Ao reagir contra destituição, Ezequiel aponta manobra

Publicação: 2012-08-17 00:00:00
A+ A-
O deputado estadual Ezequiel Ferreira, que foi destituído da função de presidente estadual do PTB, teve uma reação enfática ontem. Ele criticou a ação do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Benito Gama — que interinamente está no comando nacional do PTB, enquanto o presidente da legenda, Roberto Jefferson faz um tratamento médico.  Ezequial afirmou que a iniciativa de Benito de destitui-lo é um reflexo do posicionamento adotado pelo partido na eleição de Mossoró.
Ezequiel Ferreira de Souza sobe na tribuna da Assembleia Legislativa para lamentar destituição
Em pronunciamento no plenário da Assembleia, Ezequiel Ferreira disse que a governadora Rosalba Ciarlini, o ex-deputado Carlos Augusto Rosado e o secretário Benito Gama pediram a interferência do então presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, para que o deputado estadual fizesse intervenção no diretório municipal de Mossoró. A governadora e dos seus aliados teriam ficado insatisfeitos pelo fato dos petebistas terem firmado aliança com a deputada Larissa Rosado, candidata a prefeita de Mossoró pelo PSB, e não com a vereadora Cláudia Regina (DEM), apoiada por Rosalba Ciarlini.

“Já perto da convenção fui chamado por Roberto Jefferson e ele disse que Benito Gama continuava insistindo (para intervenção em Mossoró). Eu reafirmei que não iria intervir”, comentou o deputado. Ezequiel disse que deixou o diretório municipal petebista à vontade para decidir o palanque. “O que é abuso é usar o poder para impor uma vontade própria”, disse Ezequiel.

Ele afirmou que o secretário Benito Gama “falta com a verdade” ao tentar justificar a destituição do diretório estadual do PTB. O deputado disse que Benito Gama mentiu ao tentar atribuir a decisão ao fato de que o partido estaria que a destituição da presidência pelo diretório já vencido.

“Ele falta com a verdade, mente quando diz que existia uma comissão provisória do PTB que perdeu o prazo e ele (Benito Gama) nomeou nova comissão. Existia o diretório que foi escolhido pelo voto livre e democrático dos seus participantes”, destacou.

O parlamentar, único deputado do PTB na Assembleia Legislativa, definiu como “manobra covarde” a ação de Benito Gama. “Recolho-me ao meu mandato de deputado estadual para enfrentar quem não tem mandato há  10 anos. Recolho-me ao meu interior para saber o que fazer. Não sei ainda. Sei apenas que Benito Gama não conhece a força e a coragem dos que nascem no Rio Grande do Norte”, ressaltou o deputado.

Ele lembrou que, ao ser informado por telefone da destituição do cargo de presidente, ainda chegou a conversar com Benito Gama, que confirmou a atitude como reflexo do pedido para o PTB ficar com o DEM em Mossoró não ter sido aceito.  “Estou trazendo esses fatos hoje (ontem) para a imprensa do Rio Grande do Norte para que não digam que não tem nada de político. Mostra que na hora que detém o poder do partido quer ser serviçal de grupo político do Rio Grande do Norte”, disse Ezequiel Ferreira.

Benito afirma que acordo foi quebrado

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, presidente nacional interino do PTB, reagiu às declarações do deputado estadual Ezequiel Ferreira, que foi destituído do cargo de presidente estadual do PTB. Gama afirmou que o motivo da saída do parlamentar foi “a falta do cumprimento da palavra”.

“Ezequiel havia dado a palavra de que resolveria a questão de Mossoró e não fez. Veja que nós (o PTB nacional) liberamos ele em 166 municípios, mas em Mossoró, município da governadora, pedimos que ficasse no palanque e ele não cumpriu a palavra”, disse o secretário de Rosalba Ciarlini.

Benito confirmou que houve uma reunião entre ele, a governadora Rosalba e o ex-deputado Carlos Augusto Rosado com o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. O encontro ocorreu em Brasília e teve como pauta o PTB de Mossoró.

“Estávamos em Brasília para tratar de outros temas e aproveitamos para ir a Roberto Jefferson e falar sobre o assunto”, disse o secretário.

Para Benito Gama, as mudanças feitas no PTB potiguar não são com o foco em 2012, mas na eleição de 2014. Ele afirmou que o mineiro Fábio Rodamilians, seu assessor na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, reorganizará o PTB no Estado em “seis meses”.

Questionado se o assessor conhecia a política potiguar, o secretário respondeu: “ele é mineiro, já transferiu o título para o Rio Grande do Norte e não vou entrar nessa discussão (do novo presidente do PTB ter tido apenas 724 votos na eleição para vereador de Salvador). Esse é um debate pequeno”, comentou o presidente nacional interino do PTB.

Ele criticou os pronunciamentos de deputados de outros partidos estarem fazendo comentários sobre a destituição de Ezequiel Ferreira do cargo de presidente estadual da legenda. “Essa é uma discussão interna corporis, não tem nada que os outros deputados estarem se metendo”, ressaltou.

Deputados criticam atitude do secretário

O pronunciamento do deputado estadual Ezequiel Ferreira na Assembleia Legislativa gerou a reação de vários deputados, que se solidarizaram com o presidente destituído do PTB e criticaram a atitude de Benito Gama. O deputado estadual Hermano Morais (PMDB)  afirmou que foi “lamentável” o ato do secretário da governadora Rosalba. “Foi um ato de violência política e denigre a política do Rio Grande do Norte. Uma intervenção, no meu entendimento, que merece o repúdio de todos os partidos”, disse.

O deputado estadual José Dias (PSD) definiu como “truculento” o ato de Gama.  “Não somos aqui um simples feudo de grupos políticos que trazem tropas estrangeiras para nos sufocar”, disse o parlamentar do PSD.

José Dias lembrou que tem respeito pelos baianos inteligentes, trabalhadores, mas “a Bahia não pode nos ocupar”. “As pessoas não podem ocupar como propriedade privada legendas partidárias para todos os tipos de negócio”, observou.

Para o parlamentar do PSD, Benito Gama está afrontando a inteligência do Estado potiguar com a desculpa que tenta implantar para justificar a destituição do deputado Ezequiel Ferreira do cargo de presidente do PTB.

“Ele (Benito Gama) traz para opinião pública uma versão absolutamente ridícula, como se o Rio Grande do Norte fosse composto por pessoas intelectualmente subalternas e subdesenvolvidas”, disse.

Ele afirmou ainda que o secretário do Governo Rosalba Ciarlini está tentando fazer uma “ocupação política no Rio Grande do Norte, mas o povo do Estado não é subserviente e covarde para submeter a práticas atrasadas e imorais como essas que estão querendo instalar na vida política”.

O deputado Walter Alves (PMDB) falou também em nome do senador Garibaldi Alves Filho, que rechaçou a forma truculenta em que a destituição ocorreu e repassou o sentimento de solidariedade. O peemedebista encerrou o discurso  convidando o deputado Ezequiel Ferreira de Souza para fazer parte do PMDB. “Se o PTB não o quer, a gente convida o senhor para participar do PMDB”, disse.  “Espero que o PTB possa reverter essa situação”.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta (PMN) se pronunciou durante a sessão e sustentou que o apoio incondicional ao deputado Ezequiel Ferreira é de toda a Casa.


Deixe seu comentário!

Comentários

  • junior_bertoldo

    Parabéns a toda bancada dos deputados do Rio Grande do Norte, por não aceitar esse tipo de comportamento truculento de forasteiros com recursos financeiros querendo comprar o nosso estado. Nós POTIGUARES, não estamos a venda, 2014 vem ai, dai com certeza, ele voltara de onde não devia ter saído (BA).

  • chagascassiano

    "Bahia de todos os santos", Bahia de todos os GAMAS, Bahia de todas as GRANAS. BENITO GAMA, OU BENITO GRANA? O DITADOR, INTERVENTOR DA BAHIA NO RIO GRANDE DO NORTE.