América paga até R$ 90 mil para evitar rebaixamento

Publicação: 2009-11-25 00:00:00
A+ A-
Oficialmente, através do presidente José Rocha, o América comunica que não garantirá premiação extra aos jogadores pela manutenção do clube na série B. Alegando dificuldades para complementar a folha de pagamento do elenco, o dirigente disse que a política de premiação será a mesma combinada depois da chegada do técnico Francisco Diá, quando foi acertado o repasse de R$ 15 mil ao grupo por cada vitória. Mas tudo indica que o grupo de apoio ao futebol deverá arcar com essa contribuição extra, porém o valor só deverá ser estipulado amanhã.

O treinador Francisco Diá já chegou ao clube com o acerto da premiação para livrar o time da quedaQuestionado sobre a possibilidade de incentivo ao Guarani, que faz uma partida chave na definição do rebaixamento contra o Juventude em Campinas/SP, José Rocha foi mais taxativo ainda. “Se nós precisamos de dinheiro para quitar mais um mês de salários, como é que poderemos enviar a tal da ‘mala-branca’ para premiar o Guarani? Se tivesse essa quantia em mãos usaria para completar a folha do nosso elenco”, afirmou José Rocha.

O presidente alvirrubro ressaltou que a negociação foi realizada há dez rodadas, quando a equipe necessitava de cinco vitórias para abandonar o risco de rebaixamento para série B, ocasião em que foi prometido um valor de R$ 90 mil. José Rocha ainda alterou o calendário de pagamento. “Nós pagamos ontem parte do valor pelas vitórias contra o Figueirense e contra o Ipatinga. Como venho fazendo desde o início do segundo turno, a outra parte ficará retida para ser liberada junto com a premiação dessa partida contra o Ceará. Esse pagamento será realizado com todo gosto caso a equipe conquiste o objetivo”, ressaltou.

Com a política de repasse adotada pela presidência do clube, do dinheiro prometido ao elenco faltam repassar R$ 35 mil e os jogadores esperam conquistar um resultado positivo no Ceará para engordar as festas de final de ano. O superintendente de futebol, Souza, vai tentar convencer a diretoria a acrescer mais uma quantia a esse valor para garantir mais motivação ao grupo no duelo final contra o rebaixamento e quer resolver o assunto nesta quinta-feira.

Procurando se manter alheio a questão financeira, o treinador Francisco Diá tenta controlar a ansiedade do elenco e começa a estudar as alternativas para as substituições do volante Júlio Terceiro e do atacante André Luís — suspensos pelo terceiro cartão amarelo. “Minha maior dúvida está na formação do ataque, para o meio-campo a tendência é aproveitar o Jackson na vaga de Júlio Terceiro. Vamos estudar a melhor maneira de enfrentar o Ceará”, salientou.

O técnico não descarta a possibilidade de alterar o esquema e ir para o Castelão com uma equipe mais precavida e dependo do desenrolar dos resultados, soltar o time em busca da vitória caso seja necessário.