Abin vai auxiliar ações de segurança

Publicação: 2014-01-30 00:00:00
Roberto Lucena
repórter

As ações de segurança pública durante a Copa do Mundo Fifa 2014, em Natal, serão articuladas e definidas por três órgãos do Estado e vão contar com o auxílio da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O anúncio da definição foi feito na tarde de ontem, na capital potiguar, por representantes dos ministérios da Justiça e da Defesa enquanto participavam do primeiro encontro da “caravana da segurança” que vai percorrer as doze cidades-sede do campeonato.
Escola de Governo sediou primeiro encontro da caravana da segurança que vai às 12 cidades-sede
Para a realização dos quatro jogos da Copa do Mundo em Natal, os responsáveis por decidir a quantidade de efetivo policial necessário, onde serão fixadas as barreiras de triagem e como será feito o controle de torcedores, as seguintes autoridades: titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), Aldair da Rocha; superintendente regional da Polícia Federal no Rio Grande do Norte (PF-RN), Kandy Takahashi e o comandante do 3º Distrito Naval, almirante Marcos Miranda.

De acordo com o chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, os três gestores estarão reunidos, em local ainda a ser definido, durante o evento esportivo. A regra de unir as forças foi definida pelo Palácio do Planalto e tem como base as experiências da Copa das Confederações, em junho do ano passado. “Após a Copa das Confederações, analisamos onde poderíamos melhorar. Percebemos que será interessente unir os gestores no mesmo ambiente para decidir as ações”, explicou.

O general também informou que a Abin estará dando suporto às atividades desenvolvidas em Natal. “Toda a assessoria de inteligência será prestada pela Abin”, afirmou.

Já o delegado da Polícia Federal e secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Rodrigues, afirmou que cada cidade-sede recebeu, nos últimos meses, investimento de R$ 80 milhões  do Governo Federal. O montante foi usado para equipar as polícias, bem como capacitar policiais. “Para a Copa, cada cidade-sede vai obedecer um regimento com 780 protocolos de segurança. Nesse setor, são 15 eixos de atuação”, disse momentos antes da reunião de ontem. 

Ainda não está definido o envio de homens da Força Nacional para Natal. Andrei Rodrigues disse que a manobra será usada de acordo com a necessidade. “Cada cidade é um caso. A Força Nacional está à disposição para atuar na Copa do Mundo, mas o envio de pessoal vai depender da avaliação do cenário existente”, disse.

O titular Sesed, Aldair da Rocha, disse que o Governo do Estado tem, assegurado em cofres, R$ 30 milhões para compra de equipamentos para a polícia. São viaturas, armas, coletes e sinalizadores, por exemplo. A compra do material está prevista nas diretrizes de responsabilidade de cada ente envolvido na realização da Copa. Faltando pouco mais de cem dias para o início do evento esportivo, o secretário assegura que o material será adquirido. “Na verdade já era para ter comprado isso, mas não foi possível. O dinheiro está assegurado e vamos adquirir o que for necessário”, anotou.

Após a reunião que foi realizada na Escola de Governo – mesmo local onde abriga o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR/RN) – os gestores da segurança se encontraram com a governadora Rosalba Ciarlini. Amanhã, após a primeira reunião de trabalho sobre planos operacionais para o período da Copa, que contará com a presença do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o grupo embarcará para Fortaleza/CE.