Após alta, pacientes de Manaus conhecem o mar

Publicação: 2021-01-28 00:00:00
Felipe Salustino
Repórter

Com cartazes que exibiam a frase “Eu venci a covid-19” e sob fortes aplausos de funcionários do Hospital de Campanha de Natal (HCN), sete pacientes que haviam sido transferidos de Manaus (AM) para tratamento da covid-19 no Rio Grande do Norte, receberam alta na tarde desta quarta-feira (27). O momento de euforia não deixava dúvida: todos ali estavam aliviados em poder voltar para casa após cerca de seis dias de internação em Natal e o melhor: curados da infecção causada pelo novo coronavírus.

Créditos: Alex RégisDia inesquecível: sete pacientes do Amazonas internados no HCN foram curados da covid-19 e viram o mar pela primeira vez na vidaDia inesquecível: sete pacientes do Amazonas internados no HCN foram curados da covid-19 e viram o mar pela primeira vez na vida

Aos 66 anos, Maria Margarida César Filho não segurou a emoção e comentou que estava ansiosa para reencontrar a família. “Me sinto muito bem, graças a Deus. É muita alegria poder voltar para perto da minha família”, disse. Antes de embarcar para o Aeroporto Int. Gov. Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, onde pegaria o voo para a capital amazonense, deu um pulinho no mar da Via Costeira de Natal acompanhada de outros pacientes que também receberam alta para aproveitar as águas mornas da praia natalense.

Quem também estava emocionada em deixar o Hospital de Campanha era Tainá Menezes, de 24 anos. “Só tenho a agradecer à equipe técnica daqui, que foi maravilhosa. Agora é rever a família e voltar para o berço (familiar”, comentou a jovem.

Junto com Tainá e  Maria estavam outros cinco pacientes que também embarcariam para Manaus. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS Natal), o grupo voltou para o Amazonas em dois voos comerciais. Parte embarcou às 18h e os demais, às 20h. As passagens foram custeadas pelo Governo do Amazonas e pelo Ministério da Saúde (MS). A SMS Natal levou os pacientes até o terminal aeroviário para o embarque.

Entre o grupo de pacientes que recebeu alta estavam dois homens e cinco mulheres, com idades entre 23 e 66 anos. 

Para o diretor do Hospital de Campanha de Natal, Saliciano Lima, o processo de recuperação dos sete pacientes após a chegada à capital potiguar é considerado satisfatório. “Todos os pacientes que estão recebendo alta têm uma média de 6 dias de internação aqui em Natal. Considerando que são pacientes que estiveram em estado grave, com necessidade de alto fluxo de oxigênio, nós dizemos que é algo bastante satisfatório”, avaliou o médico.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, comemorou a alta médica dos sete amazonenses. “Isso é uma grande vitória. Nós estamos disponibilizando vagas com a alta desses sete pacientes, que estão plenamente recuperados. É um momento de emoção e de alegria para todos nós. Foi um gesto humanitário vitorioso” frisou.

Situação atual
O diretor do Hospital de Campanha de Natal, Saliciano Lima, comentou ainda sobre a situação atual dos demais pacientes vindos de Manaus que estão em tratamento em alas da unidade hospitalar. Quatro deles estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e apresentam quadros mais graves da doença. Os demais estão em enfermarias e leitos semi-intensivos.

“Pela experiência de mais de mil atendimentos covid desses últimos meses, a gente acredita que a maioria (dos pacientes) vai ter um desfecho favorável. Nós temos um resultado médio do histórico do hospital, que tem em torno de 90% de efetividade, que são os pacientes em cuidado semi-intensivo e enfermaria que e recebem alta por melhora clínica. Então, a gente acredita que vai alcançar resultados dessa natureza”, explicou Saliciano.

O titular da SMS Natal, George Antunes, destacou que a pasta não descarta receber novos pacientes de outros Estados, a depender da demanda. “A Prefeitura do Natal disponibilizou para o Ministério da Saúde 30 leitos para utilização, de acordo com a situação que se apresenta no restante do País. À medida em que a gente for disponibilizando vagas, novos pacientes podem chegar de outras partes do Brasil”, frisou. Segundo ele, a situação da capital potiguar em relação à pandemia da covid-19 é considerada tranquila.

“A situação em Natal é confortável do ponto de vista de ocupação de leitos e de óbitos. O número de casos, aparentemente, aumentou, mas é porque nós estamos testando mais pessoas. A situação está controlada. A gente só pede que a população contribua para que nos consigamos manter esse controle”, esclareceu o secretário.

O prefeito Álvaro Dias reforçou que, no caso de Manaus, já há vagas asseguradas imediatamente. “Temos uma disponibilidade para atender 15 ou mais vindos do Amazonas e vamos continuar disponibilizando, desde que haja necessidade”, garantiu o prefeito.

Boletim
O Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) divulgou Boletim Médico nesta quarta-feira (27) sobre o estado de saúde dos 10 pacientes transferidos do Amazonas semana passada e internados na unidade. 

“Os cidadãos transferidos do Estado do Amazonas para o Rio Grande do Norte, no esforço conjunto que envolve a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) do RN, internados em número de 10 (dez) pacientes nesta unidade hospitalar da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), apresentam situação atual seguinte: 3 estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 7 em enfermaria. Há 1 paciente intubado, 2 em máscara com suporte de oxigênio e 1 com cateter nasal de oxigênio. Respiram ar ambiente 6 pacientes. As altas hospitalares serão informadas logo que conclusos os exames de controle indispensáveis à liberação clínica”, detalhou o HUOL.

Hoje, o Rio Grande do Norte presta assistência a 34 pacientes transferidos do Amazonas para o tratamento da covid-19.













Leia também: