Natal
Alcaçuz tem fuga de 12 detentos nesse sábado (17)
Publicado: 00:00:00 - 18/07/2021 Atualizado: 15:09:09 - 17/07/2021
A  Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, teve neste sábado (17) a primeira fuga em massa de presos desde a crise de janeiro de 2017, quando uma disputa entre facções terminou com a morte de pelo menos 27 pessoas e pelo menos 56 pessoas fugiram da unidade. O Governo do Estado confirmou a fuga de 12 presos. O episódio mais recente de fuga aconteceu em 2018, quando apenas um detento escapou do complexo penitenciário. Segundo informações, os 12 presos escaparam por um buraco a partir da ventilação em um banheiro.

Todos os presos são da cela 09, ala “A”, do pavilhão IV.

Todos os fugitivos cumpriam pena em regime fechado, mas apenas quatro presos faziam parte de facção criminosa – Sindicato do Crime, mas sem nenhuma liderança no grupo, de acordo com prontuário da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap).

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), os fugitivos foram identificados como: Alziro Tony da Silva, de 28 anos; Antonio Marcos Sena da Silva, conhecido como 'Marcola', de 31 anos; Cleyton Marques de Mendonça, de 27 anos; Francisco Alef Guedes de Lima, conhecido como 'Matuto', de 27 anos; Francisco Damião Virgínio de Oliveira, conhecido como 'Gato a Jato', de 48 anos; Francisco Eliomar Faustino Júnior, de 27 anos; Francisco Ray Pereira da Costa, de 27 anos; Genilson Silva de Andrade, conhecido como 'Nilson', de 23 anos; Henrique de Oliveira Souza, conhecido como 'Borracha', de 35 anos; Ivanaldo Sales da Silva, conhecido como 'Pikachu', de 21 anos; Max Soares da Silva, de 29 anos; e Osvanildo Maria da Silva, conhecido como 'Cachimbo', de 34 anos.
Alex Régis
Governo mobilizou as forças de segurança pública para a captura dos fugitivos. Secretaria Penitenciária vai apurar circunstâncias

Governo mobilizou as forças de segurança pública para a captura dos fugitivos. Secretaria Penitenciária vai apurar circunstâncias

Em nota oficial, a Seap informou que a Polícia Penal e as forças de Segurança Pública estavam mobilizadas na operação de captura dos fugitivos.  Informa que a última fuga em Alcaçuz ocorreu em 2018, quando um detento fugiu, e foi recapturado.  Antes, em 2017, ocorreu uma grande fuga, quando 56 apenados escaparam.

Quanto ao episódio desta madrugada, a Seap confirmou que os fugitivos estavam custodiados na cela 9 do Pavilhão IV, que abrigava 738 presos, sendo que atualmente A Penitenciária de Alcaçuz abriga 1.649 presos condenados pela Justiça. 

A direção do estabelecimento prisional registrou Boletim de Ocorrência. Peritos do Instituto Técnico Científico de Polícia (ITEP) foram acionados para realizar perícia no local. A SEAP instaurou procedimento para apurar as circunstâncias da fuga. 
Participam da operação de buscas os policias de plantão, além do efetivo extra acionado pela SEAP, incluindo o Grupo de Operações Especiais (GOE), Grupo Penitenciário de Operações com Cães (GPOC), Grupo de Escolta Penal (GEP) e Departamento de Operações Táticas (DOT). A Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal prestam apoio a ação. 

A última fuga tinha sido em fevereiro de 2018, quando Francisco Carlos dos Santos, de 34 anos, tido como "preso de confiança" deixou a unidade e foi recapturado em seguida. Na ocasião, o detento foi capturado logo em seguida em Parnamirim, na Grande Natal. Esse foi o último e único registro desde o massacre de Alcaçuz, quando 54 presos fugiram da unidade, de acordo com números oficiais.
Em maio deste ano, um plano de invasão ao presídio para resgate de detentos foi descoberto pela Deicor. Alguns dos envolvidos foram presos e estima-se que o grupo gastaria entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões para concretizar a ação, interpelada pelas forças de segurança do RN.
A Penitenciária de Alcaçuz tem 1.649 presos, com capacidade para 967. O Rogério Coutinho Madruga tem 708 presos, com capacidade para 420. Os dados são de fevereiro, do Geopresídios, do CNJ. O Complexo de Alcaçuz passou por uma série de reformas e investimentos nos últimos quatro anos. Foram reformados todos os pavilhões, estruturação de celas e instalação de câmeras de segurança e sistemas de vigilância 24h.
Inaugurado em  1998, o Complexo de Alcaçuz teve diversas fugas. A maioria delas com presos cavando túneis. Em apenas uma situação, em  2000, foi registrada uma fuga com apoio de membros externos. Pelo menos 28 detentos, entre eles Valdetário Carneiro, fugiram após um grupo metralhar a unidade para conseguir dar cobertura para a fuga.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte