Aplicativo Tô de Olho facilitará testagens de Covid-19 em Parnamirim

Publicação: 2020-07-13 17:03:00
A+ A-
Desenvolvedores do aplicativo Tô de Olho – iniciativa criada pelo Projeto Smart Metropolis, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), em parceria com o Ministério Público do RN (MPRN) – criaram uma funcionalidade da plataforma que permitirá triagem e agendamento online para a realização de testes de Covid-19 pela prefeitura de Parnamirim.

A iniciativa visa auxiliar o órgão público tanto no rastreamento da doença como também na otimização dos recursos públicos, de maneira que a testagem gratuita seja feita apenas com quem se expôs a situações de alto risco de contágio.
Créditos: DivulgaçãoOutros municípios podem solicitar parceria com o aplicativoOutros municípios podem solicitar parceria com o aplicativo
Isso é possível graças ao cruzamento de dados, como histórico de doenças registrado por instituições públicas de saúde, idade e informações referentes ao deslocamento físico da pessoa, medida que há meses tem permitido à plataforma o mapeamento das principais áreas de risco da zona metropolitana de Natal.

Como funciona

O aplicativo disponibilizará à Prefeitura uma lista de cidadãos com mais chance de terem contraído o novo vírus. Assim, após análise técnica desses dados, a Prefeitura notificará os selecionados e os convocará para uma testagem gratuita.

Tudo isso é feito por meio do próprio aplicativo, no qual o usuário também é informado quanto ao local e horário do exame. Para auxiliar as pessoas a se familiarizarem com esse novo recurso, o MPRN disponibilizou um tutorial sobre como proceder caso o usuário seja notificado.

Parnamirim foi o primeiro município a fechar essa parceria com o Tô de Olho. Qualquer outra prefeitura pode aderir ao projeto, basta que entre em contato com o MPRN pelo telefone (84) 98839-8106.

Segundo o professor Nélio Cacho, docente do IMD que está à frente da iniciativa, a ideia de facilitar e otimizar a testagem de Covid-19 surgiu no exterior. “Todos os aplicativos de rastreamento de contágio utilizados ao redor do mundo vêm facilitando, também, a testagem. Aqui no Brasil, muitos considerariam isso utópico, mas com o apoio do Poder Público, alcançamos esse avanço”, comemora o professor.