. O fim de um relacionamento não é o fim do mundo. O parceiro pode sempre encontrar outro que atenda melhor aos seus anseios.

Os pais podem ajudar muito ensinando aos filhos o respeito ao próximo, a cultura de paz e convivência com as diferenças. Muito pode ser conquistado com a nossa busca por níveis melhores de civilização. A barbárie só traz sofrimento.

Mulheres
O último Infopen mulheres revelou que o número de mulheres presas provisoriamente chega a 45% e que a população feminina aumentou 656% entre 2000 e 2016. Nesse contexto de encarceramento em massa, a audiência de custódia é um instrumento especialmente importante e cada vez mais necessário. Além de marcar um primeiro encontro com o juiz após a prisão em flagrante, é um momento importante para que questões específicas de gênero (como gravidez, número de filhos, responsabilidade pela geração da renda familiar) sejam mobilizadas pelos atores em custódia tanto para averiguação de eventuais abusos ocorridos durante a prisão quanto para assegurar a aplicação de medidas desencarceradoras.
Educação Governadora Fátima Bezerra: “Estamos nos desafiando a implantar educação integral em 50% das escolas de Ensino Médio; a elevar progressivamente o IDEB nos próximos quatro anos; a Criar a Rede Estadual de Educação Profissional, Inovação e Tecnologia, com pelo menos dois Centros Estaduais de Educação Profissional em cada Território, tomando como referência o modelo dos IF; a fortalecer a UERN, aprofundando o diálogo para consolidar sua autonomia financeira e administrativa e ampliar sua atuação na extensão, pesquisa e inovação”.

Turismo
Dois grandes eventos do turismo irão reunir seis mil pessoas no Centro de Convenções de Natal no próximo mês de março. A contagem regressiva já começou. O Fórum de Turismo do RN e da Feira dos Municípios e Produtos Turísticos do RN ocorrerão concomitantemente nos dias 29 e 30 de março. O Fórum chega à décima edição e a Femptur emplaca sua quinta versão. Realização Argus Eventos.

Agrotóxicos
Nota da Associação Brasileira de Agroecologia: “A ABA-Agroecologia parabeniza e destaca a importância da aprovação, pela Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, em 18 de dezembro de 2018, bem como de sanção do governador Camilo Santana (PT/CE), em 8 de janeiro de 2019, para o Projeto de Lei 18/2015 (de autoria do Deputado Renato Roseno – PSOL/CE), que proíbe a pulverização aérea de agrotóxicos no Estado do Ceará. Trata-se de medida inédita em nosso país, de grande relevância para a vida e o futuro de nossa gente, merecendo o aplauso e o reconhecimento desta e das próximas gerações. Em nosso entendimento este passo colabora com a democracia, garante a defesa dos direitos humanos e protege as gerações futuras, constituindo exemplo a ser seguido em todos os rincões do país”.

Verão
Advogados do Rio Grande do Sul terão que continuar usando paletó e gravata nas dependências da Justiça Federal gaúcha. Segundo o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, desembargador federal Thompson Flores, a vestimenta no exercício das funções deve ser adequada e compatível com o decoro, o respeito e a imagem do Poder Judiciário. Assim como acontece em outros estados, a OAB do Rio Grande do Sul pediu a dispensa do uso de paletó e gravata por causa das altas temperaturas do verão. Porém, o pedido foi negado por Flores. Informações do site ConJur.

Redes
Estudos revelam que menos tempo reservado para o uso de redes sociais como o Facebook é salutar para a saúde mental, sobra mais tempo para amigos e familiares e melhora na mudança de humor.