504, um queijo do Seridó ancestral

Publicação: 2017-12-01 00:21:00 | Comentários: 0
A+ A-
O sabor da tradição ancestral segue ainda mais valorizado em pleno século XXI. É o caso da Queijeira 504, cuja produção remete aos confins do Seridó de 1943, e que chega aos dias atuais com o mesmo padrão de qualidade do século passado. A queijeira potiguar foi agraciada em outubro deste ano com duas medalhas de bronze no 3º Prêmio Queijo Brasil, evento integrante do festival Mesa Brasil São Paulo, e que teve mais de 500 queijeiras brasileiras concorrendo entre si.

Verlandia de Medeiros Morais administra o negócio que seu avô começou há 74 anos. Para ficar mais perto dos consumidores natalenses, inaugurou um quiosque da Central de Agricultura Familiar
Verlandia de Medeiros Morais administra o negócio que seu avô começou há 74 anos. Para ficar mais perto dos consumidores natalenses, inaugurou um quiosque da Central de Agricultura Familiar

“Ganhar esse prêmio, que a gente entrou sem nenhuma expectativa, foi uma bela injeção de ânimo para continuar. Ficamos felizes e estimulados”, afirma Verlandia de Medeiros Morais, a atual administradora do negócio que seu avô começou há 74 anos. O produto, que continua sendo feito no mesmo lugar até hoje – uma área entre Serra Negra do Norte e a paraibana São José de Espinharas -, pode ser encontrando em Natal no box 5 do Centro de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária (CECAFES) do RN, em Lagoa Nova.

O queijo de manteiga é o símbolo da Queijeira 504, pois foi o produto que iniciou tudo na metade do século passado. Só depois vieram os outros produtos, como o queijo de coalho (e suas versões temperadas com salsa, pimenta calabresa, e alho), queijo frescal temperado com goiaba, manteiga do sertão, nata, doces de leite variados (com goiaba, coco, ameixa, castanha, granulado, morango, e cremoso), e castanha de caju (assada, desidratada, ou torrada). Os queijos são embalados à vácuo e refrigerados, como manda o figurino atual.

Acompanhada de melaço, a Cartola é feita com o queijo de manteiga símbolo da casa
Acompanhada de melaço, a Cartola é feita com o queijo de manteiga símbolo da casa

Marca romântica
Uma característica que atesta a tradição da queijeira é o numero 504 marcado em cada queijo. Era assim que o comerciante identificava seus produtos antigamente, ferrando com letra ou número.  O numeral, no caso, tem um motivo singelo: era o dia e mês de nascimento da avó de Verlandia, uma homenagem feita por seu avô. “Algumas pessoas estranham, mas eu considero um charme, um diferencial do nosso produto”, ressalta.

O avô de Verlandia tinha sete filhos. Dentre estes, só o pai dela topou continuar a produção. Ela mesma confessa que inicialmente não tinha interesse no negócio. Até que em uma viagem a Minas Gerais, teve contato com a rica produção de queijo artesanal daquele estado. “Fiquei apaixonada. E depois cai em mim, tinha tudo aquilo na minha terra e na minha família, e não valorizava. Voltei  e me integrei logo ao negócio”, conta.

A 504 foi agraciada com o prêmio Queijo Brasil no festival Mesa Brasil São Paulo
A 504 foi agraciada com o prêmio Queijo Brasil no festival Mesa Brasil São Paulo

A produção atual passou por algumas mudanças, mas poucas: o tacho agora é de inox, não de cobre, mas o forno continua à lenha. O processo do leite ao queijo continua o mesmo. “Até alguns fornecedores de leite são os mesmos que trabalhavam com meu pai há 40 anos”, ressalta Verlandia.

Serviço:
Queijeira 504. Av. Capitão Mor Gouveia, esquina com a Jaguarari, Lago Nova. Box 5 do CECAFES. Tel.: 99936-0528.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários