"A comida é como as pessoas: tem nome, história, apelido, pátria", diz Ana Suassuna

Publicação: 2017-05-26 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A movimentação de Pipa em torno da culinária já é conhecida e pode ser saboreada todos os dias. Uma cultura que também merece uma degustação teórica, e que será discutida durante o 1º Simpósio Gastronômico da Pipa, sexta e sábado, no centro de convenções do Hotel Pipa Atlântico. Sob o tema “Gastronomia é Negócio”, o evento reunirá empreendedores, escritores, jornalistas, administradores e professores para falar sobre suas experiências próprias e os diversos potenciais da gastronomia. “O foco será a economia criativa e o que pode ser aplicado na região”, comentou o curador Paulo Machado.

O time de convidados dará uma ideia abrangente do meio culinário e sua diversidade. A palestra de abertura será com o chef e empresário Paulo Machado, falando sobre o projeto 'Food Safari', que alia turismo e gastronomia no Pantanal; Vitória Barros, que comanda a produção de queijos especiais de Campos da Serra (PE); a especialista em café, Cristiana Couto, de São Paulo; e a crítica de gastronomia e vinhos uruguaia, Marcela Baruch; Felipe Caran, do restaurante Casa do João, em Bonito (MS), falará sobre cultura sul-matogrossense; Sênia Bastos, professora do Mestrado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi; o chef e professor Maurício Lopes, e Carlos Domingues, gerente de marketing da São Braz. Também haverá lançamentos de produtos, como a Vodka Purple, produzido em Portugal, e participação de professor da Faculdade de Gastronomia de Nazaré, Portugal.

Obra de Ana Suassuna desperta interesse na cozinha do sertão
Obra de Ana Suassuna desperta interesse na cozinha do sertão

Uma das palestras mais aguardadas será no sábado, às 18h, com a professora e escritora Ana Rita Dantas Suassuna, que falará da relação entre  gastronomia e arte. Ana é prima de Ariano Suassuna e já foi premiada com o Jabuti (maior prêmio brasileiro de literatura) em 2011 pelo livro “Gastronomia sertaneja: receitas que contam histórias”. É uma referência em pesquisa e resgate da culinária sertaneja. Ela falou por telefone ao FDS sobre as iguarias do sertão, cultura, e história. Deguste:

Como será sua palestra no simpósio em Pipa?
Eu defini como uma “salada cultural”. A gastronomia tem um na cultura maior do que se imagina. Ela vai além da cozinha e se relaciona com a música, a poesia, e a literatura. A gastronomia possui uma transversalidade impressionante e é agregadora. Vou falar sobre o cotidiano dos nossos alimentos, sobre o que nossos poetas, músicas e escritores registraram sobre a nossa comida.

Há lugares mais representativos da culinária nordestina na região?
Acredito que o Rio Grande do Norte é um dos mais preservam suas tradições. Vi muito isso em Caicó, por exemplo. Preservam os ingredientes, as receitas e os processos de preparação. Destaco também Ceará e Pernambuco. Muita coisa está modificada, mas a essência ainda resiste. O semi-árido no geral resiste.

A culinária regional está sendo devidamente valorizada?
Está sim. Parte disso graças aos cursos gastronômicos atuais, que ressaltam a importância da cozinha de raiz sertaneja no contexto geral. O meu próprio livro despertou muito interesse, ganhou prêmio, e fiz muitos trabalhos no sudeste sobre ele. Nós conseguimos levar muita informação.

Baseado no título de seu livro: quais histórias a gastronomia sertaneja conta?
Muitas! É de uma riqueza enorme. A comida é como as pessoas: tem nome, história, apelido, pátria, região. As histórias vão acompanhando. Por exemplo, é comum no Nordeste os pratos mudarem de ingredientes e nome conforme os períodos de escassez. O munguzá, por exemplo, numa época de seca foi apelidado de “chá de burro”, por ter muito caldo e poucos grãos. É tradição oral que se conserva com o tempo.

A industrialização e a gourmetização prejudicam a cozinha sertaneja?
Depende. Há uma evolução cultural inevitável em tudo. Mas há uma consciência geral de que se a gente preserva o que é nosso, melhor nos alimentamos. Teremos alimento barato, preservado, e de melhor qualidade, sempre.

Serviço:
I Simpósio Gastronômico da Pipa. Sexta e sábado, no Hotel Pipa Atlântico. Palestra de Ana Rita Dantas Suassuna será no sábado, às 18h. Inscrições e programação no site festivaldapipa.com.br


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários