Folha do ABC para a temporada tem teto de R$ 140 mil

Publicação: 2021-01-28 00:00:00
Um orçamento enxuto para montar a equipe que irá disputar a temporada de 2021, foi isso que o vice-presidente de futebol, Gustavo Cartaxo, disse ter recebido da presidência do ABC. A ordem é reconstruir o elenco dentro da realidade do clube, com  uma folha girando em torno de R$ 140 mil por mês. O orçamento é considerado mínimo, uma vez que em tempos não muito distantes, a folha da equipe batia fácil a casa dos R$ 400 mil. Apesar das limitações, Cartaxo ressalta que espera conseguir montar um grupo competitivo, destacando que não é momento para lamentações. 

Créditos: Comunicação do ABCVictor Lindemberg atuou nas divisões de base do Flamengo e do Botafogo e agora chega ao ABCVictor Lindemberg atuou nas divisões de base do Flamengo e do Botafogo e agora chega ao ABC

A melhora destes números só poderá ocorrer se o clube conseguir aumentar o número de adimplência dentro do seu quadro social. Atualmente, apenas mil sócios-torcedores continuam pagando religiosamente as suas mensalidades. Dentro desse orçamento apertado, a diretoria anunciou ontem a chegada do lateral-esquerda Victor Lindemberg, que atuou pelo Moto Club-MA em 2020.

“Não temos muito segredo com relação a situação financeira, quanto mais transparente formos com o torcedor, seremos  retribuídos com a confiança do mesmo. O ABC, em anos anteriores e não muito longe, tinha folha total de R$ 700 mil.  Ela incluía vários itens como energia, alimentação e suplementação, por exemplo. Hoje nossa folha salarial é obrigada a se encaixar na faixa entre R$ 130 mil ou R$ 140 mil, caso contrário teremos dificuldade de pagar. Essa é a folha de futebol, já a de funcionários, com impostos e os encargos trabalhistas deve girar em torno de R$ 300 mil. O valor cabe exatamente dentro daquilo  que o clube pode gerar de recursos”, afirmou o dirigente.

Com dinheiro contado, ficou difícil, por exemplo, de o clube poder brigar pela manutenção do goleiro Rafael e do meia João Paulo, que não vão integrar o novo grupo.

“Ficamos com algumas referências como Wallyson, Vinícius Leandro, mas perdemos outras, como o goleiro Rafael, mas para compensar essa baixa trouxemos Wellingon. Vamos tentar trazer atletas dentro da nossa realidade e que tenham alguma identificação com  o clube. Se você não tem dinheiro tem de trazer atletas que, pelo menos, tenham vontade de jogar no ABC. Buscamos profissionais que estejam querendo crescer junto com o clube.

 Historicamente o nós do ABC sempre realizamos um trabalho muito bom neste sentido”, disse.

O caso de João Paulo que tem o contrato até o próximo mês de abril está perto de uma solução. O representante do jogador disse que ele não permaneceria no ABC e as partes iniciaram entendimento para formalização do distrato. 

“João Paulo sequer se apresentou. Fizemos uma negociação com o representante do atleta e estamos esperando apenas o ok do presidente Bira Marques para dar prosseguimento ao processo de liberação dele. O jogador já tem mercado, ele é um dos atletas que mais gerou pedidos de informações no período em que esteve no ABC. João Paulo iniciou a temporada muito bem, mas infelizmente se machucou e não conseguiu dar sequência ao trabalho. Desejamos que ele seja feliz no próximo clube”, reforçou.

O elenco ainda não está fechado, o Alvinegro busca  reforços. Gustavo Cartaxo cita a lateral-esquerda como um setor considerado carente pelo treinador Sílvio Criciúma, apesar da chegada de Victor Lindemberg. 

“Estamos atrás de reforços que estejam dentro das condições de pagamento do ABC, mas sem deixar de exigir qualidade.  Alguns foram indicação do nosso treinador, Sílvio Criciúma, outros são atletas que já vinham sendo monitorados pela diretoria”, confirmou.