Água do São Francisco

Publicação: 2018-10-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
No meio do tiroteio das notícias pesadas com acentuado sotaque político, incluindo as tais “falsas” (‘fake news’), acabo de ler uma notícia boa, principalmente para os nordestinos que vivem nos sertões secos.  O IBAMA autoriza licença para a operação do primeiro eixo da Transposição do Rio São Francisco, o Leste, coisa que vinha se arrastando por mais de oito anos como gosta de fazer a chamada burocracia oficial, marca forte do Brasil de todos nós. A notícia foi publicada no jornal Estado de S. Paulo.  Não sei se vai dar tempo para os dois candidatos incluírem o fato novo em seus discursos. A campanha eleitoral termina amanhã. Ufa!

A boa nova começa assim:

- Depois de oitos de atraso em seu cronograma original, o primeiro eixo da Transposição do São Francisco finalmente recebeu licença de operação, documento fornecido pelo Ibama que autoriza, oficialmente, o funcionamento do sistema de entrega de água na região Nordeste do País.

- A licença de operação (LO) foi concedida para o chamado “eixo leste” da transposição, rede que começa na barragem de Itaparica, no município de Floresta, Pernambuco, e avança por 217 quilômetros, cortando municípios do interior de Pernambuco e Paraíba. ”

O tal Eixo Leste já passou por dois municípios de Pernambuco (Sertânia e Floresta) e 32 da Paraíba, entre eles Monteiro, Campina Grande, Queimadas, Lagoa Seca, Alagoa Nova, Soledade, Juazeirinho, Seridó, Cabaceiras, Sumé, Gurjão (parede meia com Taperoá de Manelito), São João do Cariri, por aí. O Eixo Leste foi projetado para levar água para cerca de 4 milhões e 500 mil pessoas naquelas partes de Pernambuco e Paraíba, número que ultrapassa folgado a população do Uruguai.

Lembrando que foi em abril do ano passado que as águas do São Francisco chegaram ao reservatório de Epitácio Pessoa, que fica no município paraibano de Boqueirão, que faz divisa com Campina Grande e Cabaceiras. Deu um alivio danado de bom para o abastecimento de Campina Grande. As obras da transposição começaram em 2007. Volto à matéria do Estadão.

- As obras da transposição tiveram início em 2007. A previsão era concluí-la em 2010, mas o atraso tomou conta de todo o empreendimento, que acabou envolvido em acusações de superfaturamento e falhas do projeto. A previsão original era de que a obra custaria R$ 4,5 bilhões. Até o ano passado, os investimentos já passavam de R$ 8,2 bilhões.

- O Eixo Leste é a parte menor do projeto. O governo ainda trabalha na conclusão do Eixo Norte. A calha tem 477 quilômetros de extensão em direção do Ceará, passando pela Paraíba e Rio Grande do Norte. Este segundo eixo vai beneficiar cerca de 7,1 milhões de habitantes de 223 municípios. Segundo informações do Ministério de Integração, a obra pode ser concluída ainda este ano. Em fevereiro, foi acionada a estação de bombeamento de tomada de água desse eixo, no município de Cabrobó, Pernambuco. A água, que segue pela calha por gravidade, tem avançado para os reservatórios e estações elevatórias seguintes. ”

As águas do São Francisco chegarão ao Rio Grande do Norte através do Rio Piranhas-Assu.

Política
Deu na coluna BR18, do Estadão:

- O presidente da União Democrática Ruralista e cotado pare assumir o Ministério da Agricultura em caso da vitória de Jair Bolsonaro, Luiz Antonio Nabhan Garcia, indicou nesta quarta, 24, que não deve mesmo haver a fusão da pasta com a do Meio Ambiente.

- “Não seremos inflexíveis. Talvez Meio Ambiente não seja fundido com Agricultura”, disse o conselheiro presidencial. O possível recuo vem sendo estudado há semanas após críticas do setor e, também, análise de riscos comerciais internacionais.

Débora premiada
A querida professora natalense Débora Araújo Seabra de Moura é premiada mais uma vez, juntando nova láurea à sua rica coleção. Desta vez foi o Prêmio Claudia – 2018, já na sua 23ª edição, que ocorreu segunda-feira em São Paulo numa parceria com a Natura, solenidade realizada na Sala São Paulo.

Debora concorreu na categoria “Trabalho Social”. O prêmio tem várias categorias: Políticas Públicas, Ciências, Cultura, Negócios, Eles por Elas. No primeiro semestre Debora foi entrevistada aqui em Natal pela jornalista Giuliana Bérgamo, da Revista Claudia, por ser a primeira professora brasileira com síndrome de Down e autora de um livro infantil. Estava escrita no concurso.

Começo de outubro era uma das três finalistas da categoria, disputando com Mônica Cirne Albuquerque, fundadora do Instituto Movimento & Vida, e com Cinthia Rodrigues, coordenadora do Quero na Escola, plataforma que trabalha com várias atividades extracurriculares.

Na noite de segunda-feira, solenidade comandada pela jornalista Ana Paula Padrão, o nome de Débora foi anunciado como vencedora. Subiu ao palco, recebeu o prêmio das mãos da escritora Ruth Rocha, falou de improviso e disse que dividia o prêmio com “a família, pais, irmão e cunhada, tios, primos, amigos e com as pessoas com síndrome de Down”.
Beleza!

Tomate 
O preço do tomate voltou a disparar nos supermercados natalenses, me dizia ontem, na caminhada matinal pelo Barro Vermelho, dona Lourdes Rocha Veiga. Mês passado o preço do quilo era de R$ 3,50. Agora está valendo R$ 6,70.

Domingo tem eleição. Tomate neles.

Livro 
Almoçando ontem na confraria do Lula Restaurante, Manoel de Medeiros Brito, firmíssimo os seus 90 anos, comunicou que o lançamento de seu livro de memórias, Tempos Marcantes, previsto para o mês de novembro, foi adiado para o começo do ano que vem.

Ziraldo 
Outra notícia positiva que leio na coluna de Ancelmo Gois, de O Globo: ]

- Ziraldo, o grande cartunista que completa hoje (ontem) 86 anos, teve alta, ontem do Pró-Cardíaco, em Botafogo. Em 26 de setembro, ele foi internado após sofrer AVC hemorrágico. Viva ele!




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários