A alta costura sustentável de Julio César

Publicação: 2017-02-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Júlio César caminha pelo ateliê apresentando sua equipe ao mesmo tempo em que fala sobre um dos vestidos e casacos criados por ele. Simpático e dinâmico, apaixonado pelo que faz, o estilista mossoroense com 23 anos de experiência desata a falar sobre tecidos, costuras, cores, arte, tudo ao mesmo tempo. Formado em moda e modelagem pelo Fashion Institute of Tecnology (FIT), e com uma carreira toda construída em Nova York, cidade onde vive desde 1993, Júlio mantém há dois anos um estúdio em Natal, onde confecciona peças exclusivas para o público local e dos Estados Unidos.
Adriano AbreuHá dois anos o estilista inaugurou seu estúdio de trabalho em Natal. Mas só agora decidiu estrear um desfile em solo potiguarHá dois anos o estilista inaugurou seu estúdio de trabalho em Natal. Mas só agora decidiu estrear um desfile em solo potiguar

Em produção frenética desde o início do ano, o artista concluiu a sua mais recente coleção, a “W?ndering Soul”, voltada para o outono/inverno americano, onde as empresas que comercializam suas peças e a maioria de seus clientes particulares estão. Antes de partir para os EUA, Júlio lançará a coleção em Natal, estreando em solo potiguar. O desfile acontece nesta sexta-feira (10), a partir das 19h, na Pinacoteca Potiguar (Cidade Alta).

O mossoroense explica que o título da coleção é uma brincadeira com os termos “wandering” (vagando) e “wonderling” (imaginando). Em tradução livre, seria algo como “alma errante”, mas de significado aberto. Serão mostradas 40 combinações, todas autorais e produzidas em 2017. Além do desfile, haverá performances de dança e exposição de peças. “O objetivo do desfile é dividir com as pessoas daqui o que vemos da moda lá fora. Queremos que as pessoas saiam do evento estimuladas”, diz.

Depois de mais de duas décadas vivendo em Nova York, o estilista encontrou em Natal um lugar sossegado para desenvolver seus trabalhos. Agora ele se divide entre as duas cidades, alternando dois meses nos EUA e dois meses na capital potiguar onde atua no estúdio Júlio César Alta Costura, no Tirol. “Em Nova Iorque tenho acesso a inspirações do mundo todo, entro em contato com designers, mas para trabalhar tenho encontrado mais tranquilidade em Natal, onde tenho espaço mental para pensar e me dedicar totalmente às coleções”, conta o potiguar. Quando não está no estúdio, ele descansa em seu sítio em Nísia Floresta, onde cria 14 gatos, dois cachorros, três carneiros e 20 galinhas.

“O clima em Natal é muito bom. Em Nova York são ao menos seis meses de frio intenso. O tempo fechado de lá mexe com as pessoas”, diz. Ainda pouco inteirado da moda potiguar, Júlio tem encontrado em suas caminhadas pela cidade e nos passeios a praias vizinhas inspirações para novas peças. “Natal tem me inspirado pelas cores e tecidos, mas também pelas pessoas. Sinto o natalense mais doce e sensível. Nos grandes centros as pessoas acordam e dormem pensando em dinheiro, aqui é diferente, mais leve”.

O interesse pela cultura e pela arte em geral ele diz existir desde cedo. “Não sei bem como surgiu. Acho que nasci curioso para a arte”. As  roupas que produz, todas voltadas para o público feminino,  alia conhecimento técnico sobre vários materiais a ideias que encontra ouvindo música, visitando exposições de arte, fazendo caminhadas, observando as pessoas, a arquitetura, a relação entre o novo e o antigo que existe em vários países. “Mas do que visual, essas andanças dão inspiração emocional para se chegar a alguma ideia”, comenta.

No atelier ele trabalha com quatro costureiras fixas. Pelas paredes, estão espalhadas combinações de cores, estampas, recortes de revistas, anotações, croquis. Sobre a mesa, um amontoado de tecidos, botões, linhas, costuras em andamento. “Trabalhamos com a ideia de ser o mais livre possível. É bem laboratório. Ponho os tecidos sobre a mesa e vou compondo combinações antes de começar a cortar. Se tiver uma modelo por perto, testo nela para ver como fica o tecido no corpo”, explica. “No meio do processo também nos deparamos com imprevistos que nos levam a tomar outros rumos. É preciso deixar que isso aconteça para podermos chegar a algo novo”.
Adriano AbreuO artista mostra as peças mais pesadas da coleção outono-inverno de sua marca Julio César NYCO artista mostra as peças mais pesadas da coleção outono-inverno de sua marca Julio César NYC

SONIC FABRIC: FITAS-CASSETES QUE VIRAM ROUPA
Atento aos problemas do mundo contemporâneo, Júlio César, vem desde 2010 aliando criatividade e consciência ambiental na confecção de uma linha de vestimentas e acessórios com conceito sustentável. São chapéus, gravatas, bolsas, alças para guitarra e vestidos feitos com Sonic Fabric, um tipo tecido derivado de fita cassete reciclada trançada com poliéster – a tecnologia foi desenvolvida pela americana Alyce Santoro, parceira do potiguar no projeto.

Pioneiro na criação de produtos com esse material, suas peças são feitas em edições limitadas e fizeram sucesso nos Estados Unidos – em Natal o artista conta com gravatas e chapéus. Além de peças do vestuário, Júlio também confecciona almofadas e estofado para cadeiras exclusivas, tudo a partir de colagens de sobras de costura. Essa é a minha rotina diária. Criar e costurar. É trabalhoso, mas é divertido”, afirma.


O que
A coleção “Wondering Soul – Fall/Winter 2017" tem como referência as ruas de Nova York e de Londres. Outra inspiração foi a canção “River of Sorrow”, da banda de indie rock norte-americana Antony and The Johnson, composta em homenagem à ativista negra do movimento LGBT Marsha P. Johnson. Segundo Júlio César, a coleção é dedicada à memória do fashion designer Koos Van Den Akker e a todos os "outsiders" da arte.

Quem
Nascido em Mossoró, no RN, Júlio César estudou moda e modelagem no Fashion Institute of Tecnology (EUA), onde desenvolveu suas criações especialmente usando a técnica de colagem em tecido. Ele trabalha na área da moda há 23 anos e exibiu obras em museus como o The New Museum e o Schaumburg Center, ambos em Nova York. Também participou de desfiles ao lado de Rodney Vaugh Telford, Peter DeWilde, Christian Francis Roth, Koos and DeWilde.

SERVIÇO
Desfile da coleção “W?ndering Soul – Fall/Winter 2017", do estilista Júlio César. Dia 10 de fevereiro, às 19h
Pinacoteca Potiguar (Praça Sete de Setembro, S/N, Cidade Alta)

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários