Férias

Publicação: 09/12/18
Marcos Lopes
lopesrn@hotmail.com

Férias
Estou em período de férias na Rádio Globo e Tribuna, voltando ao trabalho no próximo dia 9 de janeiro na abertura do Estadual, para transmitir ABC x Globo no estádio Frasqueirão. Digo sem medo de errar que a temporada 2018 foi terrível para o nosso futebol, com o ABC fracassando na Série C e o América na D. Os dois clubes criaram cenários preocupantes para 2019 que já está chegando e começam a temporada marcados pela pressão.

Não tem “mais ou menos”
No futebol não existe campanha mais ou menos, ou ela é boa ou ela é ruim, e ABC e América entram na minha opinião na segunda opção, a de campanhas ruins, péssimas em 2018. Os dois mergulhados em um ostracismo que dá pena, completamente fora do cenário intermediário do futebol brasileiros, um na Terceira e outro na Quarta Divisão. Os dois frutos de incompetência na gestão do futebol.

Preocupado
Saio de férias preocupado com o que nos espera em 2019. No América a diretoria entendeu a necessidade de uma guinada radical na gestão do futebol e contratou um executivo de futebol, mudou a comissão técnica e começou praticamente do zero. O ABC entendeu que o trabalho de Giscard Salton como o homem forte do futebol foi satisfatório e renovou o contrato dele, assim como fez com o treinador Ranielle Ribeiro. Diretoria alvinegra atestou que gostou do que foi desenvolvido no futebol alvinegro em 2018.

Contagem regressiva
Neste domingo começa de verdade a contagem regressiva para o Estadual 2019 que começa no dia 9 de janeiro com ABC x Globo; Potiguar x Palmeira e ASSU x Força e Luz. No dia 10 será complementada a rodada com Santa Cruz x América na Arena das Dunas.

Qualificação
A partir de 2019, a exigência da CBF para a Primeira Divisão do Brasileiro é que os treinadores estejam no mínimo matriculados na Licença A . São quatro aptidões para treinadores de futebol. Licença C para treinadores de escolas de futebol; B para categorias de base; A para clubes profissionais e PRO, o estágio final da formação. Objetivo da CBF Academy é a validação junto à UEFA e à FIFA, o que já acontece com os profissionais da Argentina. Só com as licenças expedidas pela CBF os treinadores brasileiros poderão trabalhar em clubes europeus.

Copa do Mundo 2022
Há alguns dias, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, que estuda ampliar de 32 para 48 o número de seleções na próxima Copa, falou da possibilidade da edição de 2022 ser organizada por vários países do Golfo. Caso a ampliação do número de participantes seja oficializada, a quantidade de jogos na Copa passaria de 64 para 80.

Catar não quer dividir
Infantino sugeriu uma co-organização do torneio para contribuir com a paz no Oriente Médio, mas a organização da Copa do Mundo não negociou com os países vizinhos por uma sede em conjunto para o torneio, garantem os seus responsáveis. O Catar nega apoiar grupos extremistas como acusam Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito.

Túnel do tempo
Do meu blog 31/05/2015: Colocar um clube como ABC ou América nos eixos do profissionalismo não apenas com dirigentes remunerados talvez não traga efeitos imediatos, na medida em que é necessário quebrar paradigmas, cortar vícios adquiridos ao longo de décadas de um modelo “me engana que eu gosto”. Os dois maiores clubes do RN passaram anos e anos vivendo às custas de abnegados, de dirigentes que destinam algumas poucas horas do dia para uma “passadinha” no clube, do médico que não tem condições de dar dedicação exclusiva, do advogado que muitas vezes perde uma audiência do clube para atender o escritório dele que é mais rentável e assim vai.

Túnel do tempo I
Profissionalizar um clube não significa que obrigatoriamente no primeiro ano este clube vai ganhar tudo, vai subir, vai ser campeão brasileiro ou coisa parecida, mas significa que a estrutura do clube está ficando mais sólida, mais forte e mais robusta.