Anfavea divulga números de julho

Publicação: 2017-08-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
No sétimo mês do ano, a produção de autoveículos alcançou 224.800 unidades, alta de 17,9% sobre as 190.600 unidades do mesmo mês do ano passado e de 5,9% ante as 212.300 unidades de junho passado.

O período acumulado da produção aponta para alta também: 22,4%, ao se comparar às 1.490.000 unidades de 2017 com as 1.220.000 de 2016.

Finalmente, as fábricas de veículos instaladas no Brasil apresentaram números que expressam uma reação à crise que se abateu sobre o Brasil
Finalmente, as fábricas de veículos instaladas no Brasil apresentaram números que expressam uma reação à crise que se abateu sobre o Brasil

No que tange às vendas de automóveis novos, julho registrou 184.800 unidades, diminuição de 5,2% na análise com as 195.000 de junho e aumento de 1,9% sobre as 181.400 de julho do ano passado. Na soma dos primeiros 7 meses, as vendas atingiram 1.200.000 unidades, acréscimo de 3,4% frente as 1.170.000 de 2016.

Para Antônio Megale, presidente da Anfavea, o cenário de vendas continua estável e há uma boa perspectiva com a melhoria de alguns indicadores econômicos.

"Este foi mais um mês que comprovou a estabilidade das vendas. A média diária continua próxima da casa das 9.000 unidades e ficamos acima do mesmo mês do ano passado, apesar da base de comparação ser baixa. Entretanto, o cenário econômico tem apresentado sinais positivos, como a forte queda da inflação e também da taxa básica de juros. Com as próximas reformas, esse panorama pode melhorar cada vez mais".

Exportações
As exportações de autoveículos mantiveram ritmo crescente: as 65.700 unidades enviadas para outros países em julho representam elevação de 42,5% no comparativo com as 46.100 de igual mês de 2016, mas uma leve baixa de 2,4% contra as 67.400 de junho. Nesses 7 meses, 439.600 unidades foram exportadas, alta de 55,3% quando analisado com as 283.100 unidades do ano passado. O resultado acumulado de 2017 permanece como o melhor da série histórica.

Caminhões e ônibus
As vendas de caminhões novos subiram 7.5% na comparação das 4.500 unidades de junho, mas caíram 3,2% sobre as 4.700 do mesmo mês do ano anterior. No acumulado do ano o registro é de baixa de 14,1%: 26.000 unidades foram negociadas nesse ano e 30.300 em 2016.

A produção do segmento em julho ficou em 7.200 unidades, acréscimo de 6% em relação às 6.800 de junho e de 41,5% quando defrontado com as 5.100 de julho do ano passado. Até o último mês, 43.200 caminhões foram produzidos, 19% acima dos 36.300 de 2016.

Os fabricantes de caminhões exportaram no último mês 3.000 unidades, resultado superior em 6,2% em comparação com as 2.800 de junho e maior em 57,3% ante as 1.900 de julho de 2016. No acumulado do ano, os dados apontam crescimento de 47,4%: foram 16.600 este ano contra 11.300 um ano antes.

Ônibus
No segmento de ônibus, as vendas em julho somaram 1.200 unidades: baixa de 1,0% ante às 1.300 de junho e de 27,0% em relação às 1.700 de julho do ano passado . Nos 7 primeiros meses deste ano, 6.100 unidades foram comercializadas, número menor em 16,9% contra as 7.400 de 2016.

Na produção, 2.300 "chassis" para ônibus saíram das linhas de montagem em julho, leve alta de 2.9% no comparativo com as 2.200 de junho e salto de 40,7% ante as 1.600 de julho de 2016. No ano, até agora 12.300 unidades foram fabricadas, crescimento de 12,9% com relação as 10.900 unidades do ano passado.

As exportações de ônibus no acumulado do ano estão estáveis em 4.900 unidades, mesmo resultado registrado em 2016.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários