Cookie Consent
Brasil
Águas do rio São Francisco chegam hoje ao RN; entenda transposição
Publicado: 00:00:00 - 09/02/2022 Atualizado: 07:12:53 - 09/02/2022
Após mais de 13 anos do início das obras, os eixos Leste e Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco estão concluídos e as águas da transposição finalmente chegarão ao Rio Grande do Norte. O evento de chegada das águas, na cidade de Jardim de Piranhas, a 300 quilômetros de Natal, na região do Seridó, ocorre no final da manhã desta quarta-feira, 9 de fevereiro, com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, de prefeitos, vereadores e políticos da região do Seridó.

Dênio Simões/MDR
Águas do São Francisco vão seguir pelo leito do rio Piranhas-Açu, que se tornará perene. No Rio Grande do Norte, a água chega primeiro à Barragem de Oiticica e, em seguida, à Armando Ribeiro Gonçalves

Águas do São Francisco vão seguir pelo leito do rio Piranhas-Açu, que se tornará perene. No Rio Grande do Norte, a água chega primeiro à Barragem de Oiticica e, em seguida, à Armando Ribeiro Gonçalves

Leia Mais

O eixo Norte, que traz água ao RN entra no Estado por dois trechos: o primeiro é o trecho II, do Rio Piranhas/Açu, que recebe a água liberada da barragem engenheiro Avidos, no Estado da Paraíba, entrando no RN em Jardim de Piranhas, este trecho está em vias de conclusão. O segundo é o trecho IV, do Rio Apodi/Mossoró, que ainda não tem previsão para iniciar as obras. Neste trecho, as águas entrarão no RN na altura das cidades de Luis Gomes e Major Sales, até o Reservatório Angicos.

“Quando assumimos, apenas 31,54% das estruturas do Eixo Norte tinham capacidade de operar e as águas sequer haviam saído do estado originário, Pernambuco. Fomos nós que a levamos para o Ceará, a Paraíba e o Rio Grande do Norte. Muito do que havia sido construído estava se deteriorando pela ação do tempo, foi necessário muito retrabalho e investimentos”, afirma o ministro Rogério Marinho. 

Com essa entrega, 100% das obras físicas necessárias para garantir o caminho das águas nos dois Eixos (Leste e Norte) estão concluídas, restando obras auxiliares e complementares. Para tanto, o Governo Federal investiu R$ 3,49 bilhões desde 2019. Isso representa 23,94% de tudo que foi alocado na obra, uma média anual de R$ 1,16 bilhão, a maior entre todas as gestões do Governo Federal. De 2008 a 2015, o aporte foi de 56,68% do total (média anual de R$ 1,03 bilhão) e, de 2016 a 2018, de 19,38% (média anual de R$ 942,4 milhões).

"Não medimos esforços para resolver problemas, corrigir erros estruturais, recuperar e retomar obras. E hoje, podemos dizer que 100% dos dois eixos (Norte e Leste) estão operacionais e que as águas do São Francisco finalmente chegaram aonde já deveriam estar há muito tempo”, completa o ministro.
O caminho das águas

Para a chegada das águas ao RN, o último passo foi dado no final de outubro de 2021, quando foi aberto o trecho final do Eixo Norte da transposição, na Barragem de Boa Vista, em São José do Piranhas, município paraibano.

Do estado da Paraíba, pela Barragem de Morros, seguindo para a Barragem Boa Vista, ambos localizados em São José do Piranhas, o rio segue pelo túnel Cuncas 2, desembocando no Reservatório Caiçara, que tem duas tomadas d'água. A primeira abastece a Barragem Engenheiro Avidos, em Cajazeiras (PB). De lá, segue pelo leito do rio Piranhas-Açu, que se tornará um rio perene, e a segunda abastece o Ramal do Apodi. Por gravidade, seguindo o curso do rio, a água chega ao Rio Grande do Norte, primeiro à Barragem de Oiticica e, em seguida, ao Reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, em Assu.

O Ramal do Apodi é o trecho final do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco e terá um total de 115,3 quilômetros de extensão. A água será transportada por gravidade a partir do Reservatório Caiçara, na Paraíba, até o Reservatório Angicos, já no Rio Grande do Norte. Esse Ramal vai levar as águas do Eixo Norte a 54 municípios nos Rio Grande do Norte (32), Paraíba (13) e Ceará (9), beneficiando 750 mil pessoas.

A vazão é de 40 metros cúbicos (m³) por segundo até o quilômetro 26, de onde deriva o Ramal do Salgado, que levará a água para o Estado do Ceará. Após essa derivação, a vazão será de 20 m³ por segundo. Toda a infraestrutura contará ainda com três áreas de controle, 23 trechos de canais, com extensão de 96,7 quilômetros, sete aquedutos, oito rápidos e um túnel.

Reprodução
Evento que marca a chegada das águas no RN será na cidade de Jardim de Piranhas, com presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Rogério Marinho (MDR)

Evento que marca a chegada das águas no RN será na cidade de Jardim de Piranhas, com presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Rogério Marinho (MDR)


O investimento federal no empreendimento é de R$ 938,5 milhões, segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), com previsão de cerca de quatro anos para ser concluída, gerando, pelo menos dois mil empregos diretos e oito mil indiretos.

Entenda a transposição

1. O Projeto de Integração do Rio São Francisco tem como objetivo levar água de qualidade para 12 milhões de brasileiros de 390 municípios dos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Também deve garantir água para a produção agrícola e industrial ao longo de seus 477 km de extensão.

2. O empreendimento hídrico é composto por dois eixos de transferência de água: Norte, com 260 quilômetros de extensão, e Leste, com 217 quilômetros.

3. As estruturas captam a água do Rio São Francisco, no interior de Pernambuco, para abastecer adutoras e ramais que vão perenizar rios e açudes existentes na região.

4. O Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco tem 260 quilômetros de extensão, três estações de bombeamento, 15 reservatórios, oito aquedutos e três túneis. Após a conclusão, a expectativa é que esse eixo garanta segurança hídrica a 6,5 milhões de pessoas em 220 cidades da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

5. O Eixo Leste, com 217 quilômetros de extensão, está em funcionamento desde 2017 e abastece 1,4 milhão de pessoas em 46 cidades pernambucanas e paraibanas. Neste eixo, o empreendimento atravessa os municípios pernambucanos de Floresta, Custódia, Betânia e Sertânia; e a cidade paraibana de Monteiro.

6. Ao longo dos dois eixos, 294 comunidades rurais também serão beneficiadas. Com apoio financeiro da União, os governos estaduais vão construir sistemas de distribuição de água para contemplar os 78 mil habitantes nessas localidades.

7. As infraestruturas serão responsáveis por fazer a água do Velho Chico chegar até às torneiras dessas famílias. Serão contempladas 12 comunidades quilombolas, 23 etnias indígenas e nove assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte