A Copa pode explodir

Publicação: 2011-09-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
É uma das manchetes mais comentadas do final da semana: “Custo da Copa do Mundo de 2014 corre o risco de explodir”. Divide a glória com a manchete do de segunda-feira:  “Enem reprova 63% das escolas do Brasil”. É a falência da educação, lá se vão nove anos seguidos do governo do PT. A notícia destaca que oito em  cada dez escolas públicas ficaram abaixo da média do último Exame do Ensino Médio. Mas vamos começar abrindo a porteira para a Copa de 14, que já foi denunciada pelo Ministério Público Federal: Os projetos são falhos e falta transparência aos números. Quer dizer: não se sabe mesmo quanto a Copa vai custar. Na Folha de S. Paulo está contada a seguinte história:

- O custo da Copa de 2014 pode repetir o problema do Pan-Americano do Rio de Janeiro de 2007, quando o valor do evento superou em 10 vezes o orçamento original.  A menos de 3 anos para o Mundial, o país ainda não tem as contas fechadas para o campeonato.

- O Portal da Transparência do Governo, montado pela Controladoria-Geral da União, diz que a Copa custará R$ 23,4 bilhões. A ABDIB (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base), que tem acordo de cooperação técnica com a CBF e o Ministério do Esporte, trabalha com outros números.

- Estima em R$ 112 bilhões o custo total da Copa e em R$ 84,9 bilhões, se considerado o recorte feito pelo Portal da Transparência, com cálculo incluindo só os aeroportos, portos, segurança, arenas e mobilidade urbana.

- O Ministério Público Federal acha que essa situação conduz o país ao risco de uma explosão de custos.

Mas, prestando bem atenção às coisas, ninguém está dando muita bola para o que o MPF aponta. O brasileiro é doido por outros tipos de bola. Tem a de couro (ainda é de couro?) e a sonante, de preferência verde. O som verde é um encanto que encanta a turma das arquibancadas e à galera dos camarotes.

O fracasso na educação

Vinha de Queimadas e no rádio do carro ouço a notícia da CBN sobre o grande fracasso no ensino das escolas públicas brasileiras: “Oito em cada dez escolas ficaram abaixo da média do último Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Os dados são oficiais, divulgados pelo Ministério da Educação”.

O cálculo – acrescenta a informação – considera as escolas em que, pelo menos, 25% dos alunos participaram do exame. Entre as escolas particulares, 8% não conseguiram superar a média nacional. Ou um décimo do índice verificado nas escolas da rede pública.

Segundo ainda a informação do MEC, a média geral dos estudantes do último ano do ensino médio foi de 553,73 pontos numa escala de 1.000. A nota considera o desempenho tanto nas provas objetivas quanto na redação.

A CBN enfatiza:

- A diferença em rede pública e privada é um desafio para o sistema brasileiro de educação. O Enem 2010 apresenta novos dados sobre o problema. Das 20 escolas com maiores médias, 18 são particulares e duas vinculadas a universidades federais. Na outra ponta, todas as 20 piores são escolas públicas, assim como as 100 unidades com notas abaixo.

- Entre as mil escolas com as piores médias, 995 são públicas: apenas cinco privadas.

Fracasso potiguar

O Nordeste aparece na rabada do Enem. E na esteira dessa rabada o Rio Grande do Norte não conseguiu se sobressair. No ensino público, a melhor escola do Estado fica na cidade de São Miguel, na “tromba”,  Escola Estadual Gilney de Souza, com um pouco acima da média nacional: 577,04 pontos. Está em 6.711º lugar.

Entre as escolas particulares, o destaque foi para o CEI, unidade da rua Romualdo Galvão, em Natal.  Somou 683,29  pontos, alcançado o 192º lugar.

Salário atrasado

No reboque das notícias do Enem, tem  a de que a Prefeitura de Natal (sempre ela) não paga os  salários dos professores contratados para a sua rede de ensino há mais de três meses.

Livro

Diógenes da Cunha Lima autografará, a partir das 18 horas de hoje,  na Siciliano, do Miduei, o seu livro Natal uma Nova Biografia. Tem prefácio de João Faustino Ferreira Neto, e orelha do acadêmico Marco Lucchesi.

No Potengi

Ainda chove pelo Potengi. Noite de sábado, no começo do show de Roberto Carlos, em Jerusalém, televisão ligada, passou  um chuvisco por Queimadas. Os gansos fizeram o maior alvoroço. Na mesma hora, trinta quilômetros adiante,  na cidade  São Tomé, a chuvinha quase atrapalha o show de Reginaldo Rossi. Praça cheia. Como faz em todas  suas apresentações, Reginaldo prestou uma saudação aos cornos. Aplaudidíssimo.

A boa nova de Queimadas é que suas craibeiras começaram a florir em amarelo ouro velho.

Oswaldo Lamartine

Há a boa notícia de que o médico Sérgio Lamartine, sobrinho de Oswaldo Lamartine de Faria, está à frente de um projeto para reeditar a obra completa do grande tio escritor.  Ao lado dele, com o mesmo facho, o escritor Paulo Bezerra, sucessor de Oswaldo na Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários