Cookie Consent
Esportes
‘ABC negocia área para implantar a Cidade Alvinegra’, diz Bira Marques, presidente do clube
Publicado: 00:00:00 - 29/05/2022 Atualizado: 12:46:03 - 28/05/2022
A diretoria do ABC está aprontando a casa e promete dar mais um passo firme para expandir o patrimônio do clube através do projeto Cidade Alvinegra, que está em fase adiantada de negociação e deve ser implantado na área próxima a Coophab, em Parnamirim. Todos o trabalho desenvolvido com as bases alvinegras será transferido para esse novo centro de futebol, abrindo espaço para exploração comercial da área ocupada pelas escolinhas no terreno encravado na Rota do Sol. O presidente Bira Marques fala sobre essa questão na entrevista concedida ao Tribuna Esportes, na Rádio JP News, onde também tratou da questão do jogador Wallyson, que segundo comentários está sem jogar porque teria proposta para se transferir para outro clube e não quer atingir a margem de cinco partidas, que inviabilizaria esse tipo de transação. Além disso, reforça os planos do clube potiguar dentro da Série C, onde acredita estar seguindo no caminho certo para buscar mais um acesso com o apoio dos torcedores. 
Reprodução
Dirigente que possui planos de transformar terreno das escolinhas em um centro comercial na Rota do Sol, negocia área em Parnamirim para fazer o CT das bases

Dirigente que possui planos de transformar terreno das escolinhas em um centro comercial na Rota do Sol, negocia área em Parnamirim para fazer o CT das bases


O Campeonato Brasileiro é longo e sabemos que a preocupação financeira no ABC ainda é grande, então como estão as finanças do clube agora?
A situação do clube ainda é muito complicada, esse ano não é muito diferente, haja vista que já enfrentamos problemas no início do ano, por termos sido eliminados da Copa do Nordeste e depois na Copa do Brasil para o Altos. Foi uma eliminação que não estava na nossa mente, jogávamos em casa e por isso contávamos com a verbas para incrementar o nosso orçamento até o final do ano. Diante dessas circunstâncias, o nosso torcedor passou a ser nosso principal patrocinador. O número de sócios tem aumentado e acredito que com esse incremento poderemos chegar ao fim da temporada sem maiores problemas. A Série C, devido a Copa do Mundo, vai terminar em outubro, um pouco mais cedo, o que irá aliviar as contas"

Mesmo vivendo num ambiente de aperto financeiro, estão programadas a chegada de mais reforços para o time?
Nós contratamos em torno de dez jogadores para reforçar o nosso elenco, é importante qualificar mais o grupo uma vez que por ser uma competição longa e muito disputada costuma ocorrer muitos problemas de contusão ou suspensão. Então quando um atleta desse sai, é importante que você possua uma peça à altura para entrar na equipe. Pode ser que  surja uma oportunidade boa e a gente consiga trazer algum outro bom valor, mas posso garantir que hoje não estamos buscando nenhum nome no mercado. Porém, repito, se surgir uma grande oportunidade não iremos perder, assim como ocorreu com Henan, um jogador que acredito irá nos ajudar bastante dentro dessa Série C. A competição é bem nivelada e o importante não é jogar bonito, mas sim vencer.

Se reclamou bastante do estádio onde o ABC venceu o Atlético-CE, quais foram os principais pontos de desagrado?
O Campo era horroroso, não tinha a menor condição de abrigar uma partida de profissionais. O vestiário não abrigava toda delegação, não tinha água para tomar banho, apenas três chuveiros estavam disponíveis e os nossos atletas tiveram de deixar para tomar banho no hotel.

Como anda a questão de Wallyson, existe alguma teoria da conspiração? É verdade que o atleta não deseja completar o quinto jogo para ter condição de se transferir?
Wallyson é um atleta diferenciado, o ABC conta muito com ele, mas é necessário que o jogador esteja bem, em condições de dar o máximo para ajudar o clube. Quando ele não está conseguindo responder bem, não ajuda e o atleta é muito consciente disso. Ele vinha necessitando de uma carga extra de preparação, foi o próprio jogador que se dirigiu a comissão técnica e pediu para passar um período maior treinando, nós aceitamos e acredito que no próximo compromisso Wallyson já vai estar inteiro novamente.

Mas realmente existe alguma proposta para levar ele embora do ABC?
 Oficialmente não chegou, pode ter chegado ao conhecimento do atleta. Wallyson é um jogador de muita qualidade e é natural ele sempre receber alguma sondagem. Pode chegar tanto para ele quanto qualquer outro, mas é importante que a gente continue pensando no campeonato, porque se formos nos preocupar com as propostas que vão chegar, vamos acabar relaxando no planejamento da competição. Já recebemos propostas por outros atletas do elenco, mas vamos administrando essa situação.

Na situação que o ABC se encontra, o clube tem condições de realizar uma contraproposta para segurar algum atleta ou chegando essa proposta o clube será obrigado a liberar o seu jogador?
É muito difícil segurar pelo seguinte, quando surge alguém disposto a tirar um dos nossos atletas, não é nunca um clube da Série C ou D, são sempre clubes mais estruturados que disputam a Série B, o que já se torna um fator complicador.  Quem está numa série abaixo, quer sempre atuar nas Séries B ou A, é natural. Às vezes os jogadores aceitam ir recebendo até um pouco menos do que recebia aqui, mas acredita que lá o futebol dele terá uma visibilidade maior.

Como está o plano de sócio do ABC, continua em crescimento?
Normalmente a procura aumenta na semana de jogos importantes. Adimplente, atualmente temos quase 5.500 sócios, mas o nosso universo é de quase dez mil associados. O ABC está trabalhando com metas, primeiro queremos passar para segunda fase quando devemos agregar mais um determinado número de associados, depois colocar o clube entre os oitos melhores da Série C, que vai nos garantir o direito de disputar o acesso. Dentro desse universo, nossa esperança é bater a marca dos 11 mil sócios. Nós hoje dependemos do nosso quadro social. O torcedor comprou a ideia de um novo acesso.

Caso surja essa proposta por Wallyson, o ABC tem como responder a perda do seu principal jogador?
Não acredito que tenha ocorrido alguma proposta, existiu uma no início do ano, mas essa era para jogar fora do país e o jogador não aceitou. Também não acredito que Wallyson vá deixar o ABC para jogar em outro clube do país, a não ser que seja apresentada uma proposta muito boa mesmo. Caso não seja isso, o atleta irá continuar no ABC.

E com relação a Kelvin, que vem se apresentando como um dos jogadores mais importantes do atual elenco, há risco dele sair também?
Kelvin vem jogando muito bem, a camisa do ABC caiu como uma luva nele e vem recebendo várias propostas para deixar o clube. Com tanto interesse assim, nós estamos trabalhando a negociação e a renovação do contrato que temos com o jogador. Estamos otimistas em renovar esse vínculo por, no mínimo, mais uma temporada.

Como é o clima entre os jogadores do ABC, é bom? A relação da diretoria com o treinador, como é? Ele também parece que andou recebendo propostas para deixar o clube?
A pergunta é pertinente porque no ano passado o grupo se fechou em torno do objetivo final e acabou que conquistamos o acesso. Esse ano, jogamos muito mal contra o Botafogo-SP e, logo em seguida, ocorreu uma reunião dos atletas no vestiário que se cobraram bastante, porque não adiantava o clima fora de campo estar bem e dentro dele a equipe não resolver as partidas. Esse tipo de situação é importante porque mostra o empenho dos atletas em conquistar os objetivos, quando eles querem, a tendência são os bons resultados surgirem. Contra o Atlético-SE, a gente sabia que não ia ter jogo, mas eles deixaram claro que iriam entrar em campo preocupados exclusivamente com a vitória e foi o que aconteceu.

O que ocorreu após o jogo do ABC contra o Atlético-CE que o ABC perdeu alguns jogadores importantes para o jogo contra o Brasil-RS?
Quando começou a confusão, eu entrei no campo para tirar os jogadores do ABC daquele meio. Ocorreu a confusão, acho que foi com Jefinho, que deve ter dito algo para algum adversário e passou a ser visado pelos cearenses. Frente ao tumulto, o juiz deve ter optado por expulsar dois de cada equipe e pronto. 

Como o ABC trabalha a questão de Allan Dias, que ainda vai ficar um bom tempo em tratamento?
A torção que ele sofreu no clássico contra o América foi muito complicada, os nossos médicos optaram por não realizar uma cirurgia para resolver a questão, promovendo o tratamento convencional, que encurtaria o tempo de recuperação. Entramos na quinta semana de recuperação, o médico Roberto Vital falou em até seis semanas antes de liberar o atleta para o período de transição.  Mas para estar à disposição do nosso treinador, acredito que ainda vai levar uns 30 dias.

Qual a importância real do projeto Cidade Alvinegra para o ABC?
Esse projeto é da maior importância para o nosso clube, estamos trabalhando essa questão desde o ano passado, já temos um terreno apalavrado na cidade de Parnamirim para implantar o programa, situado na Cidade das Flores, próximo da Coophab. Realizamos a apresentação do projeto à prefeitura que foi bem aceito  e acredito que todas as partes vão sair vitoriosas.

Em que pé está o planejamento geral do ABC?
O planejamento do ABC é ficar sempre no meio do G-8 teremos compromissos importantes pela frente e necessitamos que a torcida se faça presente para jogar junto com o ABC. Não existem jogos fáceis nesta Série C, temos de buscar sempre fazer o dever de casa. O planejamento vem sendo seguido à risca e sofrendo algumas correções importantes, o melhor disso é que realmente a torcida está abraçando o ABC.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte