América formaliza pedido para retomada de treinos

Publicação: 2020-06-05 00:00:00
A+ A-
Frente a incerteza de quando as autoridades irão liberar a retomada do Campeonato Estadual, a diretoria do América resolveu agir diretamente junto ao órgão que regula a liberação das atividades nesses tempos de pandemia. O vice-presidente do Alvirrubro, Ricardo Valério, ingressou com representação junto a área técnica da Secretaria de Saúde do RN, solicitando o reconhecimento do futebol como uma atividade profissional e não do ramo do entretenimento ou lazer, como são consideradas as academias. A diretoria americana acredita que se obtiverem êxito na mudança de qualificação da atividade futebolística, os clubes poderão retomar suas atividades bem antes do dia 17 de junho, data para qual foi prorrogada o decreto de isolamento social expedido pelo governo do RN.

Créditos: CANINDE PEREIRASegundo o dirigente Ricardo Valério, o futebol ser equiparado a algumas atividades é um erroSegundo o dirigente Ricardo Valério, o futebol ser equiparado a algumas atividades é um erro


Ricardo Valério ingressou com uma representação conjunta, envolvendo todos os clubes do futebol do RN, por considerar que a classificação do futebol no mesmo ramo de atividades das academias trata-se de um grave erro de avaliação.

“Estão comparando atividades de situações bem distintas. O Futebol é um ramo de atividade profissional, onde os atletas estão sob contrato e o clube tem a responsabilidade de quitar os seus compromissos todo o mês. A relação entre essas duas partes é de trabalho, não de lazer, hobby ou entretenimento, como ocorre com os frequentadores das academias. Logo não existe parâmetro para inclusão dessas duas atividades no mesmo ramo de classificação. O que o América está pedindo com o documento enviado as autoridades de saúde do RN é que essa questão seja revista”, afirmou Valério.

O dirigente reforçou ainda que, diferente dos treinos em ambientes fechados, no CT dos clubes, os atletas realizam exercícios em áreas abertas, obedecendo todas as normas de segurança exigidas no protocolo do clube e das próprias autoridades sanitárias, tais como a realização de trabalhos em pequenos grupos, com os atletas e funcionários do centro de treinamento com acompanhamento rigoroso de saúde e praticamente confinados. “Estamos fazendo as autoridades observarem que, da forma como se encontra hoje, com os clubes impedidos de receber os seus profissionais para realização de atividades, a situação está muito mais perigosa. Esses jogadores sabem que dependem de um bom estado físico para poder desempenhar bem as suas funções, então com esse tempo todo sem treinar no clube, eles estão trabalhando por conta própria nas ruas, nos condomínios e até nas praias. Podem estar sendo orientados, mas não vêm sendo acompanhados da forma correta e, logo, se encontram mais expostos a contaminação pelo novo coronavírus”, ressaltou.

Outro ponto abordado pela diretoria americana, é que sem atividades os clubes potiguares que vão disputar a Série D do Brasileiro, estão perdendo competitividade em relação aos de outros estados nordestinos, onde a situação da pandemia atingiu números muitos bem mais graves que o do Rio Grande do Norte, mas que já concederam liberação para o retorno das atividades nos clubes, casos de Pernambuco e Ceará.

“Nós entendemos que a situação do RN exige cuidado, mas ao mesmo tempo olhamos para vizinhos nossos, onde a Covid-19 fez um número bem maior de vítimas e de pessoas contaminadas, que já concederam liberação para os trabalhos nos clubes. Nós estamos perdendo um valioso tempo de preparação e poderemos entrar no Brasileiro defasados em relação aos nossos adversários. América, ABC, Globo e Potiguar necessitam entrar na competição no mesmo nível das demais, se quiserem sonhar com a luta pelo acesso para Série C”, reforçou.

Os contatos com os técnicos da secretaria de Saúde estão sendo quase que diários, Ricardo Valério acredita que o departamento jurídico americano conseguiu formular bem os argumentos e se mostra confiante na reclassificação do futebol como uma atividade profissional, não apenas como a de lazer e entretenimento.

“Nós vamos continuar acompanhando de perto essa situação junto a área técnica da secretaria de Saúde do RN. Demos entrada por aqui mesmo por acreditar que o comitê científico que vem realizando um belo trabalho na orientação dos governadores nordestinos em relação a melhor forma de combater essa pandemia, conhece pouco a realidade local e o que os nossos clubes estão fazendo para poder retomar suas atividades no mais alto nível de segurança. Tudo aquilo que a área sanitária exigir o América e os clubes de futebol do RN vão seguir à risca. Retornando aos treinos agora, eu acredito que até o final de julho já teremos concluído a disputa do nosso Campeonato Estadual”, disse Ricardo Valério.

A ideia que já está praticamente definida é realizar todo o restante do Estadual na Arena das Dunas, um local onde se oferece maiores condições de segurança, com jogos realizados a cada três dias. Dessa forma os dirigentes acreditam que, no máximo, em quinze dias a competição poderá realizar sua grande final, uma vez que para muitos clubes, faltam apenas dois jogos para concluir sua participação. Na situação atual ABC e América são as equipes que terão de entrar mais vezes em campo,  cada um dos clubes ainda possui quatro jogos a realizar. 

Governo do RN pode liberar futebol no dia 17/6
Com a decisão do governo estadual de estender o período de isolamento social até o próximo dia 17 de junho, a discussão sobre a retomada da atividade do futebol no RN sofreu mais um adiamento. O presidente da Comissão de Saúde da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), o infectologista Antônio Araújo, destacou que as condições para se tratar da retomada de atividades esportivas não é dos mais propícios, dada a gravidade da situação nos postos de atendimento a pacientes contaminados pela Covid-19 que entraram em colapso. Porém o médico considerou o novo prazo bem razoável e disse que irá continuar trabalhando no protocolo para apresentar às autoridades com a finalidade de permitir segurança para retomada do futebol, assim que ocorrer o relaxamento nas regras de isolamento.

Frente a situação atual, o médico disse que não há outra alternativa senão reforçar o isolamento, que no atual estágio continua a ser a única forma eficaz para reduzir a velocidade de transmissão do novo coronavírus. Araújo está ciente que a flexibilização das regras só irão ocorrer se o problema da ocupação dos leitos de UTI, nas unidades de saúde pública, melhorar dentro desse novo período.

Um cenário seguro, será quando o número da ocupação das UTIs que se encontra acima de 90% na rede pública e muito próximo desse patamar a rede privada de saúde, seja reduzida para casa dos 70%.






Deixe seu comentário!

Comentários