América necessitará de 40 dias, antes da retomada

Publicação: 2020-04-25 00:00:00
A+ A-
Em pleno processo de reorganização dentro do América, o novo executivo de futebol, Fabiano Melo, foi taxativo ao falar sobre quantos dias os atletas vão necessitar trabalhar, antes de retomar as atividades no futebol. Ele, estimou um prazo máximo de 40 dias para que os atletas recuperem o condicionamento físico e o treinador Roberto Fernandes possa reimplementar a parte tática que deseja ver o elenco desempenhar na segunda parte do calendário nacional. 

Créditos: Diego SimonettiAtacante Wallace Pernambucano teve o contrato prorrogado com aval de Roberto FernandesAtacante Wallace Pernambucano teve o contrato prorrogado com aval de Roberto Fernandes


Por enquanto, o trabalho vem sendo apenas administrativo dentro do Alvirrubro, que vem sofrendo algumas intervenções consideradas importantes visando realizar um bom Campeonato Brasileiro.

Como ainda não existe uma data determinada para a liberação do retorno as atividade no futebol, as medidas que estão sendo tomadas, visam se antecipar ao anúncio da CBF, visto que deixar para se planejar apenas quando a confederação anunciar o retorno das atividades, seria um grande suicídio, na visão do dirigente alagoano.

“É complicado realizar um trabalho nas condições que nos encontramos hoje, mas temos de nos planejar. Não podemos ficar esperando, de braços cruzados, a CBF dar o ok para retomada do futebol e começar do zero, sem ter nada traçado. Graças a Deus recebi carta branca do presidente Leonardo Bezerra para buscar desenvolver o trabalho ao qual me propus dentro do clube. Gostaria de parabenizar o trabalho de gestão que nosso presidente vem realizando. É uma mentalidade diferente e estamos tendo condições de dar sequência aos projetos que temos em mente. Já realizamos algumas renovações consideradas importante e fizemos, também, algumas contratações. Tenho certeza de que quando tudo isso passar, estaremos bem estruturados e organizados para promover esse retorno”, salientou Fabiano Melo.

Por enquanto não existe qualquer tipo indicação sobre o caminho a ser trilhado para essa retomada, o que se vê no mundo do futebol são muitas conjecturas na busca de encontrar o meio mais viável, visando dar continuidade a temporada de 2020.

“A gente vem conversando com amigos de outros estados importantes e com bom fluxo na CBF, assim como alguns executivos também. O pensamento é que em maio seja liberado o retorno aos treinamentos nos clubes. Seria uma espécie de tempo para realização de uma intertemporada, já anunciando o retorno das competições. A previsão é reiniciar as competições em junho, com a continuidade dos estaduais e da Copa do Brasil. Só depois disso, teria largada o Brasileirão. Tudo com os portões fechados, até segunda ordem das autoridades ligadas a área da saúde. A reabertura ao público ocorrerá de uma forma muito controlada, até voltar à normalidade”, informou o executivo alvirrubro.

Ele alerta que, mesmo nesse período sem realização de eventos, é importante o torcedor americano continuar contribuindo com o clube, através do projeto sócio torcedor, que irá permitir a diretoria ter um lastro financeiro mais na frente, para buscar algumas soluções importantes em termos de futebol. 

Baseado naquilo que vem sendo feito na retaguarda, com a finalidade de conceder ao treinador Roberto Fernandes o melhor ambiente de trabalho possível, Melo acredita que esse torcedor terá motivos de sobras para ter alegrias na temporada ainda.

As recentes notícias tratando da reformulação do elenco, como a liberação de Cesinha, que não irá permanecer defendo as cores alvirrubras, mereceram explicações. O executivo fez questão de esclarecer que não se tratou de nenhuma dispensa.

“César não se tratou de uma questão de dispensa. Ele tinha contrato a vencer agora em junho e optamos por não renovar. Como existe a questão dessa pandemia e não estamos treinando, além de levar em consideração que a temporada deve voltar justamente no período do final do contrato que ele possuía conosco, achamos por bem liberar logo o jogador”, explicou Melo.

Entre os atletas que estavam com os contratos perto do fim, apenas Dione, Lelê e Wallace Pernambucano tiveram os vínculos prorrogados, com a devida orientação do treinador Roberto Fernandes.

“Na verdade, com as renovações de Wallace e de Lelê, a diretoria encerra o ciclo de prorrogações contratuais. Praticamente o grupo está definido, falta juntar alguns nomes que já estão contratados, mas que, neste momento, ainda não podemos divulgar os nomes por conta da falta da assinatura de contrato”, reforçou.

Da lista de prioridades e que estavam com a situação indefinida, apenas Cesinha e Luiz Fernando, ambos emprestados pelo Cruzeiro, não vão continuar. Wallace Rato ainda possui contrato com o clube e que vai se encerrar mais adiante, porém, a permanência dele também interessa à direção americana, pelo que antecipou Fabiano Melo. 

Com os dois meninos revelados na categoria de base (Beto, Adílio), mais Wilson, atualmente o América possui 26 atletas sob contrato. O executivo do futebol americano, destaca que possui uma forma de trabalhar muito organizada, buscando integrar todos os setores do clube.

“Algumas pessoas imaginam que o diretor executivo tem o papel apenas de contratar e dispensar dentro de um clube, mas o trabalho realizado é bem mais complexo. Eu dou preferência a compartilhar decisões com todos os setores dentro de uma agremiação. Cada um desses possui sua importância, seja ele o setor administrativo, de fisiologia, médico ou logístico. Procuro abraçar todos, pois é da soma deles, que se compõe um clube de futebol. Essa é minha forma de trabalhar. Já em se tratando dos atletas, não tem como um profissional chegar e mudar todo um elenco. Temos de buscar descobrir os pontos fortes de cada um para poder aproveitar e trocar aqueles que realmente sejam necessário, apenas”, destacou Fabiano Melo.