A ilusão bolivariana

Publicação: 2019-01-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Carlos de Souza - interino 
fcarlos@tribunadonorte.com.br

Um dia quero entender essa paixão do brasileiro pela Venezuela. Ninguém nunca deu a mínima para este país que fica ali em cima do mapa, imprensado entre a Colômbia, a Guina e a Amazônia brasileira. Só lembro que o país começou a chamar a atenção em 1989, com os motins violentos (Caracazo) e em 1992, com duas tentativas de golpe e o impeachment de Carlos Andrés Perez.
Os fatos seguintes colocaram o militar Hugo Chávez no poder, que prometeu melhorar a situação econômica do país e privilegiar os mais pobres (a Venezuela tem uma classe média parecida com a nossa). Os planos de Chávez muito certo e se agravaram muito com seu sucessor Nicolás Maduro, o caos econômico pegou em cheio os mais pobres (é sempre assim). Mas fez uma série de manobras para se manter no poder (mais ou menos o mesmo que fizeram aqui para tirar Dilma da presidência e Lula da campanha).

Então por que os brasileiros começaram a olhar para os problemas da Venezuela? Porque o presidente Lula e a cúpula do PTM são simpáticos ao chamado bolivarianismo. Aí foi fácil para a extrema-direita, que precisa a qualquer custo de um inimigo visível para existir, escolher o que chamam de “comunismo” como principal inimigo. De repente, voltamos no tempo e passamos a viver em plena Guerra Fria, dos anos 50. Quando a pessoa não concorda com você já tem uma resposta: você é comunista. E se insistir, vão mandar você ir pra Venezuela ou pra Cuba. Isso é simples e eficiente para pessoas conservadoras. Converse com aquele seu tio saudoso da ditadura militar ou com qualquer motorista de táxi que passa o dia ouvindo a rádio Jovem Pan e se comunicando pelo Whatsapp. É batata. Não se pode negar que é uma estratégia de comunicação das mais eficientes, tanto é que venceram uma eleição com isso.

Pesquisa 
Uma pesquisa nas universidades de Princenton e New York, nos EUA chegou à conclusão que usuários de Facebook com mais de 65 anos estão mais propensos a compartilhar fakenews nas redes sociais. Ou seja, gostam de compartilhar notícias falsas. Pegue esse método de pesquisa e aplique aqui no Brasil e inclua o Whatsapp que o resultado será idêntico. Com uma pequena diferença, aqui vão aparecer também jovens com déficit educacional grave.

Acordo
Saiu o acordo entre o Governo do Estado e os servidores. Pela nova proposta, aprovada depois de duas horas de negociações, ficou decidido que a partir de ontem seria feita a antecipação de 30% do salário bruto dos ativos, inativos e pensionistas, exceto os servidores da segurança pública, que receberão os salários integrais na próxima quarta-feira. No dia 16 serão pagos os 70% restantes (quitação da folha de janeiro) para quem ganha até R$ 3 mil. No dia 31 serão pagos os 70% restantes aos ativos, inativos e pensionistas que ganham acima de R$ 3 mil e a folha integral dos servidores de órgãos com arrecadação própria.

Nomeações 
Os novos gestores de cinco órgãos da administração indireta do Governo do RN foram empossados na quinta-feira, 10, pela governadora Fátima Bezerra. São eles: Mário Victor Freire Manso (IDIARN), Theodorico Bezerra Netto (IPEM), Leonlene de Sousa Aguiar (IDEMA), Francisco Caramurú de Oliveira Monte Paiva e Azevedo (IGARN) e Carlos Antonio Peixoto (DEI).

Sebrae
O ministro Paulo Guedes anunciou um possível corte nos recursos para o Sebrae. O corte será entre 30% e 50%. Para o presidente do Sebrae-SP, Tirso Meirelles, uma redução de 30% significaria que 300 mil empresas não seriam mais atendidas pela entidade. Somente em São Paulo, 300 mil empresas não seriam mais atendidas pela entidade.

Eleições
Estão marcadas eleições suplementares para o município de Santa Cruz para o próximo dia 3 de fevereiro. Vão disputar o cargo de prefeito os candidatos Ivanildo Ferreira, ex-vice-prefeito (do grupo de Tomba Farias) e Péricles Rocha, de uma coligação entre PSB, PT e PCdoB. Ele já teve o apoio do chamado Grupo de Tomba. Política é assim mesmo.

Relações
O artigo de Benjamin Moser (biógrafo da escritora Clarice Lispector, que a tornou conhecida no mundo da língua inglesa), que saiu na Folha de São Paulo ontem, é contundente e de causar riso e vergonha ao mesmo tempo. Ele chama a atenção do novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo e pede para que ele não exponha o Brasil a tanta vergonha internacional. Segundo Moser, o nosso Ministro usa um discurso de ufanista magoado e termos com teor antissemita (contra o povo judeu). Vamos aguardar a resposta do Ministro.

Imigração
A saída do Brasil do Pacto de Imigração chamou a atenção de várias autoridade no assunto e todos são unânimes em afirmar que essa medida, de teor unicamente ideológico, deixa brasileiros fora do país em situação delicada e não corresponde à realidade brasileira de recepção de poucos imigrantes e saída de muitos emigrantes. Fui procurar saber por que o Brasil decidiu não compactuar com o documento do Pacto de Imigração e encontrei isso: “O documento foi chancelado por cerca de dois terços dos 193 países membros da ONU. Algumas nações poderosas - caso dos EUA, Itália, Austrália e Israel, entre outros - ficaram de fora por avaliar que o pacto violava a soberania dos Estados”. Agora entendi.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários