A hora e a vez do design brasileiro

Publicação: 2012-11-07 00:00:00
A+ A-
Tádzio França - repórter

O traço brasileiro está em alta. Após anos sob a sombra das  grifes internacionais, o designer nacional agregou valor e criatividade à sua assinatura. O público que consome móveis de design no país também está mais informado sobre o valor do material produzido por aqui. Motivado pela repercussão internacional do produto brasileiro e sua crescente aceitação local, será realizada de hoje até o fim do mês a ‘Officina Designers’, uma exposição focada no talento nacional, que receberá dois dos nomes mais conceituados no segmento atual: Pedro Mendes (SP) e Zanini de Zanine (RJ). Ambos estarão na Officina Interiores, às 20h, para  mostrar e falar sobre seus trabalhos.
Mostra Officina Designers destaca o trabalho contemporâneo dos criadores brasileiros. Evento contará com palestras de dois nomes conceituados na área: o carioca Zanini e o paulista Pedro Mendes
As peças dos designers convidados estarão, junto a de outros nomes do ramo, em  um ambiente assinado pela arquiteta Nadiedja Melo. O espaço foi projetado para apresentar exemplares diversos da produção do design nacional, reunindo material de nomes conceituados como Estudiobola, Lattoog Design, Jader Almeida, os irmãos Humberto e Fernando Campana, e o veterano Sérgio Rodrigues, precursor do design brasileiro em 1957, quando sua poltrona ‘Mole’ ganhou repercussão internacional.

Um dos  idealizadores da mostra, Renato Raposo, acredita que o evento é uma oportunidade de pôr arquitetos, decoradores, designers e consumidores natalenses em sintonia com o que se produz de bom no Brasil e tem repercussão internacional. “O Nordeste ainda não consome tão tanto a produção nacional quanto se faz no eixo Rio-São Paulo, portanto, o essa mostra é pra reforçar a qualidade dos nossos designers. E trazer dois deles para debater pessoalmente e mostrar o que eles fazem, é ainda mais interessante”, afirma. Segundo ele, Pedro e Zanini falarão sobre questões de produção nacional, produtos, materiais, dificuldades passadas e o mercado nos dias de hoje.

O DESIGN ECOLOGICAMENTE CORRETO DE PEDRO MENDES

“O consumidor brasileiro está mais exigente, mais informado e mais sofisticado. Sempre achei que apreciação de design também envolve educação e cultura, não só poder aquisitivo”, afirma Pedro Mendes, em entrevista ao VIVER. Formado em desenho industrial, Pedro é conhecido por seu trabalho com madeira ‘ecologicamente correta’, dando forma a móveis leves e de visual contemporâneo. Ele trabalha atualmente junto a dez fábricas, tendo cerca de 400 peças diferentes sendo comercializadas em território nacional e internacional.

Pedro Mendes explica que trabalha três vertentes de madeira:  MDF, madeiras de manejo florestal e de demolição (retirada de imóveis antigos). Nada de madeira de árvores em extinção. A partir disso, junto com aço inox e acrílico, ele elabora cadeiras, poltronas e estofados de desenhos modernos e elegantes. “Não pensei na madeira ecológica como um diferencial para meu trabalho. Acho que isso tem a ver com uma conscientização que é geral. Meu pai tinha um sítio e fazia questão de preservar suas árvores. Acredito que isso ficou no meu subconsciente”, analisa.

O designer acompanhou de perto a mudança de postura do público brasileiro em relação aos criadores locais. “Há cerca de dez anos, as lojas não deixavam pôr o nome do designer ou da fábrica na peça, se fossem brasileiros. Hoje em dia, fazem questão disso. O próprio cliente só quer se a peça vir assinada”, afirma. Segundo ele,  a torrente de informação gerada pela Internet tem uma grande responsabilidade por isso. “Antes as pessoas casavam e mobiliavam a casa. Hoje, elas casam e projetam um ambiente”, resume.

A RECICLAGEM COM ESTILO EM ZANINI DE ZANINE

O designer carioca Zanini de Zanine (foto) trouxe um pouco da cultura das ruas para suas charmosas – e concorridas - criações modernas. Filho do paisagista, arquiteto e escultor Zanine Caldas, o profissional de 34 anos inovou ao fazer mobiliários a partir de shapes de skate, restos de pranchas de surf, placas de trânsito, tubos de PVC, grades de janelas, e chapas de descarte. Elas se tornam cadeiras, bancos, mesas de centro e mesas laterais. Zanini usa todo tipo de material e passeia por todas as formas e fontes. “Minha pressa é pelo fazer, e não pelo término”, já declarou ele em entrevistas.
Ambiente projetado por Nadiedja Melo traça um panorama dos trabalhos com DNA brasileiro na área de arquitetura e decoração
Zanini foi estagiário do mestre Sérgio Rodrigues – o da poltrona ‘Mole’ – e desde então optou por ser designer independente. Curioso para experimentar e produzir novas formas, começou a produzir seus próprios desenhos. Premiado nos principais concursos do país e com exposições no exterior, Zanini passou a ser convidado para assinar para diferentes marcas nacionais e internacionais. Entre seus prêmios estão os do Museu da Casa Brasileira (o mais tradicional do país), Salão Casa Design (o maior prêmio de design da América Latina), Prêmio Top XXI - Arc Design (principal editorial de Design do país), Planeta Casa (Revista Casa Cláudia), e Prêmio Artefacto.

Serviço: Officina Designers. Abertura nesta quarta-feira, às 20h, na Officina Interiores. Av. Hermes da Fonseca, 1052, Tirol. Tel.:  3201-8780.