Ações sustentáveis nas arenas da Copa do Mundo são apresentadas durante a Rio+20

Publicação: 2012-06-19 11:33:00 | Comentários: 0
A+ A-
Estádio Nacional de Brasília deve ter maior estrutura de captação de energia solar, enquanto Mineirão contará com reservatório de seis milhões de litros de água

Durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, as arenas da Copa do Mundo de 2014 serviram como exemplo de construções que adotam práticas relacionadas à preservação do meio ambiente. Das 12 sedes de partidas do Mundial que acontecerá no Brasil daqui a dois anos, dez já solicitaram a certificação LEED (sigla em inglês para Liderança em Energia e Design Ambiental), emitida pela organização não governamental Green Building Council (GBC).

O representante do GBC, Felipe Faria, ressaltou a atuação governamental no setor. O BNDES, por exemplo, desenvolveu duas linhas de crédito, a Procopa Turismo e a Procopa Arena, que atrelaram benefícios no financiamento ao compromisso da busca por uma certificação ambiental. “O governo está mostrando à iniciativa privada quais são as direções da construção civil no Brasil. Estamos otimistas para a Copa e para as Olimpíadas”, disse.

Na busca pelo “selo verde”, a reforma do estádio Mineirão, em Belo Horizonte, terá captação de água da chuva, que será enviada para um reservatório com capacidade de seis milhões de litros. Segundo Faria, o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, único projeto dentre as arenas da Copa que busca a mais alta das quatro certificações do LEED, contará com 9,6 mil painéis solares e vai se tornar a maior estrutura de captação de energia desse tipo no país, com capacidade instalada de gerar 2,5 megawatts de energia.

O diretor executivo da Ernest & Young, Alexandre Rangel, lembrou que na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, as viagens internacionais de avião corresponderam a 67% da pegada de carbono do evento. "Estamos trabalhando com os governos para pensar alternativas para o transporte", ressaltou.

O LEED é um sistema de certificação e orientação ambiental de edificações criado pelo Green Building Council, sendo um selo de reconhecimento internacional e utilizado em mais de 130 países no mundo, inclusive no Brasil. A pontuação que varia de 40 a 110, divide o selo em diferentes níveis: Básico, Silver, Gold e Platinum. Os critérios da certificação LEED no Brasil englobam seis itens: eficiência energética; uso racional da água; materiais e recursos; qualidade ambiental interna; espaço sustentável; inovações e tecnologias e créditos regionais.

* Fonte: copa2014.gov.br

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários