A borboleta voa

Publicação: 2010-12-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Nota publicada pela jornalista Joyce Pascovitch, em sua coluna da revista Poder (desta semana), de São Paulo, e transcrita no blogue da jornalista Laurita Arruda, de domingo,  dá a medida exata do que  passa pela cabecinha da prefeita de Natal. Confira a coluna de Joyce:

- Tudo indica que a prefeita de Natal, Micarla de Souza, tem uma quedinha muito especial por São Paulo.

- Ela aterrissa por aqui com bastante regularidade.

- Decola de Natal de madrugada, para manter sua privacidade, frequenta até altas horas os restaurantes estrelados da cidade e só circula em carro blindado.

- Seu motorista é um chofer de táxi que faz dupla jornada e recebe pagamento fixo por mês. De quem? Ao que tudo também indica, da prefeitura de Natal.

- Detalhe: dona prefeita não aceita que o tal motorista sirva a ninguém de sua família, para não ser acusada de uso indevido de verba municipal...”

Para o pessoal do Passo da Pátria que, certamente, nunca ouviu falar em Joyce Pascovitch. Trata-se de uma das mais bem informadas jornalistas do país. Assinou por muitos anos a crônica social da Folha de S. Paulo foi da revista Época  e integrou a equipe da Globonews. Atualmente, tem a sua própria revista “Revista Joyce Pascovitch” e mantém uma coluna na revista “Poder”. Antenadíssima com tudo que acontece por este mundo de meu Deus.

Como uma coisa puxa outra, passo do blogue de Laurita  Arruda para o blogue de Anna Ruth Dantas, com destaque na edição onlaine de Tribuna do Norte, ontem: “Prefeitura de Natal contrata empresa de consultoria por R$ 1,74 milhão.” Diz a notícia, na íntegra:

- A Prefeitura Municipal de Natal finalizou um processo licitatório no valor de R$ 1,74 milhão para contratar uma empresa de consultoria que irá oferecer a licença de uso de um “Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos e Folha de Pagamento”. A vencedora do processo foi a Consist Software Ltda, sediada em São Paulo.

O livro de Carlos Gurgel

Hoje, 21, noite de lua cheia, tem o lançamento do livro do poeta Carlos Gurgel, Dramática Gramática, a coisa acontecendo a partir das 21 horas entre os alpendres e salões da Bella Napoli, da Hermes da Fonseca, ares do Tirol. Todas as tribos estarão presentes. A galera beat, com certeza. Jack Kerouac e Allen Ginsberg confirmaram presenças. Aliás, o crítico Moacy Cirne já havia chamado atenção para esse sotaque beat na poesia de Carlos Gurgel:

“Há um quê de beat no poeta Carlos Gurgel. Mas  não nos apressemos: sua poesia parte de um certo modelo beat-contracultural e, a partir de elementos temáticos e textuais que conformam o seu imaginário liteterário, abre-se para o lirismo e o inesperado”.

Fala o poeta: bailo/ o tempo todo/ sílabas que me comovem// entro/ sempre que posso/ na fila/ de um parágrafo que bóia// findo como/ quem se estica/ como quem estivesse/ escrevendo pro vazio// e me/ vejo/ vagarosamente/ acertando acentos/ de uma eterna magia.

Vai ser uma noitada de performances universais no chão sagrado da Bella Napolli: récitas e recitais, música “sentimental e faiscante”, livro, cd, DVD, camiseta, poster, falas e vozes: por  aqui/ todos estão contentes/ com a bomba H/ um sorriso de uma flor que explode/ por entre sábados, supermercados e solidão humana.O livro de Carlos Gurgel Hoje, 21, noite de lua cheia, tem o lançamento do livro do poeta Carlos Gurgel, Dramática Gramática, a coisa acontecendo a partir das 21 horas entre os alpendres e salões da Bella Napoli, da Hermes da Fonseca, ares do Tirol. Todas as tribos estarão presentes. A galera beat, com certeza. Jack Kerouac e Allen Ginsberg confirmaram presenças. Aliás, o crítico Moacy Cirne já havia chamado atenção para esse sotaque beat na poesia de Carlos Gurgel:

“Há um quê de beat no poeta Carlos Gurgel. Mas  não nos apressemos: sua poesia parte de um certo modelo beat-contracultural e, a partir de elementos temáticos e textuais que conformam o seu imaginário liteterário, abre-se para o lirismo e o inesperado”.

Fala o poeta: bailo/ o tempo todo/ sílabas que me comovem// entro/ sempre que posso/ na fila/ de um parágrafo que bóia// findo como/ quem se estica/ como quem estivesse/ escrevendo pro vazio// e me/ vejo/ vagarosamente/ acertando acentos/ de uma eterna magia.

Vai ser uma noitada de performances universais no chão sagrado da Bella Napolli: récitas e recitais, música “sentimental e faiscante”, livro, cd, DVD, camiseta, poster, falas e vozes: por  aqui/ todos estão contentes/ com a bomba H/ um sorriso de uma flor que explode/ por entre sábados, supermercados e solidão humana.

Chuva

Final de semana com chuvas – boas chuvas – em vários pontos do Rio Grande do Norte. Chuvas caídas na sexta-feira e sábado, pegando principalmente a região Central: do Seridó ao Sertão do Cabugi. Em Acari, por exemplo, as chuvas de sexta e sábado somaram 100 milímetros. Na fazenda Barra do Cruz (município de Angicos), de Alexandre Wanderley, no meio da tarde de sábado choveu 70 milímetros. Chuva que alcançou vários outros municípios, incluindo Lajes.

Choveu em vários pontos do Potengi. Muita chuva em São Tomé, passando dos 60 milímetros. Chuva vista na direção de Cerro Corá e também em pontos do Trairi.

Não é pegada do inverno, dizem os meteorologistas, estribados em estudos apontam o seu começo em nosso Estado para fevereiro. Estudos esses, aliás, que concluem por um ano de inverno normal em 2011. Essas chuvas de agora, animadoras que somente elas sabem ser e que deixam em festa a alma do homem do interior, são consequências dessas convergências tropicais que acontecem por estes céus  nordestinos.

Nos sertões do Ceará, por exemplo, chove há duas semanas seguidas. Ontem,  choveu em todas as regiões do Estado. Santas convergências, que fazem riachos acordarem e pintam de verde de variados tons as matas da caatinga, como o verde neve das juremas. O chão se cobrindo da babugem anunciadora.

Várias vias

Assumiu, ontem, o novo superintendente estadual do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), senhor Ézio Gonçalves. O diretor executivo, José Henrique Coelho, veio de Brasília. O deputado João Maia não compareceu.

Chico Ribeiro

Morreu, ontem, o empresário Chico Ribeiro, um dos pioneiros na área do empreendimento imobiliário em nosso Estado, corretor, líder de sua categoria. Também exerceu outras  atividades no comércio (setor de seguros) e na  pecuária, onde se destacou como criador e selecionador de cavalos da raça  Puro Sangue Inglês(PSI). É sogro do economista  José Ferreira de Melo Neto, diretor superintendente do Sebrae no Rio Grande do Norte. Chico Ribeiro tinha 82 anos e foi sepultado no fim da tarde de ontem no Cemitério Morada da Paz, em Parnamirim.

Governo

Anunciados os 11 primeiros nomes do Secretariado de Rosalba Ciarlini. Nenhuma surpresa e um espanto. O espanto fica por conta da indicação do nome do ex-deputado baiano Benito Gama para a Secretaria de Indústria e Desenvolvimento. Paulo de Tarso Fernandes confirmado na Casa Civil, Manoel Pereira (Administração), Francisco Obery Júnior (Planejamento e Finanças), Robinson Faria (Recursos Hídricos), Gilberto Gales (Assuntos Fundiários), Alexandre Mulatinho (Assessoria de Comunicação), Tatiana Mendes Cunha (Consultora Geral), Miguel Josino (Procurador Geral), Eledel Bessa (Ceasa) e Maria Bernadete Cordeiro de Souza (Fundação de Pesquisa). Faltam 14

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários