Após rebaixamento com o ABC, meta de Roberto Fernandes é limpar o nome em 2020

Publicação: 2019-09-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Aguardando um contato da diretoria. É assim que se encontra o treinador Roberto Fernandes, que regressou a Natal no dia 10 de setembro, após um período de férias. O treinador que encerrou a temporada com o ABC, disse que ainda não foi procurado pelos membros da diretoria do clube, mas salienta que espera sentar com o presidente Fernando Suassuna ainda essa semana para começar a traçar o seu futuro, seja dentro ou fora do Alvinegro.

Roberto Fernandes preferiu não antecipar nada em relação ao futuro encontro, mas não descartou a possibilidade de renovação
Roberto Fernandes preferiu não antecipar nada em relação ao futuro encontro, mas não descartou a possibilidade de renovação

Fernandes destacou que a prioridade para temporada de 2020 será trabalhar num clube que possua um projeto vencedor, independente de Série no Campeonato Brasileiro. Ele quer limpar o nome depois do rebaixamento.

“Em 2018 tive um ano bom na minha carreira. Iniciei a temporada sendo campeão pernambucano pelo Náutico, depois numa missão de salvamento consegui livrar o Santa Cruz do rebaixamento na Série C e encerrei aquela temporada salvando o CRB do rebaixamento na Série B, onde cheguei faltando onze rodadas para o fim da competição e consegui livrar o clube de qualquer risco de degola com uma rodada de antecedência. Agora sofri essa queda junto com o ABC e isso deu uma bagunçada no meu currículo, isso nunca é bom”, salientou o treinador.

Sem prioridade de série ou por clubes, a meta é ter condições de realizar um grande trabalho para limpar a situação na qual ficou pós-rebaixamento. Continuando no clube potiguar, ele disse que terá muita coisa a acertar com a diretoria, pois sabe que vai iniciar um trabalho praticamente do zero, uma vez que o ABC já se desfez de quase todo o elenco.

Indagado quanto a questão do investimento limitado do clube, para 2020, Roberto Fernandes foi enfático, dizendo que o ABC tem de se preocupar em montar uma equipe para ir bem na Série D.

“Se um clube do porte do ABC não tiver condições de montar uma equipe competitiva para disputar a Série D, é melhor pedir logo o licenciamento. Infelizmente essa é a realidade do clube, não se pode ficar pensando em Série B, tem de encarar com competência a Série D mesmo”, ressaltou Fernandes.

Já em relação a briga que os potiguares vêm travando contra o Treze-PB, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para evitar a confirmação do rebaixamento, Roberto Fernandes prefere trabalhar com a atual realidade, por considerar que as questões evolvendo a justiça pode ocorrer qualquer coisa. “É melhor iniciar o trabalho dentro de um panorama mais real”, alerta.

O vice-presidente administrativo do ABC, Bira Marques, confirmou que ele e o presidente Fernando Suassuna vão mesmo agendar um dia para  reunião com Roberto Fernandes até o final dessa semana. A meta é buscar um acordo dentro das novas condições financeiras do Alvinegro.

“Nem sempre querer é poder. Nós do ABC temos a intenção na manutenção de Roberto Fernandes no clube, mas, antes, temos de saber se o treinador irá aceitar a proposta que será realizada dentro da nova realidade financeira que teremos para próxima temporada.  Se ele sinalizar a possibilidade de se encaixar nesse trabalho, sem sombra de dúvida, seria um excelente nome”, destacou Bira Marques.

Com relação as dispensas realizadas pelo Alvinegro, o dirigente disse que no primeiro momento foram acertadas as rescisões dos atletas cujos contratos acabaram com o final da participação do clube na Série C. Aqueles revelados nas bases do próprio ABC e os demais, com contrato um pouco mais longo, terão a situação reavaliada dentro do novo contexto econômico previsto para o ano que vem.

“Nós teremos de reavaliar a situação salarial dos jogadores com contratos mais longos, estamos necessitando reduzir despesas e vamos buscar um acordo com esses jogadores. Se não tiver como enquadrar o salário numa nova realidade, não tem como manter ninguém. Mas esse tipo de questão iremos deixar para tratar a partir de outubro”, frisou Bira Marques.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários