Aquela porção Woden

Publicação: 2020-06-25 00:00:00
A+ A-
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com 

Todos temos. É aquela mania agradável de mexer nas gavetas, vasculhar estantes, espanar o passado para que suba a poeira das lembranças. Evidente que nem todos acharão, ou reencontrarão, raridades de riqueza histórica ou literária como acontece com as costumeiras garimpagens que Woden Madruga faz derna os tempos em que virei seu leitor, quando comecei essa vida de escrevinhador no Diário de Natal. Peço licença para mostrar um velho poema feito em janeiro de 1977, quando era militante da Esquina do Rock, a jovem confraria dos garotos da Candelária. Naquele ano, me alistei e a Marinha me deixou a ver navios. Então, fui navegar nos mares da poesia. Segue:

COTIDIÁRIO
Um dia após outro
o mesmo sol irradia
a mesma lua varia
uma estrela se apaga

Alguém escarra no chão
ou então cospe na face
e um surrado disfarce
na alma esconde a chaga

Um dia após o outro
um pão é bem mastigado
um míssil é disparado
altera-se a geografia

Um moleque vigia o carro
outro patrulha a mulher
e logo após o café
o doutor faz terapia

Um chopp lava a conversa
sobre a questão palestina
o comunismo na China
deslegitima o discurso
A moça pulou da ponte
outra sumiu no oceano
revendo o cotidiano
o moço cortou os pulsos

Um dia após o outro
a mãe pariu uma filha
uma irmã foi pra guerrilha
outra plantou um jardim

Para os lados da Europa
descobriram uma vacina
na janela a Carolina
mediu o tempo por fim

Um dia após o outro
a história se repete
se diverge na OPEP
se faz aposta num potro

E a vida é debatida
várias vezes mais ainda
e esse debate não finda
um dia após o outro.

Fechador
Nos anos 1960, Dinarte Mariz ameaçou fechar a Lagoa Manoel Felipe (Cidade da Criança) e o povo passou a chamá-lo “fechador”. O apelido está sendo resgatado em Fernando Mineiro, por pressionar prefeitos a fechar o comércio. 

Exemplo
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) reagiu com razão à proibição da flexibilização do comércio por uma juíza da 3ª Vara Cível do DF. “Então tiraram meus poderes numa intervenção indevida do Poder Judiciário”. 

Folha corrida
Obvio que George Floyd não tinha um currículo como Martin Luther King nem sua estatura política. Mas o fato de ter sido preso por roubo e drogas em 2007 e botar um revólver na barriga de uma grávida, não justifica seu assassinato.

Fanáticos
A escritora britânica J. K. Rowling, autora da saga campeã de vendas Harry Potter, está sendo criticada por achar melhor usar o termo “mulher” e não “pessoa que menstrua” como impõe a militância fundamentalista lgbt+ e tal. 

Dobradura
Já pintaram nas redes os apelidos de uma suposta chapa presidencial em 2022 formada pelo ex-juiz Sergio Moro e o ortopedista Henrique Mandetta. Os dois nomes mais destacados até ontem no Twitter eram “Sergetta” e “Motretta”. 

Leitos
Em 28 de março, o governo estadual retirou os leitos de UTI do hospital de Macaíba e mandou para Mossoró, justificado a transferência como parte do plano de contingência para a Covid-19. Em nota, prometeu repor em dias.

Leitos II 
Com junho quase no fim, só agora o governo anuncia o envio de novos leitos para Macaíba, através de uma empresa de MG vencedora de uma licitação na Sesap. Os leitos serão do município em definitivo ou são da empresa?

Cultura
Aprovada na Câmara e Senado, a Lei Aldir Blanc de Cultura só aguarda a sanção do presidente Jair Bolsonaro. São mais de R$ 3 bilhões destinados ao setor, devidamente distribuídos com estados e municípios de todo o Brasil.

Créditos: Divulgação


Raridades
Garimpeiro incansável no resgate de obras potiguares em leilões virtuais, o jornalista e poeta Alexandre (Créu) Gurgel descobriu artes-postais (anos 70) de Falves e J. Medeiros por até R$ 3 mil na tradicional casa Budano Leiloeiro.







Deixe seu comentário!

Comentários