Henfil na China

Publicação: 08/03/20
Na busca do livro Garranchos, que reúne textos inéditos de Graciliano Ramos, organizado por Thiago Mio Salla e publicado pela Editora Record em 2012 (numa carta de Graciliano para o crítico e animador cultural Murilo Miranda, fundador da Revista Acadêmica,  são citados dois norte-rio-grandenses: o escritor Peregrino Júnior e poeta José Bezerra Gomes), encontrei por trás da prateleira da velha estante, dobrado, um cartaz do lançamento do livro Henfil na China (antes da Coca-Cola) , ocorrido aqui em Natal em julho de 1980. O cartaz (38 cms de altura por 35 de largura) reproduz a capa do livro, que é de autoria do grande capista e designer Hélio da Almeida, o mesmo que fez a capa de Metrópole à Beira-Mar, de Ruy Castro, lançado recentemente pela Companhia de Letras e grande sucesso nas rodas literárias. O livro de Henfil foi publicado pela Codecri (Rio de Janeiro), leitura rica, gostosa, temperada com a pimenta incomparável do autor. Esgotado, carece há tempo de uma nova edição, até porque a China está no ápice da moda, incluindo no seu sarau o sucesso do coronavírus.

O livro foi escrito quando Henfil morava em Natal, idos dos anos de 1977/78 e publicado em 1980. A viagem aconteceu em julho, saindo do Brasil no dia 16 (Natal-Rio) com paradas em Paris, Atenas e Paquistão. Chegada em Pequim no dia 20. São 308 páginas enriquecidas com ilustrações do grande cartunista. Lembro, agora, todo ancho da vida, que tive o privilégio de ler os seus originais, conversas que entravam pela madrugada alta e baixa na casa da rua Amintas Barros, ares de Lagoa Nova, brisas do Morro Branco, onde Henfil morava.

O cartaz, como disse no começo, reproduz a capa do livro onde se destaca a careca de Mao Tsé Tung, olhos fechados, logomarca da Globo e outros adereços enfeitando-a, e com esses dizeres escritos assim: “dia 24 de julho, quinta-feira, ás 20 horas na livraria Clima, do Centro Comercial Aluizio Bezerra, o lançamento, o livro Henfil na China (antes da Coca-Cola). Patrocínio:  Tribuna do Norte, Rádio Cabugi, Difusora de Mossoró e Livraria Clima”.

Aí, descubro no verso do cartaz, escrito á mão, pelo próprio Henfil, um “Edital de Convocação”, que transcrevo, agora, na íntegra:

Edital de Convocação

“Por este edital estão convocadas as seguintes pessoas:

Grácio Barbalho, Woden Madruga, Robério, Margarida, Fernando Bezerra, Candinha, Cuca, Olguinha, Roberto Varela, Graco, Solange, Márcio, Marrom, Antônio Carlos, Branca, Nelsinho, Manoel Augusto, Olga, Sinval, Maninha, Nélio, Nadja, Nei, Cristina, Zeca Passos, João Costa, Moema, Geraldo Furtado, Agnelo, Celina, Severo, Aluísio Alves, Ivone, Henrique Eduardo, Luluca, Lulu Peru, Chico Miséria, Cláudio Emerenciano, Dermi, Miranda Sá, Garibaldi Filho, Arlindo Freire, Alvamar Furtado, Sanderson, Ticiano, Diógenes, Luís Carlos Guimarães, Luís Damasceno, Newton Navarro, Franklin Jorge, Tarcísio Gurgel,  Porpino, Varela Barca, Lauro Bezerra, Américo, Carlos Lira, Chico Alves, Tânia, Jean, Cristina, Dorian Gray, Iaperi, Zila, Vivi, Celso Silveira, Machadinho, Ivis, Emanoel Barreto, Cassiano, Nilma, Antomar, Jarbas Bezerra, José Gobat, Theodorico, Aurino, Elenir, Marlúsia, Saldanha, Gilson Barros, Zélia Dias, Rafael Negreiros, Dorian Jorge Freire, Jasielo, Roberto Furtado, Eulício, Jardelino, Almeida, Clênio, José Arruda, Hélio Vasconcelos, Netinho, Zé Roberto, Roosevelt Garcia, Myriam, Emílio Salem, João Ururahi, Túlio Fernandes, Thomé Filgueira, Anchieta, Nilson Patriota,  Socorro Trindade”.

Tem mais gente, a lista continua convocando:

“Ubirajara Macedo, Cronwell Tinoco, Airton de Castro, Márcio Marinho, Paulo de Tarso, Geraldo Queiroz, Moacir, Padre Tiago, Padre Pio, José Luís, J. Epifânio, Marcelo Fernandes, Marco Aurélio Sá, Luís Antônio Vidal, Marcílio Furtado, Jomar Alecrim, Moacir Duarte, Enélio, Onofre Lopes, Genário Fonseca, João Meira Lima, Joao Wilson Mendes, Valério Mesquita, Deífilo, Waldir Spínola, Leide, Armando Fernandes Negreiros, José Bezerra Marinho, Iberê, Enoch, Garibaldi Cabral, Fernando Bezerril, Ubirajara e Marlene, Jairo Leite, Jarbas Borges Lima, Ana Rosa, Flávio, Dom Nivaldo, Danilo Menezes, Amarildo, Bêju, Mirabô, Bianor, Jesiel, Mário Miranda, Norma e Hagen, Alex, Nazário, Lurdinha Xavier, Hermano Paiva, Pe. Hudson, Sérgio Lamartine, Tarcísio Gurgel, Daniel Holanda, Zildamir, Aroldo Bezerra, Haroldo Pacheco, Antônio Melo, Jussier Magalhães, Lurdinha Varela, Oscar e Hebe, Elizabeth Bittencourt, Maria Emília Wanderley, Câmara Cascudo, Humberto Azevedo, Kátia, Lynn, Zé Mendes, Naide, Leocádia, Doiô, Zé, Horácio Guedes, Zuleica Moura, Marli Cavalcanti –

... e VOCÊ

Comparecer dia 24 de julho (quinta-feira) às 20 horas no Centro Comercial Aluízio Bezerra (Livraria Clima) para o lançamento do livro HENFIL NA CHINA (antes da Coca-Cola). ”

Inverno

Um começo de março como há tempos não se via pelos sertões nordestinos. Muita chuva. Na primeira madrugada do mês aconteceu a sangria do açude Dourado, de Currais Novos, água descendo no rumo do rio Acauã que é barrado pelo Gargalheiras, em Acari. São quase as mesmas águas, agora engrossadas pelas do rio Picuí, que vem da Paraíba ao lado, onde também chove bastante, amém. Os rios se juntam, como as rezas. Esperar, agora, a sangria do Gargalheiras, aumentando a festa.

Açudes também sangram no Oeste, onde há municípios com chuvas passando dos 200 milímetros, somente neste começo de março. Muita festa, considerável o aumento do consumo da boa cachacinha, que vai durar ainda bastante tempo, pois a meteorologia tem previsões de inverno acima da média: março, abril e maio.

Música

O historiador e pesquisador Claudio Galvão lamenta a morte do violonista Genardo Lucas da Câmara, ocorrido dia 2. Está entre os pioneiros do Clube do Violão de Natal.  Ainda adolescente se apresentava em recitais de música erudita no Teatro Carlos Gomes (hoje Alberto Maranhão, fechado há anos).

Livro

Anote aí em sua agenda: dia 19, consagrado a São José, teremos o lançamento do livro do professor e advogado Lúcio Teixeira dos Santos, Revelações e Memórias.  Será na sede da OAB, a partir das 17 horas. Fica na rua Barão de Serra Branca, Candelária.

Othoniel

Esta semana, dia 10, tem o aniversário de nascimento do poeta Othoniel Menezes (1985/1969). A cidade amanhecerá cantando “Praieira” (“Serenata do Pescador”, musicado por Eduardo Medeiros), o legítimo hino de nossa aldeia.

Sugestão de uma boa leitura: Príncipe Plebeu – uma biografia do poeta Othoniel Menezes, de Claudio Galvão.

Troglodice Deu na coluna de Ancelmo Gois, de O Globo:

- Regina Duarte recebeu várias mensagens de colegas queridos que não foram à posse para não ficar frente a frente com Bolsonaro e suas costumeiras troglodices em relação às artes.”