Apostando em Felipão, Palmeiras pega Sampaio Corrêa em estreia na Copa do Brasil

Publicação: 2019-05-22 10:29:00 | Comentários: 0
A+ A-
São 27 jogos sem perder no Campeonato Brasileiro, cerca de 73% de aproveitamento no ano, vitória de goleada em clássico no último clássico e, para melhorar, agora começa a competição na qual o treinador é um grande especialista. O Palmeiras, do técnico Luiz Felipe Scolari, tem várias credenciais a favor para largar como favorito às 19h15 desta quarta-feira, quando enfrenta o Sampaio Corrêa, em São Luís (MA), pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Felipe Scolari acha que Palmeiras será prejudicado no Paulistão
Palmeiras encara o Sampaio Corrêa-MA pelas oitavas da Copa do Brasil

O confronto entre o atual campeão brasileiro e um rival que está na Série C tem como personagem o técnico Felipão. O treinador com mais títulos na Copa do Brasil, quatro taças (1991, 1994, 1998 e 2012), inicia a caminhada no estádio Castelão, local marcante na carreira. Em novembro de 2001, na primeira passagem pela seleção brasileira, a equipe derrotou a Venezuela por 3 a 0 e garantiu vaga na Copa do Mundo no ano seguinte, que viria a ganhar - a última que o Brasil foi campeão.

"Voltar a São Luís me traz ótimas lembranças. Estávamos formando o grupo que iria para a Copa. Guardo os momentos vividos em São Luís com carinho. O povo do Maranhão foi muito participativo naquele dia no Castelão", relembra Scolari.

Aos 70 anos, Felipão vai participar pela 13ª vez da Copa do Brasil e conta com um retrospecto positivo para não ser surpreendido por uma possível zebra, como o Sampaio Corrêa. O técnico tem um aproveitamento de 67% nas partidas. Nas 12 vezes anteriores em que disputou o torneio nacional, em sete ele foi pelo menos semifinalista e em uma foi vice-campeão.

"Sabemos que em jogos assim os outros times têm uma motivação maior por jogarem contra o Palmeiras. O Felipão já passou algumas coisas para a gente e passará mais outras para analisarmos sobre a disputa", explicou o meia Hyoran.

Para iniciar a jornada de oito partidas em busca do título, o Palmeiras de Felipão deve ter em campo uma formação modificada. Como o clube está preocupado com o desgaste dos jogadores, decidiu diminuir a sequência de viagens. Depois da partida em São Luís, em vez do elenco retornar a São Paulo, embarca diretamente para Brasília, onde no sábado enfrentará o Botafogo, pelo Brasileirão.

Os dois times se reencontram na próxima semana, no Allianz Parque, para o jogo de volta. Assim como o Palmeiras, o Sampaio Corrêa estreia só agora, já nas oitavas de final, por ter sido campeão no ano passado da Copa do Nordeste.

De olho na bilheteria
A dificuldade de enfrentar o atual campeão brasileiro com seu elenco badalado faz o Sampaio Corrêa ter como uma das suas principais expectativas para a Copa do Brasil lucrar com bilheteria. A expectativa do clube de São Luís é poder arrecadar com o jogo diante do Palmeiras o suficiente para cobrir mais de um mês da folha de pagamento, que é de cerca de R$ 450 mil.

Os preços das entradas variam de R$ 30 a R$ 90. A diretoria espera ter casa cheia e contar com a presença de 40 mil torcedores. Se passar pelo Palmeiras é uma missão difícil, pelo menos sua presença nas oitavas de final já ajudou bastante o clube. A CBF paga de premiação R$ 2,5 milhões para quem disputa esta fase da competição.

"Sabemos a força que a torcida do Sampaio tem quando comparece em peso ao Castelão. Contamos com esse apoio, porque será um jogo muito difícil, e o Castelão lotado nos dará um combustível a mais", pediu o volante e capitão Diones.

O time vem de um rebaixamento da Série B para a Série C, além de ter ficado fora da final do Estadual e ter sido eliminado ainda na primeira fase da Copa do Nordeste. Um alento é ter começado bem na Série C, com duas vitórias e dois empates nas quatro primeiras rodadas.

Nas Copas do Brasil de 2014 e 2015, o time também enfrentou o Palmeiras. Presente nesses confrontos, o meia Cleitinho sonha com uma zebra. "O Sampaio também é grande, e se torna ainda mais forte quando o torcedor joga junto", afirmou.

Estadão Conteúdo









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários