Natal
Apesar da calamidade, Guamaré gasta R$ 6 mi
Publicado: 00:00:00 - 10/04/2013 Atualizado: 01:33:22 - 10/04/2013
Em estado de calamidade pública em decorrência da seca que assola o Rio Grande do Norte desde 2012, a Prefeitura Municipal de Guamaré investiu R$ 6 milhões ao longo do ano passado em festividades. Todos os eventos foram articulados por secretários municipais e pessoas ligadas aos ex-prefeitos Auricélio dos Santos Teixeira e Emilson de Borba Cunha, o Lula, que articulavam os procedimentos das fraudes aplicadas às licitações com o fim de desviar recursos públicos.

Comumente aplicadas ao longo da gestão de Auricélio dos Santos, as fraudes, segundo o MP, permaneceram no mandato do prefeito Lula aprimoradas, segundo o MPE, por Katiuscia Miranda da Fonseca Teixeira e Kaliny Karen da Fonseca Teixeira. Somente em dois eventos – Carnaval 2012 e Comemoração dos 50 anos da Emancipação Política – foram consumidos R$ 6.138.548,00. Os recursos foram utilizados em contratações de bandas para shows musicais, decoração, iluminação e organização de estrutura de palco e segurança.

Somente a decoração do Carnaval 2012 em Guamaré rendeu ao empresário e decorador Clodualdo Bahia, preso durante a Operação Máscara Negra, a fatia de R$ 453.300,00. No total, a Prefeitura de Guamaré investiu no festejos de momo do ano passado, a bagatela de 4.356.740,00. Já na Festa da Emancipação, a somatória dos custos foi de R$ 2.235.108,00. Para a dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano foram desembolsados R$ 450 mil.

No mesmo evento, a empresa Designer Brasil, cujo um dos sócios é Clodualdo Bahia, recebeu R$ 398.000,00. As investigações do MPE apontaram que a contratação do decorador se dava de forma antecipada, através de Katiuscia Miranda e com ajuda da própria assessoria jurídica da Prefeitura de Guamaré na regularização documental da empresa. Além destas duas festas, a empresa embolsou mais R$ 150 mil pela montagem do cenário e figurinos da Paixão de Cristo em Guamaré.

Leia também