Acaba greve e atendimento bancário será retomado

Publicação: 2018-03-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Sindicato Intermunicipal dos Vigilantes do RN (Sindsegur), que representa trabalhadores da área de segurança privada em 27 municípios do Estado, decidiu suspender a greve que já durava 16 dias após acordo firmado com os empresários do setor na tarde desta terça (13). A proposta que pôs fim à paralisação, foi apresentada durante rodada de negociação mediada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-21ª Região), e homologada por unanimidade em assembleia da categoria.

Vigilantes aprovam, em assembleia no final da tarde, proposta que encerra greve de 16 dias
Vigilantes aprovam, em assembleia no final da tarde, proposta que encerra greve de 16 dias

A direção do Sindsegur-RN confirmou que os vigilantes voltam “aos postos de serviços amanhã no horário normal”. Com a decisão, as agências da rede bancária devem retomar o atendimento ao público nesta quarta-feira (14). A volta ao trabalho dos vigilantes também normaliza a rotina em órgãos públicos e hospitais.

De acordo com a Ata da Audiência, a negociação começou às 8h15, chegou a ser suspensa por uma hora entre 15h30 e 16h30, e encerrou às 17h35.   Representantes do Sindsegur-RN e do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do RN (Sindesp) se reuniram na sala de conciliação do Centro Judiciário de Solução de Conflito e Cidadania do TRT-21, coordenada pelo juiz Michael Wegner Knabben, e fecharam acordo que define reajuste salarial de 2,2% retroativos ao dia 1º de março.

Também ficou definido reajuste no valor do vale-alimentação para R$ 15,50 mantido o desconto de 20% do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT); que o intervalo intrajornada será de uma hora, facultada a indenização de até 30 minutos caso o intervalo não usufruído integralmente; e a escala 12/36 horas foi mantida, sendo que a hora no período noturno terá duração de 52 minutos e 30 segundos e acréscimo de 20% na remuneração para períodos cumpridos entre às 22h e 5h.

Os vigilantes, ainda conforme o acordo firmado, comprometem-se a suspender a paralisação a partir de hoje, porém será mantido o estado de greve até o cumprimento de todos os 12 termos acordados. “Se houver quebra do acordo, a categoria volta ao movimento de paralisação”, avisa Eriberto Teixeira, diretor do Sindsegur-RN.

Ainda consta na norma coletiva que 20% das horas dos dias de paralisação, entre 26 de fevereiro e 13 de março, serão abonadas, enquanto 40% serão descontadas em contracheque em seis parcelas e outros 40% compensado em horas.

O acordo também prevê que os dias de paralisação não terão impacto sobre o cálculo dos DSRs (Descanso Semanal Remunerado); e que empregadores não irão aplicar qualquer tipo punição aos trabalhadores que aderiram à greve. “Foi uma grande vitória, a categoria está de parabéns. Foi cansativo, mas conseguimos evitar a retirada de direitos trabalhistas consolidados”, frisou Teixeira, acrescentando que as empresas permanecem com a obrigação de fornecer  fardamento, colete balístico e arcar com custos de cursos de reciclagem.

O Sindicato das Empresas de Segurança Privada do RN (Sindesp) confirmou, através de nota, que o acordo firmado assegurou a “cessação imediata da greve dos vigilantes” e que uma nova rodada para finalização da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) está agendada para a próxima sexta-feira (16) na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-21).


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários