ABC volta a dar vexame, leva 4 a 2 do Imperatriz e se afunda na lanterna do grupo A

Publicação: 2019-06-08 18:02:00 | Comentários: 0
A+ A-
Quem pode salvar o ABC? Essa era a pergunta que os torcedores se faziam na arquibancada, vendo o clube realizar mais uma apresentação pífia no Frasqueirão, diante de um adversário que vinha enfrentando os problemas e que soube jogar nos erros do Alvinegro para fazer 4 a 2 e afundar os potiguares na zona de rebaixamento. A promessa realizada pela direção do clube de montar um grupo para lutar pelo acesso, já desiludiu os abecedistas, que agora rezam para o clube conseguir se manter na Série C.

Torcedores do ABC protestam por meio de uma faixa
Partes dos torcedores protestaram com cartazes que cobravam medidas para tirar o ABC da situação negativa na competição

Lucas Campos, Renan Dutra e Matheus Lima (2) marcaram para os maranhenses, enquanto Jefinho marcou os gols do ABC, que volta a campo no próximo sábado para enfrentar o outro representante do Maranhão do grupo: Sampaio Corrêa, no estádio Castelão, em São Luís.

A equipe que já entrou em campo sob protesto nas arquibancadas. Através de faixas, os torcedores indagavam a diretoria com frases do tipo: 'Cadê o novo ABC?', 'Viemos pelas camisas', 'Quais os resultados do Salton?' e 'Respeitem o ABC!'. Sob essa batuta, a torcida tomou um susto logo no primeiro lance do jogo, quando Valdemir errou um domínio de fez falta que Xavier (o do Imperatriz) cobrou a falta rente a trave de Saulo.


No entanto, não demorou muito para a insegurança da zaga voltar a fazer a diferença em prol do adversário. Aos sete minutos, em novo erro, Henrique saiu mal, o Imperatriz recuperou a bola e Lucas Campos aproveitou o rebote de uma bola que acertou o travessão alvinegro para abrir o placar, fazendo o caldeirão ferver logo cedo no Frasqueirão. Visivelmente abalados, os jogadores abecedistas erravam quase tudo que tentavam dentro de campo. O adversário se sentia tão a vontade que os mandantes do jogo pareciam ser os maranhenses.

Como estava difícil tocar a bola, que parecia pesar nos pés dos atletas, o jeito foi partir atrás do prejuízo na base da vontade. Luan recebeu bola na entrada da área, tocou para Ivan, que bateu forte. O goleiro maranhense largou e Jefinho apareceu na pequena área para conferir e deixar tudo igual aos 19 minutos. A baixa qualidade do futebol apresentado pelas duas equipes, mostrava bem porque elas estão ocupando as duas últimas posições do grupo. 

Na falta da técnica, jogadores de ABC e Imperatriz apelaram para a imposição física para buscar a vantagem
Com poucas alternativas técnicas, ambas equipes apelaram para a disposição física para buscar o resultado

Com a perna pesando e quase ninguém arriscando jogadas mais agudas ou passes mais longos, o ABC conseguiu ser um pouquinho melhor em campo que o Alvirrubro, que ainda assim, num lance ou outro conseguia encontrar alguns espaços na zaga alvinegra e assustava os torcedores. 

Quando a zaga tentava sair jogando era um verdadeiro desastre. Geralmente o Imperatriz roubava a bola e o ABC era obrigado a fazer a falta. Lucas Campos, quase conseguiu fazer o Imperatriz largar na frente de novo, achando Matheus Lima livre na área, mas graças a Saulo, que realizou uma grande defesa, a igualdade ficou mantida.

Mas um minuto depois, em nova ataque dos visitantes, Renan Dutra completou para o fundo da rede um excelente cruzamento de Jean, que tramou toda jogada apenas sendo observado por Xavier, que não estava bem. Isso no último lance do primeiro tempo.

2º tempo
Com o garoto Hugo no lugar de Bóris Sagredo, novamente apagado em campo, o ABC criou uma boa chance de empatar logo na saída de bola, quando a bola foi cruzada, Hélio Paraíba disputou com os zagueiros e a bola sobrou para Jefinho, que bateu fraco e facilitou a vida do goleiro Jean.

Aos 12 minutos, Renan Luís ganhou a bola, passou como quis por Joecio, entrou na área e cruzou para Matheus Lima, livre, encostar para fazer 3 a 1 e praticamente garantir a primeira vitória após seis rodadas em branco. Tudo isso sob olhares incrédulos dos torcedores.

Depois da porta arrombada, o Alvinegro ainda na base da vontade, foi para cima do Imperatriz, que se mantém firme na defesa, levando a melhor na grande maioria das jogadas e esperando apenas mais um vacilo, na busca de tentar uma investida mortal. Apesar de todo sufoco, eles estiveram muito mais perto de marcar o quarto gol que o ABC diminuir a diferença, uma vez que estavam muito mais organizados dentro de campo.

Como não vinha obtendo sucesso com a bola rolando, na bola parada, Henrique cobrou falta e a bola  acertou a mão do zagueiro. O juiz marcou pênalti, que Jefinho cobrou para marcar o segundo gol abecedista, aos 37 minutos.

A bagunça dentro de campo, foi evidenciada na própria cobrança de pênalti, quando Henrique pediu para bater, foi autorizado por Sérgio Soares, o zagueiro tomou a bola de Luan e já besta se arrumando para cobrar, quando veio a contraordem para Jefinho cobrar a penalidade. Uma cena típica de uma equipe que sofre com a falta de comando.

Essa desarrumação por pouco não acabou no quarto gol quando Lucas Campos, entrou na área, se aproveitou do escorregão de Wenderson, tocou por cobertura e, antes da bola cruzar a linha de gol, Henrique conseguiu afastar. Depois o mesmo 
Lucas foi derrubado na área numa disputa com Joécio, mas o árbitro mandou o.lance seguir, para Desespero de Paulinho Kobayashi e todo o banco alvirrubro.

Aos 45 minutos, aproveitando o avançou desorganizado dos natalenses, o Imperatriz puxou o contra-ataque com Tibiri pela direta, olhou para área e passou para Matheus Lima balança e de novo as redes abecedistas, marcando o seu terceiro gol com a camisa do clube de sua cidade. 

O clima que já estava ruim antes da partida, depois dela ficou insustentável, com a torcida protestando e xingando a tudo e a todos. Valdemir na saída de campo, classificou a situação de vergonhosa. Ele disse que chega, não tem.mais como dar desculpas.

Ficha técnica:

ABC 2x4 Imperatriz-MA

ABC: Saulo, Ivan (Bocão), Henrique, Joécio e Wenderson; Xavier, Valdemir (Mossoró), Jefinho e Luan; Hélio Paraíba e Bóris Sagredo (Hugo). Técnico: Sérgio Soares.

Imperatriz: Jean, Jonas, Gustavo Henrique, Renan Dutra e Ranan Luís;  Xaves, Lucas Campos, Da Silva (Tibiri) e Gabriel Caju (Diogo Oliveira); Matheus Lima e Xavier. Técnico: Paulinho Kobayashi.


Árbitro: Antônio Dib Moraes (PI)

Gol: Lucas Campos/IMP (7'/1°T), Jefinho/ABC (19'/1°T), Renan Dutra/IMP (47'/1°T), Matheus Lima/IMP (12' e 45'/2°T)

Público: 1.225 torcedores
Renda: R$ 14.160,00

Local: Estádio Frasqueirão.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários