Alianças para disputa eleitoral estão em formação

Publicação: 2016-01-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Anna Ruth Dantas
Repórter

O ano de 2016 começa com alguns dos principais colégios eleitorais do Rio Grande do Norte praticamente definidos, se não em candidatos, mas em blocos de alianças. Em Parnamirim, o postulante ao Executivo da situação será o secretário Naur Ferreira (PSB), mas há indefinição sobre quem virá na oposição: o presidente da Câmara, vereador Ricardo Gurgel (ainda filiado ao PSB, mas em vias de mudar de legenda), ou o deputado estadual Carlos Augusto Maia (PT do B).
Aldair DantasEleitores vão as urnas, em outubro, para a escolha de prefeitos e vereadoresEleitores vão as urnas, em outubro, para a escolha de prefeitos e vereadores

Em São Gonçalo do Amarante, oposição com candidato definido, o vice-prefeito Poti Neto (PMDB), mas dúvida na base situacionista. O prefeito de São Gonçalo, Jaime Calado (PR), tem dois pré-candidatos na sua base: o superintendente da Caixa Econômica Federal, Roberto Sérgio Linhares, e o secretário municipal de Habitação, Paulo Emídio Medeiros. Ambos são filiados ao PR e são cogitados no plano de disputar o Executivo. Aguardam apenas a definição do prefeito, o que virá apenas depois do carnaval.

Em Macaíba, as indefinições estão no PMDB, onde há dois pré-candidatos postos: a ex-prefeita Marília Dias e o conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Estado Valério Mesquita.

Esses são alguns dos cenários já postos nos grandes colégios eleitorais do Rio Grande do Norte. Municípios que na construção das articulações partidárias com vistas ao pleito de 2016 atraem não apenas os líderes locais, mas também os estaduais, que já visualizam a partir do pleito deste ano projeções de espaço para os seus projetos próprios de 2018.

Em Macaíba o governador Robinson Faria terá como candidato o prefeito Fernando Cunha, filiado ao PSD, legenda que o chefe do Executivo preside.

No colégio eleitoral macaibense as indefinições em clima de disputa interna estão concentradas no PMDB.  A ex-prefeita Marília Dias deseja voltar ao Executivo. O mesmo projeto tem o conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Estado, Valério Mesquita. Ambos são filiados ao PMDB e trazem projeto semelhante.

Em Macaíba o PSB também esboça um candidato próprio que viria com o atual vereador e ex-prefeito Luiz Gonzaga Soares. Nos bastidores, há quem aposte que a eleição nesse colégio eleitoral será polarizada entre o atual prefeito e o candidato do PMDB. Enquanto Luiz Soares iria se compor com um dos dois blocos.

Já em Parnamirim o cenário coloca como candidato apoiado pelo prefeito Maurício Marques (PDT) o atual secretário municipal de Obras, Naur Ferreira (PSB). O chefe do Executivo parnamirinense, desde o ano passado, já declara, publicamente, o seu apoio e sua defesa ao nome de Naur Ferreira.

O bloco da oposição, publicamente, diz estar unido, mas vive uma disputa interna. O presidente da Câmara Municipal, vereador Ricardo Gurgel (PSB), e o deputado estadual Carlos Augusto Maia (PT do B), alimentam o projeto de disputar o Executivo. Oficialmente, os dois trazem declarações de que a oposição terá apenas um candidato, mas nos bastidores cada um tenta se viabilizar. Eles disputam não apenas a própria candidatura de oposição, mas também o apoio do governador Robinson Faria. Tanto Ricardo Gurgel quanto Carlos Augusto Maia são aliados do governador, apoio firmado ainda no primeiro turno do pleito de 2014.

No caso específico de Ricardo Gurgel há uma outra implicação. Atualmente ele está filiado ao PSB, mas irá aproveitar a janela partidária, em março próximo, para ingressar no PSD, legenda presidida pelo governador Robinson Faria.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários