Águas do Velho Chico chegam ao RN em 2019

Publicação: 2018-06-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma das maiores e mais onerosas obras do governo federal, o Projeto de Integração do Rio São Francisco, que perenizará rios e bacias hidrográficas do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, não tem data para ser iniciada no estado potiguar. Projetos locais inconclusos, atrasos no andamento de obras nos outros estados e risco de indisponibilidade de recursos refletem na postergação do avanço das intervenções na Paraíba, passo fundamental para a construção dos dutos que carrearam água do Velho Chico para o Rio Grande do Norte.

Com mais de 90% das obras concluídas, Ministério da Integração autoriza nova empresa a assumir o projeto de transposição
Com mais de 90% das obras concluídas, Ministério da Integração autoriza nova empresa a assumir o projeto de transposição

No início de maio, o  Ministério da Integração Nacional autorizou o consórcio Ferreira Guedes - Toniolo/Busnello a assumir as obras remanescentes da Meta 1N do empreendimento. Mais de 1.200 profissionais, de acordo com o Ministério, estão em campo para garantir que as águas cheguem ao Ceará até o mês de agosto. Para acelerar o cronograma, várias frentes de serviço serão abertas simultaneamente, inclusive em períodos de 24 horas.

A previsão do Ministério da Integração é que as águas da transposição cheguem ao Rio Grande do Norte em 2019. Para chegar ao RN, as águas ainda deverão passar pelo estado do Ceará, no reservatório Jati, para poderem seguir com destino a Paraíba e ao leito do Rio Piranhas, no RN.

Em abril, a empresa então responsável pela conclusão da obra de transposição do Rio São Francisco rescindiu o contrato alegando dificuldades de capital de giro. A informação foi dada durante reunião da bancada do Nordeste com o ministro da Integração Nacional, Pádua Andrade, e com o senador, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) que presidia o Senado na semana do dia 18 de abril. Do Rio Grande do Norte participaram da reunião os senadores Fátima Bezerra (PT) e Garibaldi Alves Filho (MDB).

Parlamentares de Pernambuco e da Paraíba também acompanharam a discussão. Segundo o ministro Pádua Andrade, providências administrativas e jurídicas foram tomadas para outra empresa ser selecionada e não atrasar ainda mais a obra.

Na conversa com o ministro, os parlamentares ressaltaram a preocupação com as obras do chamado Eixo Norte da transposição que vai beneficiar moradores de quatro estados nordestinos. “Se o Eixo Norte, que faz parte da transposição do Rio São Francisco já sofreu atraso, considerando o calendário anunciado pelo ex-ministro Hélder (Barbalho), imagine a gravidade da situação agora na qual a empresa abandona a obra.  Não estamos falando de uma obra qualquer, estamos falando de uma obra de caráter estratégico em matéria de segurança hídrica par o Nordeste setentrional, que é composto por Pernambuco Paraíba e nosso Rio Grande do Norte”, disse a senadora Fátima Bezerra.

“Há uma expectativa muito grande, principalmente por parte do Ceará e do Rio Grande do Norte, de que essas obras sejam concluídas. A substituição da empresa para executar a obra, segundo o ministro, não causará grande retardamento. Nós esperamos que até o final do ano ou logo no início de 2019 as obras estejam concluídas”, declarou o senador Garibaldi Alves Filho.

O que é o PISF?
O Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) é a maior obra de infraestrutura hídrica do País, dentro da Política Nacional de Recursos Hídricos. Com 477 quilômetros de extensão em dois eixos (Leste e Norte), o empreendimento vai garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, onde a estiagem é frequente.

O empreendimento engloba a construção de 13 aquedutos, nove estações de bombeamento, 27 reservatórios, nove subestações de 230KW, 270 quilômetros de linhas de transmissão em alta tensão e quatro túneis. Com 15 quilômetros de extensão, o túnel Cuncas I é o maior da América Latina para transporte de água.
As obras passam pelos seguintes municípios no Eixo Norte: Cabrobó, Salgueiro, Terranova e Verdejante (PE); Penaforte, Jati, Brejo Santo, Mauriti e Barro (CE); em São José de Piranhas, Monte Horebe e Cajazeiras (PB). Já no Eixo Leste, o empreendimento atravessa os municípios pernambucanos de Floresta, Custódia, Betânia e Sertânia; e em Monteiro, na Paraíba.

Importância
No Nordeste estão 28% da população brasileira e apenas 3% da disponibilidade de água do País. O Rio São Francisco detém 70% de toda a oferta de água da região, historicamente submetida a ciclos de seca rigorosa, como a que vivemos atualmente.

Conforme Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), o Projeto de Integração do Rio São Francisco foi a mais consistente alternativa estrutural para o fornecimento adequado de água à região. A integração das bacias do São Francisco representa uma extraordinária contribuição para amenizar o sofrimento das populações mais castigadas e auxiliar no desenvolvimento das regiões do Semiárido.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários