Cookie Consent
Artigos
8% da população já é adepta do movimento cooperativista
Publicado: 00:00:00 - 06/08/2022 Atualizado: 00:42:50 - 06/08/2022
Custódio Arrais
Presidente do Sicoob Potiguar

O movimento cooperativista chegou a marca de 18,8 milhões de pessoas associadas no Brasil. Isso representa 8% da população do país. Os dados são referentes ao ano de 2021 e estão no AnuárioCoop – Dados do Cooperativismo Brasileiro, publicado no final de julho pela Organização das Cooperativas Brasileiras (Sistema OCB). O crescimento de cooperados é 10% superior ao ano de 2020.

Os números mostram que o modelo de negócios cooperativista está conquistando cada vez mais a confiança da nossa população, revelando também que as cooperativas se tornaram essenciais na retomada da economia brasileira neste cenário de pós-pandemia.

Atualmente existem no país 4.880 cooperativas, divididas em sete ramos de atividades: Agropecuário; Crédito; Consumo; Infraestrutura; Saúde; Trabalho, Produção de Bens e Serviços; e Transporte. Muitas delas surgiram a partir da busca por melhores condições econômicas, sociais e de trabalho para os seus associados - afinal, esta é a razão de existir das cooperativas.

Diferente dos 70% das empresas no Brasil, que fecham as portas em menos de 10 anos de atividade, o cooperativismo se caracteriza pela solidez e sustentabilidade, já que, das 4.880 cooperativas existentes, 2.535 estão há 20 anos atuando no mercado.

O Cooperativismo de Financeiro, ramo a que pertence o Sicoob Potiguar, agrega a maior parte dos cooperados, cerca de 14 milhões de pessoas. O Rio Grande do Norte reúne três cooperativas nesse ramo, com mais de 18 mil associados, conforme os dados de 2021.

Em todo o país são 7.976 agências, configurando como a maior rede de atendimento do Sistema Financeiro Nacional. E para uma população de aproximadamente 4,16 milhões de pessoas, as cooperativas de crédito são a principal instituição financeira. Outro dado importante é que o cooperativismo de crédito gera mais de 89 mil empregos diretos, com investimento de R$ 5 bilhões nas despesas pessoais.

Entretanto, o impacto gerado pelo setor é muito maior. Em 2021, por exemplo, as sobras do resultado financeiro totalizaram mais de 10 bilhões. Ou seja, todo esse dinheiro foi injetado na economia local, por meio da distribuição entre os cooperados. Muitos empregos são gerados também a partir dos empréstimos e financiamentos concedidos aos associados com CNPJ. Com o aumento da produção, aumenta-se a geração de empregos e, com isso, desenvolve-se as comunidades em que as cooperativas estão presentes.

O cooperativismo financeiro tende a manter o mesmo ritmo de crescimento. A população está mais ciente dos benefícios do setor e dos ganhos que a comunidade obtém com a prosperidade de uma cooperativa. E o sucesso das cooperativas está diretamente relacionado a um modelo de negócio estruturado na construção coletiva, com trabalho colaborativo, onde todo o foco está nas pessoas.

* Artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte