Após pressão, STTU amplia viagens de ônibus em 30%

Publicação: 2021-03-05 00:00:00
Felipe Salustino
Repórter

Após meses de apelo da população usuária das linhas de transporte público na capital e Região Metropolitana, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) anunciou aumento de 30% no número de viagens dos ônibus durante horários de pico. A medida entrou em vigor nessa quinta-feira (4) e  deverá se tornar permanente. Segundo a pasta, inicialmente, um total de 15 ônibus deve operar dentro da nova norma até a próxima segunda-feira (8), a depender da logística de cada linha. O aumento na oferta de ônibus em circulação ocorre entre as 6h e 7h, e das 17h às 18h, considerados intervalos de maior demanda.

Créditos: Alex RégisEm horários de pico, populares que dependem do transporte público em Natal não conseguem seguir regra de distanciamento socialEm horários de pico, populares que dependem do transporte público em Natal não conseguem seguir regra de distanciamento social

“Estamos fazendo uma coisa desejável de se fazer sempre, que é o aumento do número de viagens dos ônibus em horários de pico. Nós apressamos o processo para poder melhorar o problema da aglomeração, mas isso vai continuar. Posteriormente, vamos incluir para outras linhas”, afirmou o titular da STTU, Paulo César Medeiros.

O secretário descartou, no entanto, o retorno da frota integral por causa dos custos que isso implicaria ao sistema da capital. “O sistema de transporte sofreu um desequilíbrio violento, no que diz respeito ao custo das empresas e o número de pagantes, porque quem paga o custeio são as passagens. Nós tivemos uma queda muito acentuada no número de passageiros, mas essa mesma queda não foi tão expressiva no quantitativo de linhas e da frota. Ainda estamos apurando os números reais desse desequilíbrio, mas enquanto não temos esses dados, preferimos não agravar o problema”, esclareceu.

Segundo dados divulgados pela STTU, 330 mil passageiros utilizavam o transporte público diariamente na capital no período pré-pandemia (até março do ano passado). Atualmente, são 144 mil, uma queda de 56,36%. As viagens mensais foram reduzidas, de 141.496 para 83.236, o que significa uma diminuição de 41,17%. Das 82 linhas em circulação no início do ano passado, 54 permanecem nas ruas atualmente, um decréscimo de 34,14%.

A expansão do número de viagens em horários de maior movimentação na cidade foi adotada nessa quinta-feira (4) e tem como objetivo a diminuição das aglomerações em todas as linhas. A decisão leva em conta o atual cenário da covid-19 no Estado, considerado crítico. 

Para o consultor técnico do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos e Passageiros do Município do Natal (Seturn), Nilson Queiroga, a medida adotada pela STTU foi acertada. “A decisão é excelente e está corretíssima. Pela primeira vez, as medidas estão sendo tomadas acertadamente. O que os técnicos da STTU estão fazendo é isso: remanejar os ônibus de viagens onde tem pouca gente para colocar onde há maior concentração”, analisa Queiroga.

O consultor do Seturn concorda que o aumento da frota, atualmente em 70%, não seria suficiente para resolver o problema da superlotação nos ônibus. “O transporte público é vítima de um problema que se concentra nas cidades, que é o início das atividades de todas as repartições, públicas e privadas. Tudo se concentra num mesmo horário e isso é algo que acontece no Brasil inteiro. Aumentar a frota integral não resolve a questão. O que resolve são as decisões que foram tomadas agora. As ações estão indo no caminho certo. Tanto é que as empresas e o Sindicato do setor apóiam e se prontificam a atender às determinações do secretário (da STTU)”, pontua Queiroga.

Fluxo
A medida recém-adotada pela STTU em Natal prevê a redução de viagens em momentos de menor fluxo, ao mesmo tempo em que o serviço é ampliado nos horários de pico. No acumulado, não haverá acréscimo de viagens, mas uma redistribuição. “Nós detectamos que o problema da superlotação acontece pela manhã e mais fortemente à tarde. Então, deslocamos as viagens que estavam entre os momentos de pico para esses períodos”, explicou o secretário Paulo César Medeiros.

A pasta seguirá avaliando o cenário. “A gente continua com ajustamentos para detectar toda aglomeração ou ociosidade de linha que existir, para fazermos a migração, ao longo da próxima semana”, disse o secretário. Ele pediu que os usuários do transporte coletivo otimizem as atividades, quando possível, para evitar superlotação nos veículos.

“Gostaria de fazer um apelo aos usuários: aqueles que não têm necessidade de usar o transporte público no horário de pico, não o façam. Utilizem o sistema depois das 8h. Certamente, evitarão aglomerações e não terão dificuldades em usar o transporte. Para o passageiro, é muito mais seguro andar em um ônibus mais vazio”, ressalta.

O secretário disse também que algumas atividades serão retomadas nas paradas de ônibus e dentro dos próprios veículos para prevenir a disseminação do novo coronavírus. “Voltamos com o trabalho de desinfecção diária dos ônibus, que é feito pelos operadores antes de cada viagem. Nós fazemos também um trabalho de desinfecção das paradas de ônibus e distribuímos álcool gel em alguns veículos, naqueles que contêm maior movimentação. Essas ações haviam sido suspensas com o arrefecimento dos números da pandemia”, afirma Medeiros.