Natal
Após ameaça de greve, Sintro negocia com empresas no TRT
Publicado: 00:00:00 - 12/10/2021 Atualizado: 22:29:31 - 11/10/2021
O sistema de transportes urbanos funcionará normalmente nesta quarta-feira (13). Um indicativo de greve foi aprovado na semana passada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN), mas, em reunião ontem, o seu presidente, Júnior Rodoviário, disse que as representações de trabalhadores e empresários terão uma reunião ainda nesta semana para definir os detalhes sobre o dissídio coletivo.

Magnus Nascimento
Apesar do anúncio da greve, sistema de transporte funcionou normalmente nesta segunda. Sintro fez paralisação quinta (07)

Apesar do anúncio da greve, sistema de transporte funcionou normalmente nesta segunda. Sintro fez paralisação quinta (07)


Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, nesta segunda-feira (11) o sistema de transporte funcionou normalmente. O Sintro havia anunciado, na semana passada, o início de uma greve nesta semana. A ameaça não se confirmou. O Sindicato não deu mais detalhes acerca dos condicionantes para a realização, ou não, no futuro, da paralisação.

Na quinta-feira (7), motoristas e cobradores do sistema de transporte público de Natal ameaçaram interromper o serviço, por tempo indeterminado, a partir desta segunda-feira. O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro) aprovou o indicativo de greve, em assembleia geral, após fracasso nas negociações recentes com as empresas de ônibus.

A categoria exige o cumprimento das datas-bases salariais deste ano e de 2020, previstas para acontecer em maio passado, que até o momento não foram implementadas pelas companhias de ônibus de Natal. Os rodoviários pedem que o reajuste seja o equivalente à inflação acumulada (IPCA) para os últimos 12 meses, que é 9,68%, segundo dados de agosto do IBGE. Atualmente, o piso da categoria é de R$ 2,110. 

Além disso, os motoristas querem a recomposição do vale-alimentação. Até março do ano passado, as empresas pagavam R$ 315 aos trabalhadores, mas, com a redução das linhas em circulação em decorrência da pandemia da Covid-19, o valor foi reduzido para R $180. 

Por outro lado, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) disse que a busca por melhores condições de trabalho por parte dos rodoviários é um direito legítimo, mas deve ser exercido com responsabilidades, dentro das normas do Estado Democrático de Direito. A entidade reforça que está aberta ao diálogo para discutir as reivindicações dos trabalhadores do sistema rodoviário.

"O Seturn informa que sempre esteve à disposição para o diálogo com o Sintro e qualquer outra autoridade, mas que a crise dos transportes públicos extrapola a sua capacidade de resolução sendo necessário um diálogo intersetorial para as soluções dos problemas de mobilidade urbana em nossa capital", encerra a nota.

Paralisação
O Sindicato promoveu uma paralisação na última quinta. Trabalhadores, estudantes e a população em geral foram surpreendidos pela paralisação dos serviços. Por volta do meio-dia, dezenas de ônibus estacionaram no início da Avenida Rio Branco, na região do Baldo, em frente à sede do Sintro. "É um absurdo ficar no meio do caminho. Eu estava indo para o trabalho. Fui prejudicada", reclamou Neuzuelika Almeida de Azevedo, que ia para o trabalho na Zona Norte da cidade.

"O protesto é para comunicar à população que na próxima semana entraremos em greve por prazo indeterminado. Se o empresário não tem compromisso e a STTU não tem uma discussão com os empresários, é o que nos resta fazer", justificou Júnior Rodoviário, presidente do Sintro. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte