Antiga “A Samaritana” será o Museu da Água

Publicação: 2019-08-20 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A fachada mais famosa da rua Dr Barata, na Ribeira, será restaurada. Trata-se do prédio da antiga “A Samaritana”, uma loja de tecidos que fez fama no início do século passado, quando aquela rua era o point da sofisticação em Natal. O prédio esteve interditado pela Defesa Civil por vários anos, mas agora a família proprietária está chegando com um projeto de restauro e ativação do ponto.

Restauro do prédio da Dr Barata ainda está em fase inicial
Restauro do prédio da Dr Barata ainda está em fase inicial

Quem está à frente da iniciativa é o empresário Roberto Serquiz, diretor da Água Santa Maria. Ele conta que o plano para o espaço é abrigar o Museu da Água Santa Maria e um café para pequenos eventos, como lançamentos de livros. Mas se a estrutura do prédio permitir, ele também pretende criar pequenas lojinhas para aqueles artesãos de antigos ofícios, como alfaiates, sapateiros e relojoeiros. “Esse prédio pertencia ao meu avô. Tem toda uma história no bairro. Então gostaria muito a partir dele resgatar alguns personagens do passado, como esses artesãos”, diz Roberto.

Mas o empresário ressalta que por enquanto todo o projeto está no campo das ideias, até porque ele ainda não sabe a real condição do prédio. “Estamos na fase de limpeza. Fizemos a poda das árvores que cresceram nas paredes. Tudo ainda é muito inicial. A situação do prédio exigi grande cuidado. Depois dessa fase inicial vamos fazer um diagnóstico da estrutura para definir o que fazer”, comenta. “Estamos com a arquiteta Ilanna [Paula Revorêdo], que tem experiência em prédios históricos [é dela o projeto da Galeria de Arte B-612, na mesma rua Dr Barata]. Também temos um calculista, [o engenheiro] Fábio Pereira, além de um advogado. E estamos com acompanhamento do Iphan”.

Antes abandonado, prédio passa por diagnóstico e reforma
Antes abandonado, prédio passa por diagnóstico e reforma

Roberto garante cuidado especial com a fachada. “O valor do prédio está ali. Vamos recuperá-la. Depois vamos montar o museu na parte da entrada. Temos muito material guardado. A Santa Maria é uma empresa com 50 anos de história. Temos maquinário antigo para exibir, os primeiros garrafões de água, quando ainda era de vidro, muitas fotos, embalagens históricas. Pensamos em algo para receber visita de escolas”.

O prédio
O prédio foi construído em 1916 para funcionar a loja de confecções “A Samaritana”. Depois abrigou uma unidade das Lojas Paulistas. Com a Ribeira entrando em declínio, o prédio foi junto. No entanto, teve um sobrevida no início da década de 80, quando foi adaptado para receber o Café Teatro Frenesi, sob o comando do finado Arruda Sales (drag queen Danuza D'Sales). O empreendimento fez sucesso com espetáculos de Teatro de Revista, mas teve vida curta. Com o tempo, abandonado, foi definhando até chegar num estado crítico, com risco de desabamento, tanto que por vários anos esteve interditado pela Defesa Civil. (Redação Viver).




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários