AGN financiou cerca de R$ 35 milhões em dois anos

Publicação: 2017-11-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Criado em 2015, o Programa Microcrédito do Empreendedor, operacionalizado pela Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN), já está presente em 103 municípios e movimentou cerca de R$ 35 milhões em dois anos. “O Governo do Estado beneficia do pequeno ao grande. O microcrédito insere no mercado aqueles mais carentes, sejam formais ou informais”, analisa Murilo Diniz, diretor-presidente da AGN. Hoje, o programa conta cerca de 12 mil clientes e a perspectiva é de, até o final de 2018, expandir para 20 mil.

Murilo Diniz, da AGN, diz que pequenos negócios são importantes para geração de renda no RN
Murilo Diniz, da AGN, diz que pequenos negócios são importantes para geração de renda no RN

“Em pouco mais de um ano e meio, nós percebemos a mudança nos municípios atendidos pelo programa. Agora, existem microempreendedores que dinamizam a economia. O pequeno empreendedor está fazendo a economia girar. O emprego formal caiu e a produção individual, pequena, cresceu”, afirma Murilo Diniz. Ele destaca, ainda, que o  Programa Microcrédito do Empreendedor da AGN é um dos primeiros do País, servindo como referência para outros Estados. “O País está vendo isso nós saímos na frente quando o assunto é valorizar o microempreendedor. Nós temos o melhor programa de microcrédito do País, com inadimplência abaixo de 4%”, ressalta.

Dos setores da economia com maior volume de contratações de empréstimos junto à Agência de Fomento, os principais são: alimentos, comércio varejista, serviço (sacoleiras, mecânicos, pedreiros, manicure, cabeleireira, mototaxistas), além de uma linha específica para a pecuária. “Atendemos ao agronegócio nas grandes feitas montadas pelo Estado. Sempre financiamos animais de primeira linhagem, os que são puros”, diz Murilo Diniz.

Conforme destacado pelo diretor-presidente da AGN, o mercado precisa ficar alerta ao volume de recursos gerado pelos microempreendedores pois, em decorrência do elevado número de desempregados, muitos estão se voltando à implantação de melhorias nos negócios e expansão. “O emprego hoje é medido pela formalidade. Mas, as pessoas estão buscando alternativas para sair do desemprego. Uma das saídas é a contratação de microcrédito para abertura de negócios próprios”, enfatiza.

Além disso, ele relembra que há municípios que recebem mais recursos dos financiamento da AGN do que do próprio Fundo de Participação dos Municípios (FPM) como é o caso de Lagoa de Velhos. Nela, os contratantes movimentaram mais de R$ 400 mil somente este ano. “Os recursos do microcrédito influenciam bastante a economia dos municípios, além de gerar emprego e renda”, ressalta Murilo Diniz.

Cheques

No início deste mês, cerca de 600 pequenos comerciantes de Cruzeta, e outros municípios da região Seridó, como São José do Seridó, Tenente Laurentino, Florânia, São Vicente, Caicó e São Bento do Trairi foram beneficiados com a entrega dos cheques do programa Microcrédito do Empreendedor. Mais de R$ 2 milhões estão sendo investidos na economia dessas cidades, possibilitando a criação de novos negócios e empregos. A entrega dos cheques foi realizada pelo governador Robinson Faria.

Os programas

Conheça abaixo o que é o Crediamigo, do Banco do Nordeste, e o Microcrédito do Empreendedor, da AGN.

Crediamigo
É o maior Programa de Microcrédito Produtivo Orientado da América do Sul, que facilita o acesso ao crédito a milhares de empreendedores pertencentes aos setores informal ou formal da economia (microempresas, enquadradas como Microempreendedor Individual, Empresário Individual, Autônomo ou Sociedade Empresária).

O Crediamigo faz parte do Crescer - Programa Nacional de Microcrédito do Governo Federal - uma das estratégias do Plano Brasil Sem Miséria para estimular a inclusão produtiva da população extremamente pobre. O Programa atua de maneira rápida e sem burocracia na concessão de créditos em grupo solidário ou individual. Grupo solidário consiste na união voluntária e espontânea de pessoas interessadas em obter o crédito, assumindo a responsabilidade conjunta no pagamento das prestações. A metodologia do aval solidário consolidou o Crediamigo como o maior programa de microcrédito do país, possibilitando o acesso ao crédito a empreendedores que não tinham acesso ao sistema financeiro.

Associado ao crédito, o Crediamigo oferece aos empreendedores acompanhamento e orientação para melhor aplicação do recurso, a fim de integrá-los de maneira competitiva ao mercado. Além disso, o Programa de Microcrédito do Banco do Nordeste abre conta corrente para seus clientes, sem cobrar taxa de abertura e manutenção de conta, com o objetivo de facilitar o recebimento e movimentação do crédito.

Outras Informações:
Os documentos necessários para o cadastro de um cliente do Crediamigo são: CPF, Documento de Identificação com foto e Comprovante de Residência atual.

O atendimento ao cliente do Crediamigo é personalizado, feito no próprio local do empreendimento; o empréstimo é liberado de uma só vez em no máximo sete dias úteis após a solicitação.

Os valores iniciais variam de R$ 100,00 a 6.000,00, de acordo com o produto, a necessidade e o porte do negócio. Os empréstimos podem ser renovados e evoluir até R$ 15.000,00, dependendo do produto, da capacidade de pagamento e da estrutura do negócio, permanecendo esse valor como endividamento máximo do cliente.

Microcrédito do Empreendedor
O Programa Microcrédito do Empreendedor é um projeto pioneiro planejado e executado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte através da Agência de Fomento. O Microcrédito financia em até R$ 3 mil o empreendedor informal e em até R$ 6 mil o empreendedor formalizado, com atendimento individual ou em grupos de três a cinco pessoas.
As taxas de juros são de 1,5% ou 1,7% ao mês. O prazo para pagar o financiamento é de até 12 meses para quem não possui CNPJ, e 24 meses para os pequenos empreendedores que já atuam na formalidade. Além disso, quem paga o empréstimo em dia tem desconto de adimplência de 100% dos juros.

Microcrédito Empreendedor

Ano 2016

5.816 contratações
R$ 17.606.739,00 contratados

Ano 2017*
4.563 contratações
R$ 15.009.519,08

Previsto até dezembro de 2017:
R$ 17.307.519,08
   
*Até 31 de outubro de 2017

Fonte: AGN

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários