Política
“Atribuir vinculação partidária à preferência do eleitorado do interior é temerário”
Publicado: 19:07:00 - 23/10/2017 Atualizado: 20:09:30 - 23/10/2017
Entrevista: Mardone França -  Diretor do Instituto Certus

Ao ampliar a pesquisa para todo o Estado, o Certus constata a liderança da senadora Fátima Bezerra para as eleições do governo. A que se deve esse resultado?

 De fato, agora se tem os resultados de uma pesquisa com representatividade para o universo do eleitorado do Estado, diferentemente da pesquisa só de Natal. A explicação para esta performance da Senadora do PT requer aprofundamentos. Não obstante, pode-se atribuir, grosso modo, uma repetição do que ocorreu na eleição que a  fez senadora, onde ela obteve votação expressivas no embate com sua concorrente, a ex-governadora Vilma de Faria. Pode-se atribuir como ponto decisivo para a Senadora Fátima sua atuação marcante para  a interiorização das Escolas Técnicas no Estado.
 
Júnior Santos
Mardone França

Mardone França


Mardone França, diretor do Instituto Certus, analisa a pesquisa

Leia Mais

A senadora lidera em todas as outras regiões do Estado, menos na Grande Natal. É possível concluir que o eleitorado do interior é mais petista que o da capital?
Atribuir uma vinculação partidária à preferência do eleitorado do interior é temerário. Eu atribuo, principalmente, a uma expressão de reconhecimento pelo empenho que Senadora demonstrou na obtenção de recursos para obras no estado, principalmente no interior. Ressalte-se, que ela usufruiu das benesse do governo Dilma que facilitou a vinda dos recursos e a beneficiou mais, que a outros parlamentares. Isso, pode ter feito e continua fazendo a diferença. Provavelmente, se um outro senador tivesse feito o que ela fez, receberia, também, o mesmo reconhecimento do eleitor o interior.
 
E os resultados obtidos pelo governador? Até mesmo na região de origem eleitoral dele, como Agreste e Trairi, ele está em terceiro, mas no Alto Oeste é o segundo. Como se explica?

 As pesquisas quantitativas mostram o "quantum" mas, não são boas para explicar tudo que mostram. Neste caso do Governador Robinson Faria não está bem na Região Agreste/Trairi e aparecer com bom desempenho no Alto Oeste, talvez uma sondagem qualitativa pudesse explicar. Porém, pode ter havido por parte do Governo, (eu não tenho estas informações), investimentos mais importante nos municípios do Alto Oeste que no Agreste/Trairi, fazendo o eleitor desta última ser mais severo com o Governador. Cabe aprofundar pontualmente a situação destas duas regiões.
 
Há dados convergentes entre essa pesquisa e a anterior, aplicada somente em Natal?

Guardando as devidas particularidades dos dois universos (Nata e interior) há sim, no atacado, uma convergência dos resultados.  Tanto em Natal como no interior, nos cenários em que entram o Prefeito de Natal e a Senadora do PT, eles disputam as duas primeiras posições. Em Natal, Carlos Eduardo aparece com certa vantagem, enquanto no interior a senadora lidera. Enquanto, o Governador nos dois espaços surge na terceira posição.
 
Porque, na pesquisa anterior e também nesta, a senadora Fàtima Bezerra não lidera na Grande Natal, se Lula lidera para presidente? Não há transferência de votos, na região metropolitana, mas pode-se dizer que essa transferência existe entre o eleitorado das regiões interioranas? E porque isso ocorre?

Uma resposta mais assertiva para estas indagações não é uma tarefa fácil para se responder com uma simples pesquisa quantitativa. Mas, podemos afirmar que o resultado da Grande Natal é fortemente influenciado pelo peso que Natal tem na amostra e, isso favorece o Prefeito, que queiram ou não, é a principal liderança da capital. Quanto ao ex-presidente Lula, as pesquisas realizadas mostram que ele lidera em todas as capitais do Nordeste e, não necessariamente, vinculam seus votos a outros candidatos do PT. Em relação aos votos de Lula e Fátima Bezerra a pesquisa não tem alcance para afirmar que é uma "transferência" pura e simples. Como já foi enfatizado, a senadora Fátima Bezerra tem grande liderança no interior, apesar do desgaste de seu Partido. Então, é até admissível, que ela é quem possa está transferindo voto para Lula. Na verdade, o que ocorre é uma "casadinha" que, por enquanto, está dando certo.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte