Admiradores destacam pioneirismo

Publicação: 2017-06-17 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sob lágrimas e aplausos, o corpo  da ex-governadora Wilma de Faria chegou à Catedral Metropolitana de Natal, onde ela foi velada. Familiares, amigos, políticos, empresários, admiradores e curiosos foram até a catedral dar o último adeus a mulher descrita por todos como “guerreira”.  Durante a manhã e tarde de ontem (16),  filas se formaram para os que queriam ver perto o corpo e se despedir da ex-prefeita de Natal.   O corpo da ex-governadora Wilma de Faria chegou por volta das 9h10 no lugar.

Durante a manhã, o sentimento de tristeza era presente entre os que se despediam de “dona Wilma”, como ficou popularmente conhecida. Descrita como pioneira na política do Rio Grande do Norte, ela também era protagonista em na família. Reunidos em abraços e consolo, os filhos, irmãos, sobrinhos e demais parentes se despediam do corpo da ex-governadora.

Velório da ex-prefeita e ex-governadora foi na Catedral
Velório da ex-prefeita e ex-governadora foi na Catedral

Companheiro de Wilma de Faria durante 12 anos, o atual marido José Maurício de Souza enalteceu a garra durante a vida política de Wilma e nos últimos anos, quando lutava contra um câncer no intestino.  “Não tenho descrever Wilma sem falar só de virtudes. Ela se dedicou totalmente as causas do Rio Grande do Norte na parte estrutural e social. Ela fará muita falta ao nosso povo. Não deu tempo dela fazer todos os projetos enquanto vereadora. Agora fica só a saudade”, disse o marido emocionado.

Perto do corpo da mãe durante todo o velório, a filha e deputada Márcia Maia (PSDB), se emocionou ao lembrar dos ensinamentos da mãe enquanto política e mulher. Márcia abraçou a população que veio se despedir de Wilma. "Ela deixa um legado, exemplo de determinação, trabalho, ousadia, idealismo e muito garra. Ela foi uma batalhadora em todas as fases de sua vida, como profissional na área da educação, como mãe. Sempre foi uma referência na minha vida e dos meus irmãos, tios, netos e todos os natalenses", disse Márcia.

Além do exemplo como política, Márcia também registrou o que representou Wilma como mãe. "Ela foi uma mãe no sentido pleno da palavra. Perder uma mãe não é fácil, mesmo na doença ela lutou até o último instante. Fica o exemplo até no momento de fragilidade de estar sempre pronta paga a batalha com muita fé. O que conforta é saber que ela descansou. Nós estamos em paz e ela também", finalizou.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários