Agentes aprovam indicativo de greve para próxima quarta

Publicação: 2017-12-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte decidiram em assembleia geral, realizada durante a tarde desta terça-feira (5), entrar em greve por tempo indeterminado a partir da quarta-feira (13). A categoria reivindica o envio da mensagem referente ao Projeto de Lei que estabelece a implantação dos níveis de carreira, por parte do Governo do Estado à Assembleia Legislativa.

Vilma Batista disse que decisão será repensada se PL chegar a AL
Vilma Batista disse que decisão será repensada se PL chegar a AL

De acordo com Vilma Batista, presidente do sindicato dos agentes penitenciários (Sindasp), a categoria está dando um voto de confiança ao Governador Robinson Faria (PSD). "Caso a mensagem seja enviada até o dia 13 de dezembro, iremos repensar a nossa decisão. Estamos fazendo de tudo para manter o Sistema Penitenciário do RN", disse. Além do envio da mensagem e do pagamento em dia, os agentes também reivindicam a implantação do auxílio alimentação.

Ainda segundo ela, os agentes penitenciários vem trabalhando pacientemente e mantendo a ordem nas unidades prisionais, mesmo diante da falta de estrutura e os atrasos no pagamento. "A reestruturação do sistema também passa pelo fortalecimento da carreira dos agentes, não adianta apenas construir presídios, sem pagar ou incentivar o servidor. Nos lamentamos que o Governo não reconheça isso", afirmou.

Militares
No próximo dia 13 deste mês, às 14h, no Clube Tiradentes, os praças policiais e bombeiros militares do RN dão continuidade à Assembleia Geral Unificada. Há possibilidade da deliberação de indicativo de paralisação nesta nova reunião, caso até esta data o Governo do Estado não tenha realizado o pagamento dos salários de novembro, nem tenha alguma garantia para este fim, informa o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN).

De acordo com o presidente, até o momento, o governador não se pronunciou sobre os pagamentos das folhas de novembro, dezembro e 13º salário, a despeito das associações terem solicitado, por meio de ofício, reunião com o Executivo. “Solicitamos ao Governo um calendário de pagamento, mas isso não foi realizado. Neste cenário, para termos os salários em dia é necessário uma luta mensal. Não é o nosso desejo, mas se for preciso tomaremos medidas mais enérgicas”, afirma o Marques, se referindo a uma possível paralisação.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários