A crônica de Berilo

Publicação: 2016-07-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Cai na bacia das almas uma crônica de Berilo Castro, o médico, o cronista, o craque de futebol. Jogando o mesmo bolão nas três. O mote de seu escrito é um outro cracão – Otávio Lamartine de Paiva, conhecido em todas as peladas de futebol de rua, de beira de praia ou dos gramados do Tirol e depois nas quadras cobertas onde cresceu o futebol de salão, por Peninha. Título da crônica: “Amigo para sempre – Otávio Lamartine Paiva”. Vai na íntegra:

“Existem pessoas que nascem com a marca da empatia estampada em suas faces, além de serem revestidas de uma naturalidade e simplicidade invejáveis. Foi assim, com essa simpatia, com essa sintonia, com esse carisma do bem que conheci na década de 1950, Otávio Lamartine Paiva (1940-2008), na intimidade conhecido como Tavinho/Peninha.

“Morava na avenida Rodrigo Alves, no bairro do Tirol, com seus largos espaços e forte areal que facilitavam a atividade esportiva da meninada – as peladas de futebol de rua. A diversão maior na época.

“Bem em frente à sua residência criamos o nosso melhor campo de peladas, onde eram disputados os grandes embates e as acirradas pelejas. Foi nesse cenário de uma infância liberta e da prática do futebol pelada que Peninha logo se destacou.

“Garoto de baixa estatura, franzino, de uma habilidade e destreza com a sua perna esquerda que chamava à atenção de todos. Sempre um dos primeiros escolhidos nas divisões das equipes.

“O seu destaque no campo de areia chamou atenção daqueles que tinham a missão de “olheiro” e, por isso, logo foi visto e fisgado pelo observador e catador de craques mirins, Zé Negrinho, que o levou para a equipe infantil – o Abczinho, chegando à equipe juvenil do ABC FC.

“Por ser de família nobre e política, os Lamartine, não viam com bons olhos o envolvimento de um dos seus rebentos com a prática do futebol. Existia sim o preconceito com o esporte bretão na época. Assim sendo, não houve progresso na caminhada do habilidoso e promissor atleta que teve que abandonar o futebol.

“Anos depois (1960), a cidade de se viu encantada e deslumbrada com a prática do Futebol de Salão. Uma nova modalidade puramente amadora na época. Foram criadas belas e fortes equipes: ABC, América, Bola Preta, Aero Clube, com disputas em campeonatos sensacionais, elevando e propagando a modalidade para o Brasil inteiro.

“Otávio foi, sem dúvida, uma de suas maiores estrelas, figurando tanto na equipe do ABC (1960-1963) e depois na vitoriosa equipe do América. Fez parte da famosa e bem armada seleção do Rio Grande do Norte (1965) que disputou o certame nacional com destaque e elogio da imprensa esportiva brasileira.

“A família tinha seu refúgio interiorano no município de Monte Alegre, onde Otávio costumava formar, com a participação do querido amigo e bom jogador de futebol Janilson (Caveirinha), ex-prefeito de São José de Mipibu, uma boa e forte equipe para disputar jogos amistosos com os times que disputavam o campeonato da Cidade. Tive o prazer e a alegria de ser sempre convocado para compor o bom e vitorioso elenco interiorano. Nos domingos, a cidade se transformava. Era só alegria, era só festa.

“Depois de pendurar os tênis do Futebol de Salão, uniu-se aos amigos “peladeiros”. Voltamos a nos encontrar nos sábados à tarde, praticando o futebol recreativo, estreitando ainda mais o nosso laço de amizade.

“O tempo foi passando, a idade avançando e suas consequências danosas começaram a surgir e ocupar os seus espaços. Veio a doença e com ela o seu afastamento das atividades esportivas e também o seu distanciamento do grupo de amigos.

“Finalmente, no dia 13 de dezembro do ano de 2008, Otávio faleceu. Partiu para o mundo dos bons e dos justos, deixando um vasto legado de paz, de amor ao próximo e de muita lealdade. Uma bela e unida família que representa com orgulho e dignidade a figura humana e querida de Otavio Lamartine Paiva, o nosso inesquecível Tavinho/Peninha.

“Do seu amigo para sempre, Berilo”

Na Academia
Segunda-feira, 18, tem a posse do jornalista Cassiano Arruda na Academia Norte-Riograndense de Letras. Sucederá a Agnelo Alves na cadeira nº 4 que tem como patrono o poeta Lourival Açucena. A saudação ao novo imortal será do também jornalista e acadêmico Vicente Serejo. A solenidade está marcada para ás 20 horas.

Três dias depois, 21, a Academia ganhará novo imortal com a posse do poeta Jarbas Martins. Vai ocupar a cadeira de nº 20, cujo patrono é a poeta Auta de Souza. O último ocupante foi o professor José Hermógenes de Andrade Filho.

Numa semana a ANL ganha três novos imortais: Lalinha Duarte Barros (empossada quarta-feira, 13), Cassiano Arruda e Jarbas Martins.

Livro  O poeta Janduhi Medeiros, seridoense de boa cepa, lança no dia 29, em Caicó, o seu novo livro, A Pedra da Cruz, que é o seu primeiro romance. Conta da influência judaico-cristã na formação do povo do Seridó.

O lançamento será no Bar da Noiva, ainda no rastro dos festejos de Santana. O prefácio é do historiador e também poeta Muirakytan Kennedy de Macedo.

Política  Na corrida da eleição municipal de São Paulo, o atual prefeito Fernando Haddad aparece em quarto lugar. É o que revela pesquisa do Datafolha anunciada ontem. O petista tem apenas 8% das intenções de voto.

Quem está em primeiro lugar é Celso Russomano, do PRB, com 25%, seguido da senadora Marta Suplicy, do PMDB, que tem 16% das intenções de voto. O terceiro lugar é da ex-prefeita Luiza Erundina (Psol), com 10%. O candidato tucano João Dória é o quinto, com 6%.

A pesquisa revela ainda que a administração do prefeito Haddad tem apenas 14% de aprovação da população paulista. A sua rejeição (“ruim e péssima”) chegou aos 48%.

Chuva  Não choveu no Rio Grande do Norte de quinta-feira para o amanhecer de ontem. Semana fraquíssima. Tarde de ontem em Natal: céu azul, sem nuvem, parecendo o verão de dezembro.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários