Verdade seja dita

Publicação: 03/05/17
Como foi pobre tecnicamente o ABC 0 x 0 Globo e que no placar espelhado garantiu o título ao alvinegro que havia vencido, o jogo de ida – igualmente muito pobre no aspecto técnico – por 1 a 0. O que vi na decisão do Frasqueirão foi um Globo mais arrumado taticamente contra um ABC superior em nível técnico. Destaque do jogo do Frasqueirão? O goleiro Rafael que fez pelos menos três defesas espetaculares. Rafael que aliás vai deixar o Globo onde está desde 2014. Baita goleiro!

Tem que reforçar
  Se quiser sonhar com o acesso, o Globo tem que reforçar para a Série D. Falta opção de qualidade para o treinador do meio para frente, onde só depende da velocidade de Romarinho. No meio, quando Bismarck não está bem, o time morre. E não tem que faça gol. Não adianta apenas um treinador aplicado se ele não tem peças de qualidade.

Justo e merecido

Não tem o que comentar sobre a conquista do 54º título estadual do ABC. Os números mostram claramente que o time comandado por Geninho “sobrou” de ponta a ponta na competição. Os dados levantados pelo pesquisador Marcos Trindade mostram claramente a superioridade alvinegra no Estadual. Em 20 jogos o time somou 46 pontos, com 14 vitórias, 4 empates e duas derrotas. Marcou 40 gols e sofreu apenas 16, com saldo de 24 gols e aproveitamento de 76,67%.

Tem estrela
No comando do ABC, o presidente Judas Tadeu acumula nove títulos no Estadual e mais uma vez destaco o minucioso levantamento feito por Marcos Trindade. Tadeu foi campeão como presidente nos anos de 1997, 1998, 1999, 2000, 2005, 2007, 2008, 2016 e 2017. Acrescente ainda quatro Copa RN, nos anos de 2005, 2008, 2016 e 2017. Junte dois acessos para a Série B, em 2007 e 2016, e JT tem um total de 15 títulos na história.

Agora é outra conversa

Desde ontem o ABC está trabalhando de forma mais detalhada na montagem do elenco para a estreia no Brasileiro da Série B, no próximo dia 13 contra o Paraná no Frasqueirão. Os primeiros reforços anunciados, e já disse aqui mesmo na coluna, estão de bom tamanho para a arrancada na competição que é longa. Bocão e Eltinho para as laterais, Filipe para a zaga e Zotti para a meia. Mas ainda cabem pelo menos mais dois reforços pontuais, e para o setor de ataque, onde o ABC tem deficiências, tanto na referência como na velocidade. A partir de agora é outra conversa e todo mundo sabe que precisa qualificar.

Regularidade 
O que não é possível, é imaginar que o ABC desmanche todo o time do Estadual e monte um novo para o Brasileiro. Não! Além dos reforços que já estão na casa e mais os dois atacantes, o ABC tem elenco para começar a competição, que é uma prova de regularidade. Tem que avaliar o desempenho da equipe nas dez primeiras rodadas e fazer os ajustes de forma gradual. A Segundona deste ano não tem na minha avaliação nenhum bicho papão, deve ser equilibrada o que a torna ainda mais perigosa.

Luizinho Lopes

Sem medo de errar, uma das grandes revelações do futebol nordestino. Treinador que tem visão tática, liderança, conhecimento teórico e prático. Tivesse no Globo um time com mais qualidade técnica/individual e poderia ter feito um “estrago” maior do que a conquista do Primeiro Turno. De todas as equipes que disputaram o Estadual, o Globo foi sem nenhuma dúvida a que apresentou a melhor organização e equilíbrio do ponto de vista tático. E neste aspecto é o trabalho do treinador. Luizinho Lopes, está pedindo passagem.

Caminho duro 
Se o ABC tem que traçar um planejamento para uma prova de regularidade, uma competição longa e que apresenta amplas chances de recuperação, o caminho do América é o oposto. Time de Leandro Campo vai para uma competição de tiro curto, com apenas seis jogos na primeira fase e se passar, começa encarar jogos eliminatórios até a definição dos quatro que sobem. A margem de erros é reduzida, o espaço para recuperação muito pequeno. E não é apenas o América, vale o mesmo para o Globo e Potiguar os outros representantes do RN na Quarta Divisão do Brasileiro.


Amanhã começa

Publicação: 12/04/17
O América joga hoje contra o ASSU no Edgar Montenegro e amanhã começa o processo de remontagem do elenco para a disputa do Brasileiro da Série D, hoje, a competição mais importante dos 101 anos de clube da Rodrigues Alves. Você não leu errado não! A Quarta Divisão do Brasileiro, é hoje a competição mais importante dos 101 anos de existência do América Futebol Clube, que chegou ao fundo do poço graças a uma gestão marcada pelos erros e fracassos no futebol do clube. Nos últimos dois anos, o torcedor do América comemorou apenas e tão somente a conquista do primeiro turno do Estadual do ano passado e de lá para cá, fracasso em cima de fracasso.

O grande desafio

Eduardo Rocha que está à frente do grupo de futebol que assumiu após a renúncia do presidente Beto Santos, encontrou além de um elenco de baixíssima qualidade técnica, um problema ainda maior, com a maioria dos jogadores tendo contratos até o final da temporada. Equacionar a necessidade de limpar a área e de contratar com pouco ou quase nenhum recurso, é um desafio e tanto.

O sistema é bruto

Além das dificuldades que falei no tópico anterior, o próprio sistema de disputa da Série D complica na hora de contratar, mais uma razão para não fazer contratos longos como fez o América que trouxe os caras indicados por Felipe Surian e vejam só, trabalhou imaginando 100% de acerto, o que não existe no futebol. Só um neófito no mundo do futebol para imaginar que contratando 15,16,sei lá quantos jogadores acertaria em todos a ponto de assinar contratos até o final da temporada.

O sistema é bruto I

A Quarta Divisão começa com 17 grupos de quatro times cada, que jogam em ida e volta dentro do próprio grupo. Avançam para a segunda fase os primeiros de cada e mais os 15 melhores segundos colocados, fechando um total de 32 equipes na segunda fase. A partir daí, e é onde mora o perigo, a competição é disputada em sistema de mata-mata até a definição dos quatro que sobem para a Série C.

Investindo nas bases
Pode não ser o ideal, mas o ABC vem fazendo um investimento nas bases, respeitando a realidade do clube e tem atletas colocados em vários times do Brasil, além de outros que estão integrados ao elenco profissional, como os casos do goleiro Gomes, Paulinho, Arez, Cleiton, Tonhão, Luiz Felipe, Jardel, Jhonata, Erivélton, Berguinho, Fessin, Chiclete e Leozinho.

Investindo nas bases I No Baraúnas, o ABC tem três jogadores emprestados e dois que chamaram atenção, Ítalo e Capacete, além do lateral Balinha. No ASSU está o zagueiro Vinicius. Montanha outro zagueiro das bases está no Internacional, Pedrinho no Fluminense, Wenderson e Arthur no Atlético Mineiro. Repito que pode não ser ainda o investimento ideal, mas o ABC é o clube que está mais perto de chegar lá.

A estrutura é sólida A estrutura que o ABC mantém para as categorias de base, com Departamento Médico, ajuda de custo para os atletas, alimentação e alojamento para 38 atletas é importante para dar solidez a um trabalho de base.

Que rodada!
Nesta quarta-feira, a decisão de quem vai para as finais do returno com o ABC. O ASSU que tem 12 pontos e enfrenta o América no Edgarzão? O Potiguar que soma 11 pontos e joga na Arena das Dunas contra o Santa Cruz que ainda briga para escapar do rebaixamento? Ou o Globo que corre por fora com 8 pontos e joga em Mossoró contra o Baraúnas? No Frasqueirão, já classificado o ABC enfrenta o Alecrim desesperado para fugir da queda.

Não acredito O mundo do futebol é estranho e nele, parafraseando o competente Sérgio Papellin, só não jumento voar, mas não acredito que o ABC possa voluntariamente “ajudar” o Alecrim a escapar do rebaixamento. E não acredito justamente pelas cobranças e pela maneira como Geninho conduziu o treino da última segunda-feira, cobrando e exigindo seriedade o tempo todo. Que interesse teria o ABC em “ajudar” o Verdão? Não acredito!



Que maré

Publicação: 10/02/17
O América começou a temporada 2017 em uma maré daquelas! Mal no primeiro turno do Estadual, eliminado na primeira fase da Copa do Brasil e tendo uma decisão duríssima amanhã no Barradão pela Copa do Nordeste. Atribuir a eliminação da Copa do Brasil apenas a uma “falta de sorte” como disse o treinador Felipe Surian, penso que é minimizar o real problema do América, que reside na baixa qualidade técnica do elenco que foi montado, em boa parte pelo próprio treinador. A sorte sem dúvida é um componente importante, mas a competência é ainda mais importante. Tenho a impressão que falta ao América, exatamente competência e não é apenas dentro de campo. Fora de campo, no planejamento de montagem do elenco está cada vez mais evidente que os erros são os mesmos da temporada passada e que levaram o clube da Rodrigues Alves para o buraco da Série D. Não adianta apenas falar em “falta de sorte” ou que “levamos um gol chorado”. O buraco é mais embaixo!

Outro cenário

Vejam só a montagem do elenco do América. Felipe Surian fez bons trabalhos no Tupi e no Volta Redonda, tendo acessos com os dois times, e se o leitor observar com atenção, com dois times pequenos nos seus estados. O Tupi é pequeno em Minas Gerais e não tem pressão, o Volta Redonda é pequeno no Rio e não tem pressão. Sem tirar o mérito do treinador e dos jogadores, trabalharam nos dois times sem pressão e sem a obrigação do acesso. No América o cenário é completamente diferente. O América é grande no futebol do Rio Grande do Norte, o América tem pressão, o América tem uma torcida exigente e Felipe Surian e o grupo que ele montou, tem a obrigação de garantir calendário para 2018 e principal de subir para a Série C, o que muda completamente o cenário.

Como time pequeno  Uma coisa é o Tupi jogar contra Cruzeiro ou Atlético Mineiro e se encolher todo, ou o Volta Redonda enfrentar Flamengo ou Vasco e jogar todo retrancado por uma bola, e outra bem diferente é abdicar de jogar contra o Audax que é um time pequeno de São Paulo. O América não pode jogar e ter comportamento de time pequeno, a filosofia tem que ser outra.

Perfil perdedor

Outro ponto importante para ser avaliado é o perfil perdedor da atual diretoria do América, que desde que assumiu ganhou apenas e tão somente um turno do Estadual, e que mesmo tendo um perfil perdedor não mudou de 2016 para 2017. Houve uma troca de posições mas não de peças. São as mesmas figuras que rebaixaram o time para a Série D que seguem atuando no futebol e fora dele. Uma diretoria que não acertou e que não aprendeu com os erros de um passado recente. A diretoria do América só limpa a barra com a torcida se conseguir o acesso para a Série C, do contrário vai entrar para a história do clube da pior forma possível.

Sobra no Estadual 
Os números mostram que o ABC está sobrando no Estadual. Líder do turno com 14 pontos e já matematicamente classificado para a final, time de Geninho marcou 13 gols e sofreu apenas três, com quatro vitórias e dois empates. Este é um fato!

Qualificar 
Também é fato que apesar dos números positivos na competição doméstica, o time ainda tem apresentado deficiências que preocupam para a Copa do Nordeste, Copa do Brasil e principalmente para o Brasileiro da Série B. As alas ainda não convenceram, o setor intermediário com Anderson Pedra e Felipe Guedes está ficando sobrecarregado e falta um atacante de velocidade para jogar com Nando ou Caio. Na meia, Gegê aos poucos está se soltando mais, fez contra o Potiguar um bom jogo, mas confesso que não vejo nele o 10 para dar conforto e tranquilidade ao setor. Resumindo, o ABC tem que trabalhar urgentemente cinco, seis contratações fortes para o segundo turno do Estadual para entrar forte no Brasileiro. Com o atual elenco, arriscar dar uma “passeio” na B e voltar para a C.

Caiu mais um 
Depois de levar um sacode do ABC, o treinador Dário Lourenço foi demitido do Potiguar, que não acertou a pisada neste primeiro turno. Imaginei até que Dário pela experiência poderia arrumar o time do Potiguar, mas não deu, embora a culpa não seja apenas dele. O time é de uma fragilidade técnica que impressiona. Não adianta apenas trazer outro treinador se não qualificar o elenco.

Chances no Estadual

Publicação: 08/02/17
ABC e Globo, com 11 pontos cada, estão a uma vitória da final do primeiro turno do Estadual, segundo projeções do pesquisador Marcos Trindade. O ABC enfrenta o Potiguar no Frasqueirão e o Alecrim na Arena das Dunas. O Globo tem apenas mais um jogo, contra o Baraúnas no Barrettão. O ABC vencendo um dos dois jogos vai a 14 pontos, assegurando a classificação, porque só um time pode alcançar os 14 pontos além do alvinegro, Globo ou Baraúnas.

Chances no Estadual I Hoje, o Baraúnas tem 10 pontos, e se o tricolor vencer o América, joga pelo empate diante do Globo na última rodada. Se o Globo vencer o Baraúnas, vai a 14 pontos e se classifica, e ainda existe a possibilidade de se classificar com 13 pontos, inclusive o ABC.

Chances no Estadual II Caso o América vença o Baraúnas, tanto América como Baraúnas vão para última rodada com 10 pontos e com chances de se classificar. Nessa caso, o Baraúnas precisa vencer o Globo e o América o ASSU e um levar a melhor no saldo de gols.

Higor César
É reconhecidamente – na minha opinião – um profissional que conhece futebol e que tem um bom trabalho de campo. Higor é um estudioso e que já mostrou competência prática, no Globo e no próprio Santa Cruz na campanha da Segunda Divisão. Na Primeira Divisão, o time não encaixou e penso que o grande equívoco no planejamento foi querer disputar o Estadual com a mesma equipe da Segunda. Querendo ou não o nível é outro.

José Cortina
Depois do empate em 1 a 1 com o Globo, o treinador do ASSU, José Cortina, disse ao repórter Fábio Oliveira da TV Ponta Negra, que o trabalho dele não poderia ter sido julgado de forma antecipada apenas pelo que fez no Visão Celeste, da Segunda Divisão do Estadual, quando o time foi o último colocado. Eu entendo que a única régua que a imprensa tinha para medir o trabalho do colombiano, era o Visão Celeste e agora está o ASSU, com um panorama bem diferente. Evidente que conseguindo manter uma boa pegada com o Camaleão, José Cortina, vai deixar uma impressão bem diferente daquela que ficou da Segunda Divisão.

Injeção para dupla PotiBa
Prefeitura de Mossoró acertou patrocínio para Potiguar e Baraúnas para o restante do Estadual, uma injeção financeira que chega em boa hora e que deve ser estendida para o Potiguar que já tem confirmada a disputa do Brasileiro da Série D. Próximo passo da prefeita Rosalba deve ser solucionar definitivamente a questão envolvendo o estádio Nogueirão. Marcaria um golaço se desse uma solução para o eterno problema do estádio.

Atacante já chegou

É muito evidente que o time do ABC sentiu e muito as perdas de Lúcio Flávio e principalmente do atacante Jones Carioca, que taticamente teve um papel fundamental na temporada passada. Até agora, Geninho não conseguiu substituir nenhuma das duas peças. Gegê ainda não confirmou se pode ou não ser o “cara” da 10 e na frente, está claro que Túlio Renan não vai ser. Eu penso que o substituto de Jones Carioca já chegou ao Complexo Vicente Farache. É o atacante Adriano Pardal que estava na Jordânia e chegou para finalizar a recuperação de cirurgia de ligamento feita no final do ano passado.

Adriano Pardal Recuperado clinicamente e com ritmo e condicionamento físico, substitui Jones Carioca, entendo que até com mais qualidade. Jogador rápido, dribla fácil e com boa capacidade de finalização. Tem perfil para o Brasileiro da Série B.

Copa do Brasil O América começa hoje a caminhada na nova Copa do Brasil, que com a mudança no sistema de disputa acabou com o jogo da volta e leva a decisão para 90 minutos. Pelo regulamento a vantagem é do time potiguar melhor colocado no ranking da CBF que joga pelo empate para avançar, mas que vai enfrentar um adversário de boa qualidade, bem armado pelo Fernando Diniz e que chega para o jogo desta noite, embalado pela goleada que aplicou no São Paulo no final de semana.


Guarani só uma vez

Publicação: 23/10/16
Marcos Lopes [lopesrn@hotmail.com]

Segundo o pesquisador Marcos Trindade, na história dos confrontos oficiais entre Guarani x ABC, o time de Campinas venceu apenas um jogo. Foi no dia 24 de outubro de 2009, quando o Bugre fez 1 a 0, gol de Ricardo Xavier em partida válida pela Série B.

ABC já venceu em Campinas

O alvinegro realizou três partidas em Campinas contra o Guarani. Venceu uma, empatou uma e perdeu outra. De acordo com dados de Marcos Trindade, a vitória do ABC foi no dia 7 de julho de 2011, pelo placar de 2 a 1. Emerson marcou para o Bugre, Leandrão e Cascata para o alvinegro, em jogo valendo pela Série B.

O resumo dos confrontos 

Até aqui foram oito jogos, com uma vitória do Guarani, quatro vitórias do ABC e três empates. O Guarani marcou sete gols contra 14 do ABC.

Missão impossível 

Executivo de futebol do Guarani, Rodrigo Pastana disse – e tem razão – que no futebol “não existe mais missão impossível” e afirmou que “ a gente espera surpreendê-los com um apagão de dois ou três atletas deles. Nosso elenco, em termos de qualidade é muito bom”.

Vantagem monstruosa
Não resta dúvida que não existe missão impossível no futebol, como atestou Pastana, mas convenhamos que a vantagem que o ABC construiu sobre o Guarani é muito grande, e muito dificil de ser invertida pelo Bugre mesmo jogando dentro de casa. Uma vitória do Guarani seria até normal, mas não com um placar capaz de levar para os pênaltis – devolver os 4x0 – ou então de tirar o time potiguar da final. Geninho tem trabalhado de forma muito consistente não apenas o aspecto tático, mas principalmente o emocional e psicológico do elenco, que é maduro e equilibrado o suficiente para não entrar de “salto alto” ou dando a vaga na final como favas contadas. O jogo é jogado, vejo o ABC com mais qualidade e equilíbrio que o Guarani, mas todo o cuidado é pouco no jogo deste domingo.

Faria três volantes 
Eu sendo Geninho armaria o time com três volantes, como ele treinou no inicio da semana, com Edson, Filipi Sousa, Léo Fortunato, Cleiton e Alex Ruan; Anderson Pedra, Márcio Passos, Felipe Guedes, Erivelton e Lúcio Flávio, com Jones Carioca no ataque. Compacto na marcação, sem dar espaço e saindo em velocidade com Jones e com Erivelton chegando.

Arbitragem é uma peça
A arbitragem é uma peça importante para a decisão deste domingo no Brinco de Ouro da Princesa, principalmente por algumas lambanças que a gente tem visto nas quatro divisões do Brasileiro, mas penso que por mais que o árbitro carioca, em tese, queira que o Guarani seja finalista, ainda assim é muito difícil na prática concretizar o desejo. Se o ABC jogar bola, jogar o que vem jogando neste Brasileiro, é muito difícil perder a vaga.

Está certo

O presidente do STJD acertou quando indeferiu liminar do Fluminense que pedia impugnação da partida contra o Flamengo. Assim, o resultado do clássico com vitória do rubro negro voltou a valer na tabela do Brasileirão. Quem merece punição severa é o árbitro Sandro Meira Ricci, o assistente 1, o quarto árbitro e o inspetor de arbitragem. Só escapou daquele festival de incompetência o assistente 2 que estava do lado oposto.

Conselho Técnico
FNF confirmou data da reunião do Conselho Técnico para definir o Estadual 2017. O encontro com representantes de ABC, América, Alecrim, Santa Cruz de Natal, Globo, ASSU, Potiguar e Baraúnas será na próxima quarta-feira, duas e meia da tarde na sede da federação, que já está elaborando o plano de marketing da competição que deve ter o mesmo formato de disputa deste ano. O Estadual é seletivo para as Copas do Nordeste, do Brasil e Série D. Detalhe, é que Alan Oliveira já está trabalhando o planejamento de marketing para o Estadual 2017.

Macau na área 

Prefeito eleito de Macau, o jornalista Túlio Lemos confirmou que um dos setores que vai merecer atenção especial na sua gestão será o esporte, e quer o Macau disputando a Segunda Divisão do próximo ano. Está certo Túlio e que seja seguido por outros prefeitos.

Ainda não pagou 
Prefeitura de Mossoró ainda não pagou a cota de patrocínio que prometeu ao Potiguar para a disputa da Série D. Clube mossoroense ainda tem dívidas a saldar com jogadores que disputaram o Brasileiro e espera pelo pagamento para zerar os débitos. Já passou da hora.

Falando em Mossoró 
E a situação do estádio Nogueirão como é que vai ficar na nova administração? Vai ser oficial e definitivamente municipalizado ou vai continuar recebendo apenas maquiagem e causando prejuízos ao Potiguar e Baraúnas?

Mais um acesso na conta 

O treinador Higor Cesar vai acumulando acessos na carreira. Em 2013 subiu com o Globo e agora com o Santa Cruz de Natal. Um treinador cujos times são bem aplicados taticamente e já está merecendo voar mais alto. Cumpriu a missão que recebeu no Santa Cruz, se vai ficar ou não é outra conversa.

Globo mantém base 
Mais uma vez o Globo mantém uma base forte para o Estadual e com um ponto que entendo como fundamental, boa parte dela vinha trabalhando na disputa da Segunda Divisão. Luizinho Lopes começa a pré-temporada em novembro.