Mudança de rumo

Publicação: 22/01/20
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

O Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suiça, está propondo um novo capitalismo. Será que vai ter acolhida? O “Manifesto de Davos 2020” estabelece como premissas: pagamento justo de impostos, tolerância zero com a corrupção e proteção do meio ambiente, entre outros pontos. Metade do PIB mundial depende moderadamente ou muito da natureza, reconhece o novo relatório. As empresas são mais dependentes da natureza do que se pensava anteriormente, com cerca de US $ 44 trilhões em geração de valor econômico moderada ou altamente dependente da natureza. Para o Ministro da Economia, Paulo Guedes, "O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza". Ele discursou na manhã de ontem, em Davos, no painel "Shaping the Future of Advanced Manufacturing". Em outro momento, Guedes disse que o mundo precisa de mais comida e salientou que é preciso usar defensivos para que seja possível produzir mais. "Isso é uma decisão política, que não é simples, é complexa", afirmou.

Indicadores
Em termos de exposição global, as economias maiores têm os maiores valores absolutos do PIB em setores dependentes da natureza: US $ 2,7 trilhões na China, US $ 2,4 trilhões na União Europeia e US $ 2,1 trilhões nos Estados Unidos. Isso significa que mesmo regiões com uma parcela relativamente baixa de sua economia com alta exposição à perda de natureza podem deter uma parcela substancial da exposição global e, portanto, não podem ser complacentes.

Emprego
Pesquisa da CNDL/SPC Brasil diz que, para os brasileiros, a saúde pública e o combate ao desemprego devem ser prioridades do país em 2020l. Cerca de 45% dos entrevistados têm a percepção de que a economia está retomando o crescimento e 42% acreditam que ofertas de emprego devem aumentar. Com a reforma da Previdência aprovada, 64% já pensam em alternativas para complementar aposentadoria.  O levantamento foi feito em todas as capitais e mostra que a população está cada vez mais consciente das suas necessidades.

Inflação
Na segunda prévia de janeiro a inflação pelo IGP-M desacelera a 0,57%. No mesmo decêndio de dezembro tinha subido 2,06%.  A Fundação Getulio Vargas (FGV) destaca que, com o resultado, o índice acumulou elevação de 0,57% no ano de 2020 e alta de 7,91% em 12 meses. O IPA-M, que representa os preços no atacado, aumentou 0,67% em janeiro ante um avanço de 2,85% na segunda prévia de dezembro.

Dívidas
O consumidor está pagando suas contas e tirando a corda do pescoço. O número de brasileiros inadimplentes se mantém estável, mas quantidade de dívidas cai, revela a Serasa Experian. Em novembro, cada consumidor tinha, em média, 3,5 contas atrasadas e negativadas. A queda no total de dívidas foi impulsionada pelo setor de Telecom. São 63,8 milhões, com base  em novembro de 2019, uma queda de 3,3% no volume total de dívidas atrasadas e negativadas no país.

Conjuntura desanima
As dúvidas sobre o crescimento do  PIB e a imagem do Brasil afastam os investidores estrangeiros.  Alguns temas se colocam como cruciais neste momento. As contas públicas estão no caminho do equilíbrio, mas o adiamento dos leilões de petróleo pode atingir i déficit fiscal cresce em 2020. A imagem de País da corrupção é outro entrave para  atrair o investidor  estrangeiro. O ministro Paulo Guedes anuncia que i Brasil abrirá licitações públicas para fazer um “ataque frontal” à corrupção. Ontem, a cotação do dólar bateu em R$ 4,20.

Previsão
A Funceme, empresa de meteorologia do governo do Ceará divulgou ontem a previsão de chuvas. Na quadra chuvosa até abril, o prognóstico mostra 45% de chance de chuvas acima da média entre fevereiro e abril. É praticamente a mesma previsão elaborada pela Emparn, para o Rio Grande do Norte.

Farmácias
Mais uma rede de farmácias no RN. O empresário Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio RN, inicia a expansão de sua rede de farmácias em Natal.  Nos próximos 30 dias vai abrir três novas unidades, passando a gerar 250 empregos formais entre diretos e indiretos. As lojas têm as duas bandeiras representadas pelo empresário no estado: Big Fort e UltraPopular. Segunda-feira, foi aberta a primeira das três novas lojas, no Alecrim.

Ambiente
A Nestlé cria mercado para plásticos reciclados para embalagens de alimentos e lança fundo para impulsionar a sua inovação. A empresa investirá cerca de dois bilhões de francos suíços para liderar a evolução de plásticos virgens para plásticos reciclados apropriados para embalagens de alimentos e acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras para embalagens sustentáveis. Para criar um mercado, a Nestlé está se comprometendo a adquirir até 2 milhões de toneladas métricas de plásticos reciclados próprios para embalagens alimentares.