Amor à Segunda Vista inspirado em Michel Gondry

Publicação: 2019-07-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Da noite para o dia, Raphaël (François Civil) se vê mergulhado num mundo no qual nunca encontrou Olivia (Josephine Japy), a mulher da sua vida. Como ele vai fazer para reconquistar sua mulher, que se tornou uma perfeita desconhecida? É o drama meio surreal que conduz “Amor à segunda vista”, filme francês que estreou em Natal nesta semana, na sala 04 do Cinépolis, Natal Shopping. O longa já foi assistido por mais de 500 mil pessoas na França, e no Brasil foi um dos destaques do Festival Varilux deste ano.

A atriz Josephine Japy e François Civil vivem os personagens Raphael e Olivia, que se conhecem nos bancos da faculdade
A atriz Josephine Japy e François Civil vivem os personagens Raphael e Olivia, que se conhecem nos bancos da faculdade

Raphael e Olivia se conhecera nos bancos da faculdade, se apaixonaram, se casaram e vivem 10 anos de um amor que, agora, está mostrando sinais de desgaste. De repente, numa noite, é levado para uma dimensão paralela, uma outra sociedade nada igual ao seu mundo. E ali, vê Olívia como nunca pensaria: uma completa estranha. Encantado, o seu amor ressurge e o fazentrar numa jornada para conquistá-la.

Mente sem lembranças
Terceiro longa-metragem do diretor Hugo Gélin, “Amor à segunda vista”, foi, segundo ele, inspirado em produções como “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças” (Michel Gondry) e “A Felicidade Não se Compra” (Frank Capra), em que mesmo as partes fantásticas presentes na história são realistas. Gélin conta que queria que a obra tocasse tanto os jovens que sonham em se apaixonar, quanto os mais velhos que se lembram do primeiro amor.

“O filme é uma busca para encontrar a primeira faísca”, comentou. De acordo com ele, a história do longa-metragem surgiu de perguntas que fazia a si mesmo: “Eu conheci minha esposa muito jovem e crescemos juntos. E me perguntava o que eu teria me tornado sem ela e o que eu teria descoberto.”

Por sua atuação, François Civil ganhou o Prêmio de Interpretação Masculina no Festival Internacional do Filme de Comédia de L´Alpe d´Huez (França, 2019). O longa ganhou ainda o prêmio Swann D'or 2019 de melhor filme no Festival de Cinema de Cabourg, na França. No Brasil, foi um dos destaques da programação do Festival Varilux de Cinema Francês, encerrado em junho deste ano.

François Civil comemora o convite para interpretar Raphaël em um papel tão pessoal: “Eu sei que é um filme muito íntimo para ele (Gélin), que fala sobre sua profunda visão do amor, das pessoas que amamos. Fiquei muito feliz por poder dar vida a esse personagem que vive nele há vários anos”.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários