Águas do RN e a CAERN

Publicação: 2019-09-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Jean Paul Prates
Senador da República

No aniversário dos 50 anos da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), o maior presente foi o lançamento feito pela governadora Fátima Bezerra do programa “Águas do RN”. Com investimento previsto de quase R$ 1,2 bilhão, e estimativa de beneficiar a 578 comunidades de 110 municípios do estado, o programa inclui a construção ou ampliação de 18 adutoras.

Mais do que isso: vai promover uma verdadeira revolução hídrica no Rio Grande do Norte, proporcionando ao estado alcançar um novo patamar no abastecimento. Além de levar água de boa qualidade para a população beber, o “Águas do RN” permitirá que os açudes e represas hoje destinados ao consumo humano sejam liberados para a irrigação.

Será um dos capítulos mais importantes da história dos recursos hídricos do Rio Grande do Norte. Até o final do século XIX, o abastecimento de água em Natal era feito por meio do transporte de barris e pequenos tonéis no lombo de animais. Uma bica, no Baldo, e uma cacimba, na Ribeira, eram as principais fontes onde os recipientes eram enchidos. Poucas residências possuíam cisternas ou tanques para armazenar quantidades maiores de água.

Esse modelo perdurou até 1882, quando a Câmara Municipal de Natal autorizou a cessão dos direitos de exploração do serviço de abastecimento de água na cidade para o dinamarquês Felipe Leinhardt. Nove anos mais tarde, ele associou-se ao comerciante Nicolau Bigois para criar a firma Bigois & Leinhart, depois rebatizada de Empresa d’Água Natal. Um ano após, Leinhart deixou a sociedade.

A viúva de Bigois vendeu a companhia em 1910 ao governo do estado, que a arrendou à Empresa de Melhoramentos de Natal. A nova concessionária se tornou responsável não apenas pelos serviços de abastecimento de água e esgoto, mas também pela iluminação e pelo transporte em bondes elétricos. Posteriormente, a paulista Empresa Tração, Força e Luz do Natal assumiu os serviços públicos de água e telefonia.

A partir de 1923, o estado passou a criar, dentro de seu organograma, estruturas para pensar os serviços urbanos, notadamente abastecimento de água e saneamento. O esforço culminou, no dia 2 de setembro de 1969, com a criação da CAERN, pelo então governador monsenhor Walfredo Gurgel. Até então, os serviços de abastecimento de água eram oferecidos apenas aos municípios de Acari, Angicos, Assu, Caicó, Cruzeta, Jardim do Seridó, Macaíba, Mossoró, Natal e Santana do Matos.

O programa “Águas do RN” busca garantir a segurança hídrica da população, sobretudo no semiárido. As ações se dividem a curto, médio e longo prazo, atendendo às regiões Oeste, Alto Oeste, Seridó, Agreste, Mato Grande e Central. Ao todo, o sistema integra mais de 1500 km, praticamente a distância que separa Natal da capital maranhense, São Luís. Mais de um milhão de pessoas serão beneficiadas.

A CAERN buscará parcerias públicas e privadas para viabilizar o projeto. A princípio, os esforços serão destinados a atender as áreas que mais sofrem com o desabastecimento: Alto Oeste, Agreste e Seridó, historicamente as mais afetadas pela seca. Garantir o acesso à água é proporcionar não apenas saúde, vida e comodidade, mas oferecer dignidade ao cidadão e sua família.



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários