A figurante inesquecível

Publicação: 2021-02-24 00:00:00
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com 

Na penumbra do mundo de glamour do cinema, por trás dos holofotes, longe das câmeras de Hollywood, há muitos sonhos destruídos, episódios sórdidos, carreiras efêmeras e talentos que se dissolvem no ar da noite para o dia, artistas que jamais experimentaram a glória, mesmo por um tempo breve. Nas madrugadas insones, viajo pelo espaço digital do YouTube assistindo velhos filmes, alguns clássicos, como num ritual de reverência retroativa às estrelas.

É certo que há também, em grande quantidade, grandes astros que brilham por algum tempo, mas que a escuridão dos traumas e das angústias pessoais acabam apagando a luminescência profissional. Tem figuras como a atriz Grace Lee Whitney, a bela loirinha que no distante 1966 conquistou a geração Star Trek na pele da ordenança Janice Rand, que assessorava o Capitão Kirk.

Contracenando com William Shatner, o eterno líder da aventura espacial, e mesmo aprovada pelos fãs do épico seriado de Gene Roddenberry, logo foi sendo empurrada para os corredores e o fundo de cena da nave Enterprise. 

Tímida e discreta, Grace Lee tinha então 36 anos naquele tempo de televisão em preto e branco no Brasil. Não sei os motivos da evaporação gradual do seu papel, principalmente para os fatos cenográficos e reais ali expostos. 

Mas sei hoje que a paquera entre o capitão e sua ordenança contaminou os artistas Shatner e Whitney. Coisas da vida imitando a arte. Ele próprio concordara em reduzir a presença de Janice Rand perto de James T. Kirk.

A vida real de Grace era um buraco negro de sentimentos contidos, que não escapavam para o mundo lá fora. Tudo só veio à tona em 1998, quando ela aos 68 anos publicou sua autobiografia, revelando as feridas de juventude.

E eram feridas sem qualquer cura, provocadas também por sonhos que nunca conseguiu realizar. No auge da participação em Star Trek, ela encarou uma dura jornada de assédios no ambiente de trabalho, por chefes indecentes.

O cúmulo da amargura foi quando um dos produtores da série a estuprou no próprio set de filmagens da rede de televisão NBC. Isto somado à revelação de que era filha adotiva (fato doloroso desde os 7 anos) foi um choque estelar.

Depois do estupro, sua batalha se dividiu em manter o emprego, fazer terapia contra depressão e tentar escapar do vício do álcool e das pílulas de dieta para segurar de pé o corpo sedutor. Mas foi demitida 24 horas após ser violentada.

Grace Lee merecia um destino de êxito profissional e de equilíbrio pessoal; já buscava o mundo artístico aos 3 anos cantando na luz da geladeira e estreou nos palcos ainda adolescente, chegando depois no glamour da Broadway. 

Os primeiros passos no cinema foram num filme de Billy Wilde e na série Gunsmoke, que ainda é encontrado no YouTube. Em 1976, quando se recuperou do álcool e administrou os traumas, procurar Gene Roddenberry. 

O criador de Star Trek a colocou nos filmes sobre a saga. A série já havia parado desde 1969 e ela retorna na versão das telas, mas não conta com o apoio moral dos colegas, apenas de Leonard Nimoy, intérprete do Dr. Spok.

Em seu livro, conta sobre os ataques sexuais sofridos pelas atrizes naqueles anos. Tornou-se uma voz presente nos eventos sobre Star Trek, interagindo com os fãs, e manteve uma forte amizade com Nimoy, o prefaciador da sua autobiografia. Morreu em maio de 2015, pouco tempo depois do velho amigo.

Créditos: Divulgação

Politicagem
Já disse aqui que a ideologização da ciência é tão negativa quanto a da religião. Quem empresta notoriedade para dizer que infectados haviam tomado Ivermectina, esquece que quem usa máscara e álcool gel também é afetado.

Eficácia
No país da piada pronta, aqueles que defendem o sistema político mais ineficaz da história (o comunismo), são os mais radicais em apregoar que o remédio X não tem efeito ou que a vacina Y é mais eficaz que a vacina Z.

Pânico
Na reunião de segunda-feira do Conselho Regional de Medicina, da Paraíba, o auditório era um clima só de pânico dos profissionais. A soma do cansaço no combate ao Covid e a histeria do governo local com as novas restrições.

Crise
Quando tudo isso passar (vai ter que passar), quero ver se os sobreviventes do comércio, serviços, turismo e entretenimento terão ainda alguma empatia com seus carrascos ao longo dos últimos doze meses. Que virá da dor do bolso?

Petróleo
Quando eu era menino, sonhava ver da janela a chegada dos discos voadores atingindo vaidades e crenças humanas. Hoje, só quero observar a fila se formando na bolsa com Exxon, Royal Dutch, Chevron, Total AS e Petrochina.

Reforma
Neste começo de 2021 faz 50 anos que o governador Cortez Pereira realizou uma reforma administrativa, encaminhando a proposta à Assembleia em maio de 1971. Criava a Secretaria de Governo e a Secretaria de Administração.

Secretarias 
Há meio século, a Tribuna do Norte e o Diário 
de Natal noticiavam que Ney Lopes de Souza assumiria a 
Secretaria de Governo (saindo da Casa Civil) e Maia Neto 
deixaria a assessoria pessoal de Cortez para chefiar a Casa Civil.








Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.