“Vamos brigar na parte de cima”

Publicação: 2017-12-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
“Técnico da nova geração, exigente e disciplinador. Estudioso do futebol, com experiência internacional e convivência com grandes treinadores, o que garante excelentes referências que formaram seu estilo de jogo e comando. A solidez apresentada pelos times orientados pelo Técnico Fernando Tonet é a sua marca registrada. É um treinador que rapidamente conquista o respeito dos atletas, promove um clima positivono grupo e sempre dá oportunidade a todos, fazendo com que o elenco seja aproveitado da melhor forma. Tem conseguido realizar grandes campanhas mesmo com pouco recurso financeiro e estrutura, sempre aproveitando ao máximo os atletas das categorias de base”.
No comando do Santa Cruz de Natal, treinador quer mostrar que pode ser destaque na competição mais uma vez
A definição à cima foi retirada do site do próprio treinador e se refere a apresentação de Fernando Tonet. A modernidade representa bem esse profissional paranaense que fez bons trabalhos no futebol potiguar e que agora tem o desafio de comandar o Santa Cruz de Natal, no Campeonato Potiguar do próximo ano.

Qual o principal desafio para a formação do time do Santa Cruz de Natal?

O primeiro desafio é uma pré-temporada bem realizada, porque a gente enfrenta várias dificuldades. Seja clube grande, ou pequeno, cada um tem ons seus problemas e aqui não é diferente. Então, esse é o primeiro desafio, superar uma pré-temporada fazendo o melhor que a gente puder, dentro das condições que a gente tem, se adequando a elas.

O clube entra pra brigar,  para compor o Estadual, ou para evitar uma queda?

Na minha opinião, pelo que eu tenho visto dos jogadores, pelo trabalho que eu tenho realizado em outros clubes por onde eu passei, vamos brigar na parte de cima da tabela, a não ser que eu me engane totalmente com o elenco que nós temos.

O torcedor que for assistir o Santa jogar verá uma equipe com qual estilo?

Isso vai depender muito do estudo do adversário. Mas, um modelo de jogo definido nós temos. Vai ser um modelo tático muito bem organizado dentro de campo, bem postado na defesa e quando sair para o ataque, sair com uma qualidade e um desenho bem organizado também.

Seu trabalho é bastante elogiado. Qual seu estilo de gestão no grupo? E taticamente ?

A gente pode dividir em duas questões. Primeiro, em relação ao trabalho procuro diversificar ao máximo, para que não seja monótono para o jogador, para que não seja cansativo, para que faça o atleta pensar a cada treino. Para isso eu estudo, leio livros, assisto a materiais, vejo vídeos, converso com outros treinadores, faço estágios quando tenho oportunidade, por exemplo já tive a oportunidade de passar no Cruzeiro, no Corinthians, no Atlético/MG, no Atlético/PR, que é da minha cidade, Curitiba. Assim, acompanho os trabalhos e procuro modernizar a cada dia. Então, esse é um ponto talvez pelo qual as pessoas gostem do trabalho realizado. O outro ponto importante é o extra-campo. É a maneira de gerir o grupo, a maneira de lidar com o ser humano, de tratar os jogadores, todos da mesma forma. Com educação, sem no entanto deixar de cobrar aquilo que tem que ser cobrado.

Observando o cenário do futebol potiguar, o que esperar do Estadual 2018?

Espero por mais uma grande campanha. Os times que eu tenho passado nos últimos anos, felizmente a gente tem conseguido chegar. Foram dois anos seguidos com duas finais e eu espero no ano que vem repetir esse trabalho. Vem dando certo, eu tenho um modelo de jogo, eu procuro extrair dos jogadores o que eles têm de melhor e a ideia para o ano que vem é essa: Fazer pelo menos o que vem sendo feito nesses dois últimos anos.

O Santa é um clube sem torcida. Isso ajuda ou facilita o trabalho? Uma vez que a pressão é menor, mas também não há apoio nas arquibancadas?
Em relação a cobrança, independente do time ter ou não ter torcida a minha forma de trabalhar é a mesma, porque eu, particularmente, me cobro muito. Então, a principal cobrança vem aqui de dentro, vem de mim. Se eu tiver cobrança por parte de torcedor, diretoria, ou qualquer outra situação eu estou completamente preparado para ouvir e tomar as decisões.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários