A hora dos homens

Publicação: 2019-08-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Rubens Lemos Filho
rubinholemos@gmail.com

É costume sertanejo definir a luta, a refrega, o confronto, como o instante que separa menino de homem. Fanfarrão de macho. Amanhã à noite, lá pelas penumbras caiadas de incertezas e porres, o torcedor saberá se o ABC é menino ou homem, fanfarrão ou macho.

Se vencer o Sampaio Correa, o ABC segue no respiradouro da UTI da Série C. Se perder, mancha de vergonha uma história gloriosa de 104 anos. Descendo com a máscara da falsa ingenuidade mal disfarçando uma incompetência picaresca, bizarra.

Aos isentos, sem comprometimentos com cartolas ou chefetes, o dever de lembrar uma viagem errática iniciada no conformismo medíocre de uma derrota de 6x0 para o Guarani de Campinas a 23 de outubro de 2016. Uma surra de 6x0 representa numa alma decente, um talhe de facão rabo de galo.

Naquela patética despedida(o ABC havia ganho por 4x0 em Natal), proliferaram frangos, gols inacreditáveis perdidos e o prenúncio da confirmada tragédia da volta à terceira divisão. Para os marchantes da euforia cega, a humilhação não serviu para nada. O time deveria ter voltado a pé. De Campinas. Festejou o acesso que virou fumaça.

Rachado em suas tendências cardeais, o ABC foi sucumbindo e achando normal. Quando a dor se torna banalidade, os homens perdem a capacidade de se emocionar, tratando o fracasso como costume, não desastre.

O ABC conta com seu maior patrimônio: o ser humano multiplicado no gigantismo ardente da Frasqueira. Aquele painel compacto e vibrante, sem individualismo. Aquecido pela impessoalidade triunfal das multidões.

Paixão. A paixão joga na cegueira do sentimento abafado ou no grito cortado ao vento. O ABC tem o dever de respeitar seus vivos e seus mortos ganhando o jogo. Vencer o Sampaio Correa passou de trivial a crucial. Não há honra alguma em se festejar permanência na Série C. Somente para quem pensa pequeno. E é muito menor que a grandeza do ABC.

Ataque
Lohan é a opção menos incômoda para o ataque alvinegro junto a Wallyson. Pelo que fez contra o Ferroviário, demonstrando lucidez na finalização. É superior a Jefinho, precário, precário. O meio-campo tem de ajudar a dupla de frente, cessando firulas que não sabe fazer e ajudando a fechar a saída de bola do Sampaio Correa.

Segurança
O ABC tem de estar com um olho no campo, outro na segurança dos torcedores, especialmente daqueles que virão de São Luiz. É possível que tenham mandado um ofício à Polícia Militar solicitando reforço de contingente do Batalhão de Choque, eficientíssimo no tratamento vip a baderneiros. Vip de verdadeiras incuráveis porradas.

Brigatti
É rica a história do técnico do Sampaio Correa, João Brigatti. Brigatti fez parte da primeira geração dourada e a melhor do Sub-20 Brasileiro, seleção campeã mundial em 1983 vencendo a Argentina no Estádio Azteca, no México. Por 1x0, gol de Geovani, artilheiro e melhor jogador do campeonato. Brigatti, da Ponte Preta, era reserva do flamenguista Hugo.

Timaço
Hugo, Heitor, Bôni, Guto(falecido) e Jorginho; Dunga, Geovani e Gilmar Popoca; Mauricinho, Bebeto e Paulinho. Timaço, que jogava de primeira e com arte. Geovani de primeira para Gilmar, de primeira para Bebeto, tudo de primeira.  Dava gosto. Revejo muitas vezes o DVD daquela final. Sabem quem foi cortado? Branco, tetracampeão do mundo em 1994. É um parâmetro da qualidade daquele escrete.

Globo
Nem de longe acredito que o Globo aceite trocar seu mando de campo contra o ABC. Alegam a invasão do campo e a morte do torcedor do Botafogo da Paraíba. Se for usado tal critério, fecham-se todos os estádios do Rio Grande do Norte, menos a Arena das Dunas, que é casa de shows, não é estádio.

Qualificado 
Juanfran, lateral-direito de 34 anos contratado pelo São Paulo, ganhou a Eurocopa de 2012 e disputou a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Qualificado. No nível atual, pode arrebentar. Daniel Alves no meio-campo. Quem jogou com Xavi, Iniste a e Fábregas, vai chupar laranja com os companheiros de hoje.

ESPN demite
A venda do canal de TV por assinatura ESPN Brasil ao Grupo Disney, logo de cara, empobrece o jornalismo esportivo. ESPN dispunha do melhor quadro de analistas do país, dos caras que mais conheciam futebol. Já estão fora: João Palomino, Arnaldo Ribeiro, Claudio Arreguy, Eduardo Tironi, Juca Kfouri, Maurício Barros e Rafael Oliveira. Assistir Caio Ribeiro, Roger Flores e Grafite, é para masoquista. Sadomasoquista. Boleiros fracos, comentaristas piores.

Gabigol não 
Hoje tem convocação do insosso Tite. Para amistosos contra Colômbia e Peru, dias 6 e 10 de setembro. Especula-se Gabigol, um cara que marcou menos que o ex-goleiro Rogério Ceni. Se ele entrar na relação, torcerei contra. Em respeito a Tostão, Romário, Reinaldo, Bebeto, Careca, Roberto Dinamite e até ao chato do Ronaldo. 





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários