ANA adia autorização para abrir as comportas

Publicação: 2017-11-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
As comportas da barragem do município de Poço Branco ainda não foram abertas para perenizar o rio Ceará-Mirim. A previsão inicial do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) era abrir parcialmente os registros na última segunda-feira (6). No entanto, pescadores realizaram um protesto no dia e impossibilitaram a abertura. Foi marcada uma segunda data – quinta-feira (9) – que também não se concretizou. Agora, o Dnocs espera a decisão da Agência Nacional de Águas (ANA), gestora da barragem, para garantir a preservação do patrimônio. De acordo com José Eduardo Alves, diretor do Dnocs do Rio Grande do Norte, a solicitação já fora enviada à ANA, mas o órgão ainda não autorizou. O diretor também afirmou que não há data limite para isso acontecer.

Atualmente, a barragem está sem vigilância. Em reunião realizada no último dia 2, o Governo do Rio Grande do Norte e os município de Poço Branco se comprometeram a garantir a segurança, mas nada ainda foi feito. De acordo com o Dnocs, abrir as comportas é arriscado pelos atos de vandalismos dos moradores contra o patrimônio público. Sem nenhum plano d'água, elas estiveram abertas sem nenhum controle nos últimos dez anos. Cerca de 180 famílias sobrevivem da pesca feita na represa e temem que ela seque. A água do rio Ceará-Mirim está totalmente represada na barragem desde maio e a escassez no leito do rio abaixo neste período prejudicou a população que vive às margens. Construída para conter enchentes, as comportas deveriam estar abertas. A capacidade atual da represa é de 8,3 milhões de m³ (6,11% da capacidade total de 140 m³), mas ela só entra em volume morto quando estiver com 1,5%. A estimativa do Igarn é que isso aconteça, caso não chova, somente em novembro de 2018.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários