“Uma empresa nasce e não deve ter um fim”

Publicação: 2018-02-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O número crescente de empresas fechadas no Rio Grande do Norte em 2017 foi tema de um bate papo com Jorge Medeiros, professor de Gestão Financeira na faculdade Estácio de Natal. Na conversa com a equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE, ele comenta os fatores para que esse número tenha chegado a esse ponto. Confira o bate-papo:

Como o senhor avalia o elevado quantitativo de empresas fechadas no RN? 
Considerando que o setor privado impulsiona diretamente a economia, no sentido da geração de emprego, renda, e consequentemente arrecadação tributária para o Estado, essa mortalidade empresarial é vista com preocupação muito grande. Além de reduzir a renda e deixar a economia lenta ou por vezes estagnada, com crescimento baixo. É uma situação  preocupante, e que gera atenção e precisa de medidas mais efetivas para mudanças nesse cenário.

Jorge Medeiros, professor de gestão financeira na faculdade Estácio de Natal
Jorge Medeiros, professor de gestão financeira na faculdade Estácio de Natal


Do seu ponto de vista, esse número é consequência tão somente da crise financeira ou também da falta de experiência e gestão, visto que, a maioria delas são microempresas?
Parte dele é consequência de um cenário econômico nacional, devido ao custo de produção ficar elevado e muitas empresas não conseguirem realizar suas vendas, por terem que elevar o preço. Para tanto, é necessário ainda rever a questão do conhecimento para gerar negócios. É um dos fatores preponderantes na geração de falências. A mortalidade ainda é muito alta no período dos primeiros cinco anos de vida da empresa e o principal motivo é este: a falta de conhecimento teórico e prático no que compete à gestão das empresas.

Falta qualificação?
Muitos proprietários acreditam que conseguem dominar todas as áreas das empresas sozinhos.  Mas, uma empresa é muito complexa, pois tem o setor financeiro, produtivo, comercial, de gerenciamento de pessoas, logístico, marketing... Então, precisa de conhecimento para fazer com que essas áreas se interrelacionem e mantenham um bom resultado. Uma pessoa sem conhecimento específico fica perdida nesse contexto e não terá sucesso.

O que é possível fazer para que isso não aconteça?
O ideal é a pessoa se profissionalizar, fazer cursos de qualificação em Gestão, cursos superiores na parte de Administração, Gestão de Negócios, Gestão Comercial ou contratar consultores e assessorias que podem dar um diagnóstico e sugerir propostas no sentido de alavancar os negócios. Precisa, sim, ter aplicabilidade de conhecimento para ter sucesso nos negócios e saber evitar complicações com os fatores externos, sendo eles políticos, jurídicos, socioambientais. Àqueles os quais a empresa não tem controle. É necessário se preparar para lidar com o ambiente interno e externo – este que não se pode ter um controle, mas afeta diretamente as empresas.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários